A CRÓNICA: AZUIS E BRANCOS VENCEM NOVAMENTE E OCUPAM PROVISIORIAMENTE O TOPO DA TABELA

FC Porto e FC Arouca mediram forças à quarta jornada do campeonato, num encontro em que os dragões só pensavam em vingar o empate frente ao CS Marítimo, enquanto a equipa visitante procurava dar continuidade à conquista de pontos.

A equipa arouquense venceu o FC Famalicão na jornada passada, embora tenha entrado de pé esquerdo neste campeonato, com duas derrotas nos dois primeiros jogos (Estoril Praia SAD e SL Benfica, respetivamente).

Ambos os lados subiram ao relvado do Estádio do Dragão com os mesmos onzes da última jornada, com destaque, no lado caseiro, para a contínua ausência de Sérgio Oliveira no lote dos titulares e a repetição de Ivan Marcano com o papel de defesa-esquerdo.

O início do jogo não foi, de todo, o mais vistoso e emocionante – o FC Porto conseguia dominar na posse de bola, mas a organização defensiva do FC Arouca não permitia qualquer transponibilidade ao ataque azul e branco. Mérito para os arouquenses que, para além disso, ainda conseguiam, por vezes, sair a jogar no contra-ataque. Luis Díaz e João Mário destacavam-se pela positiva.

Anúncio Publicitário

Apesar das poucas (ou praticamente nulas) oportunidades de perigo às balizas de Diogo Costa e Fernando Castro, o nulo no marcador só aguentou até aos 24 minutos. Uribe, situado próximo da zona de marcação de grande penalidade, finalizou uma jogada que o próprio construiu.

Antes de chegar a Uribe, a bola ainda ressalta em Sema Velázquez após cruzamento de Otávio e sobra para o médio colombiano, que só tinha o guarda-redes pela frente. Estava feito o 1-0.

Após o golo do FC Porto, os arouquenses desapareceram do jogo e os dragões puseram o pé no acelerador. Inúmeras oportunidades para a turma de Sérgio Conceição, que culminariam no segundo golo portista.

Luis Díaz, ainda atrás da linha de meio campo, recebe a bola e levanta a cabeça para ver a desmarcação de Mehdi Taremi. A bola foi colocada de forma perfeita no iraniano, que só teve de progredir no terreno e rematar para o fundo das redes, rente ao primeiro poste da baliza do FC Arouca. Fernando Castro fica mal na fotografia, pois não teve o timing certo na saída da baliza e destapou a zona do primeiro poste da baliza arouquense.

Resultado consolidado para o FC Porto, que seguia para o intervalo com tranquilidade, ao contrário da equipa liderada por Armando Evangelista, que se via obrigada a mudar de postura para a segunda parte.

Sem quaisquer alterações em ambos os emblemas, iniciava-se a segunda metade da partida e notava-se de novo um FC Arouca um tanto quanto acinzentado. Luis Díaz teve nos pés a oportunidade de fazer o 3-0 após cruzamento de Taremi, mas não conseguiu finalizar da melhor forma.

Ao minuto 63, surgiria o terceiro golo do FC Porto, protagonizado pelo espanhol Iván Marcano. Através de uma cobrança de pontapé de livre, Otávio envia a bola para o lado oposto da grande área, onde está Pepe, que centra para o peito de Marcano. O central nada teve que fazer, pois a bola ressaltou para dentro da baliza, mas valeu pelo seu posicionamento. 3-0 e o xeque-mate já estava praticamente dado.

Até ao fim do jogo só deu FC Porto, e o emblema de Arouca não conseguia, de todo, ameaçar a baliza da equipa caseira. Luis Díaz, de novo, podia ter feito o quarto golo, Marcano esteve perto de bisar e Pepê chegou mesmo a marcar, mas o golo foi invalidado por fora de jogo no desenrolar da jogada. O FC Arouca viria a rematar pela primeira vez à baliza apenas ao minuto 86.

O marcador encerra com um 3-0 que, diga-se de passagem, poderia ter sido mais dilatado, dada as oportunidades que os dragões tiveram, maioritariamente, na segunda metade do encontro. O FC Porto segue com três vitórias e um empate, enquanto que o FC Arouca soma agora a terceira derrota e conta ainda com uma vitória. À condição, o FC Porto partilha o primeiro lugar do campeonato com o Estoril Praia SAD, e o FC Arouca habita a 14ª posição.

A FIGURA
FC Porto
Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Mehdi Taremi – Não foi apenas pelo golo marcado que merece ser a figura do encontro. Mehdi Taremi esteve sempre muito interventivo no processo ofensivo do FC Porto, tentando não só marcar, mas também assistir os companheiros de equipa. Foi a sua estreia a marcar nesta edição do campeonato e o mais certo é que não fique por aqui.

O FORA DE JOGO
Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Setor defensivo do FC Arouca – Principalmente Sema Velázquez e João Basso, que mostraram bastantes debilidades na marcação e posicionamento defensivo, mas também na construção a partir de trás. No segundo golo portista, marcado por Taremi, percebeu-se a falta de organização e emparelhamento da dupla de centrais do FC Arouca.

ANÁLISE TÁTICA – FC PORTO

O FC Porto mantém o tradicional 4-4-2 com Diogo Costa na baliza e, à sua frente, a dupla Pepe e Mbemba. Ainda no setor defensivo, à direita, estava o recém-adaptado João Mário e, no lado esquerdo, Iván Marcano, que oferece à equipa características mais defensivas. No meio campo, Bruno Costa e Uribe mantêm-se ao centro com o colombiano a aparecer, neste jogo, em zonas mais ofensivas. Otávio esteve presente no lado direito e Luis Díaz exibiu a sua velocidade e técnica do lado esquerdo. Os homens da frente eram Taremi, do lado esquerdo, e Toni Martínez, mais à direita.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Diogo Costa (6)

João Mário (7)

Mbemba (6)

Pepe (7)

Marcano (7)

Bruno Costa (6)

Uribe (7)

Otávio (7)

Luis Díaz (7)

Taremi (8)

Toni Martínez (6)

SUBS UTILIZADOS

Vitinha (6)

Pepê (6)

Francisco Conceição (6)

Fábio Vieira (6)

Wendell (-)

ANÁLISE TÁTICA – FC AROUCA

Armando Evangelista repete o mesmo onze da semana passada com um sistema 4-2-3-1. Fernando Castro era o guardião da baliza arouquense, e Sema Velázquez e João Basso faziam parelha como centrais. Matheus Quaresma e Thales Oleques estiveram na ala esquerda e direita, respetivamente.

Pedro Moreira e Leandro Silva posicionavam-se como médios mais recuados enquanto Eugeni Valderrama era o médio centro mais adiantado. Nas extremidades, do lado esquerdo, estava Arsénio e, do lado direito, André Bukia. André Silva estava responsável pelo jogo ofensivo do FC Arouca.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Fernando Castro (5)

Thales Oleques (6)

João Basso (4)

José Velázquez (4)

Mateus Quaresma (6)

Pedro Moreira (7)

Leandro Silva (6)

André Bukia (6)

Eugeni Valderrama (5)

Arsénio (5)

André Silva (4)

SUBS UTILIZADOS

Pité (6)

Tiago Araújo (6)

Oday Dabagh (6)

Or Dasa (-)

Tiago Esgaio (-)

Artigo revisto por Gonçalo Tristão Santos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome