ÚLTIMA HORA:

FC Porto 3-1 FC Famalicão: O avanço portista na liderança

A CRÓNICA: O ARRANQUE PARA A LIDERANÇA ALARGADA

Com um FC Porto num dos melhores momentos da temporada e um FC Famalicão a tentar ganhar uma nova vida, este era um dos jogos mais importantes da jornada. Com os dragões a quererem distanciar-se o mais possível no primeiro lugar da tabela da Primeira Liga, o FC Famalicão tinha o objetivo de se tentar distanciar, mas da linha vermelha da despromoção.

Esperava-se um jogo equilibrado, com duas equipas bastante motivadas e com alguns destaques parte a parte.

Parecia ser uma questão de tempo até o marcador desbloquear. Os dragões tentaram encostar, ao máximo, os famalicenses no último terço do terreno, mas parecia existir um defesa da equipa visitante sempre no “sítio certo à hora certa”.

Mas, aos 25 minutos, na sequência de um pontapé de canto, Otávio “agarrou” a bola à entrada da área e fuzilou as redes de Luiz Júnior. Depois de tanto atacar ao longo daquela quase meia hora, os frutos vieram da colheita.

O FC Famalicão tentou acordar, efetuando alguns lances de ataque, mas nenhum de grande perigo fortuito. Os contra-ataques teoricamente rápidos e com possível capacidade de desorganizar a defensiva portista, rapidamente se tornavam ataques temporizados com uma construção previsível, o que dificultava as chegadas ao último terço.

Aos 38 minutos, Otávio lançou-se pelo meio-campo, aguentou a carga e ainda conseguiu fazer um passe a furar totalmente a defesa famalicense. Luis Díaz recebeu e fez o que tinha a fazer na sua posição: aumentar a vantagem do FC Porto, para dois golos sem resposta.

Já no cair do pano da primeira parte, o árbitro Rui Costa recorreu ao vídeo-árbitro para decidir sobre uma possível grande penalidade favorável aos dragões, mas o jogo seguiu com as equipas a serem encaminhadas para o balneário depois do apito para o intervalo.

Após uma entrada de Charles Pickel sobre Taremi na grande área, o avançado iraniano foi chamado a converter a grande penalidade favorável ao FC Porto, e assim o fez. Aos 77 minutos, os dragões já punham um (quase) ponto final na história do jogo.

A cinco minutos de dar por encerrado o encontro, ele acabou mesmo para Matheus Uribe. Depois de uma falta sobre Pêpê Rodrigues, o médio dos dragões viu cartão vermelho e recolheu, mais cedo, para os balneários.

Para fechar o jogo, na sequência de canto, e depois de um desvio para o segundo poste, bastou encostar a Riccieli, central que fez o golo do FC Famalicão e fechou por completo a decisão do encontro. Os famalicenses tentam respirar na “linha de água”, com o FC Porto a afastar dos restantes candidatos na liderança da Primeira Liga.

A FIGURA

Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Otávio – É um dos donos e senhores da construção de jogo do FC Porto. Para além de dar uma cara renovada à ofensiva portista, Otávio está presente nas jogadas importantes dos dragões, sendo dos jogadores mais impactantes da formação.

O FORA DE JOGO

Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Charles Pickel – O médio do FC Famalicão esteve num dia “não” frente ao FC Porto. Deixou muito a desejar perante aquilo que já demonstrou com a camisola famalicense.

ANÁLISE TÁTICA – FC PORTO

O FC Porto entrou em campo num 4-4-2 algo revigorado. Diogo Costa permaneceu na baliza do dragões, com Fábio Cardoso e Chancel Mbemba a ocupar a zona central da defesa. Wendell e Bruno Costa estiveram encarregues das suas funções nas laterais.

No meio-campo, Uribe e Vitinha iam construindo jogo, com Otávio e Luis Díaz nos flancos, que voltaram a fazer das suas.

Na frente, Fábio Vieira atuou nas costas de Evanilson.

ONZE INICIAL E PONTUAÇÕES

Diogo Costa (6)

Wendell (6)

Chancel Mbemba (6)

Fábio Cardoso (6)

Bruno Costa (6)

Luis Díaz (7)

Vitinha (6)

Matheus Uribe (6)

Otávio (8)

Fábio Vieira (7)

Evanilson (6) 

SUBS UTILIZADOS

Mehdi Taremi (6)

Pepê (6)

Francisco Conceição (6)

Marko Grujic (6)

ANÁLISE TÁTICA – FC FAMALICÃO

Com um número elevadíssimo de baixas, o FC Famalicão foi a jogo num 3-5-2. Luiz Júnios na baliza e a linha defensiva composta por Riccieli, Alex Nascimento e De la Fuente.

No meio-campo, Pickel e Pêpê atuavam mais recuados em relação a Iván Jaime, com Ivo Rodrigues e Bruno Rodrigues nas alas.

Na frente, Pedro Marques e Marcos Paulo esticavam o jogo famalicense. 

ONZE INICIAL E PONTUAÇÕES

Luiz Júnior (5)

De La Fuente (5)

Riccieli (6)

Alex Nascimento (5)

Charles Pickel (5)

Pêpê Rodrigues (6)

Ivo Rodrigues (5)

Bruno Rodrigues (6)

Iván Jaime (6)

Marcos Paulo (6)

Pedro Marques (5) 

SUBS UTILIZADOS

Pedro Brazão (6)

Benny (6)

Amarildo Jr. (-)

Componente 5 – 1 (1)

A Andreia é licenciada Ciências da Comunicação, no ramo de Jornalismo. Depois de ter praticado basquetebol durante anos, encontrou no desporto e no jornalismo as suas maiores paixões. Um dos maiores desejos é ser uma das vozes das mulheres no mundo do desporto e ambição para isso mesmo não lhe falta.                                                                                                                                                 A Andreia escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

A Andreia é licenciada Ciências da Comunicação, no ramo de Jornalismo. Depois de ter praticado basquetebol durante anos, encontrou no desporto e no jornalismo as suas maiores paixões. Um dos maiores desejos é ser uma das vozes das mulheres no mundo do desporto e ambição para isso mesmo não lhe falta.                                                                                                                                                 A Andreia escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

FC PORTO vs CD TONDELA

  • 00DIAS
  • 00HORAS
  • 00MINUTOS
  • 00SEGUNDOS
FC PORTO x ESTORIL PRAIA
SPORTING CP x SANTA CLARA
PAÇOS FERREIRA x SL BENFICA