Anúncio Publicitário

A CRÓNICA: JOGO DE SENTIDO ÚNICO ACABA EM VITÓRIA FÁCIL DOS DRAGÕES

Num dia em que todas as atenções estão viradas para a luta pela manutenção e pelo sexto lugar europeu, FC Porto e Belenenses SAD enfrentaram-se num jogo sem poder de decisão no que importa na classificação. Dragões já tinha o segundo lugar assegurado, enquanto que a B-SAD estava livre das contas de descida, mas também arrecada de discutir o último lugar de acesso à Conference League.

Antes ainda do jogo começar, os jogadores do Belenenses SAD fizeram uma homenagem a Quino, já habitual no tempo d’Os Belenenses, e juntaram também imagens de Reinaldo Teles e Alfredo Quinta à bandeira dedicada à antiga lenda do clube do restelo.

Anúncio Publicitário

Como seria de esperar, a partida começou com domínio dos azuis e brancos, e os homens de Petit a defender de forma muito compacta num bloco baixo. Mas o FC Porto ia mostrando bastante energia no ataque, principalmente através de Luis Díaz.

E foi precisamente por iniciativa do colombiano que os dragões chegaram à liderança. Num passe longo para a esquerda no seguimento de um canto, Silvestre Varela tinha, aparentemente, o controlo do bola, que saiu demasiado longa para os jogadores portistas. Contudo, o extremo atrapalhou-se por completo, e ofereceu a bola a Díaz. O extremo sul-americano tocou a bola para o lado, onde estava Taremi completamente livre. O iraniano tinha apenas que encostar a bola para o fundo das redes, e foi isso que fez. Estava feito o 1-0.

O Belenenses SAD tentou subir um bocado o ritmo da partida, e conseguiu ter um bocadinho mais de bola, e uma ou outra aproximação à área. Contudo, foi o FC Porto a voltar a faturar, numa bela jogada coletiva dos dragões no minuto 28. Com a equipa mais inclinada para a esquerda, Otávio vira o jogo para o flanco direito, onde João Mário, com mais espaço, pôde ir para cima do adversário. Conseguiu ganhar o duelo, entrar na imediações da área, onde cruza para a entrada da área. Aí aparece Marko Grujic, que remata de primeira de forma cruzada para o 2-0.

O Belenenses SAD teve a a sua primeira grande oportunidade pouco depois, aos 30′, com Varela a acertar em cheio da barra depois de um cruzamento de Rúben Lima na esquerda.

Aos 33′, Taremi combinou de forma fantástica com Otávio, primeiro com uma simulação e depois com uma desmarcação, entrando na área e recebendo o passe do brasileiro. Rematou para o fundo da baliza, mas o árbitro apita uma falta no momento em que Otávio faz o passe. Um erro claro, ao não dar a lei da vantagem e a beneficiar o infrator.

O clube que atua no Jamor teve ainda uma oportunidade de ouro para reduzir, aos 41′, depois de uma bela jogada de Miguel Cardoso que sentou Pepe. Contudo, no um para um com Marchesín, o português não conseguiu sair por cima, com grande defesa do guardião argentino. A partida partiu assim para o intervalo com o marcador de 2-0.

A segunda metade foi, novamente, toda de um sentido, com o FC Porto muito por cima. Abriu o marcador aos 50′, com uma recuperação de bola alta de Taremi sobre Cafú Phete, com a bola a sobrar para Toni Martínez, que não desperdiçou em frente a Kritciuk.

Com o desfecho da partida praticamente fechado, Sérgio Conceição rodou a equipa, fazendo jogar alguns jogadores mais jovens. A confiança estava em alta, e a equipa teve bons momentos de troca de bola. Já o Belenenses SAD continuava a mostrar debilidades no processo ofensivo, e não importunou Marche.

O resultado final ficou fechado em 4-0, depois de um golo de Diogo Leite no seguimento de um livre lateral na direita batido na perfeição por Fábio Vieira. O central saltou mais alto que toda a gente, e marcou o seu primeiro e único golo da época.

O FC Porto terminou a temporada com nota máxima, com mais uma boa exibição e muitos golos.

A FIGURA
FC Porto
Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Marko Grujic – as possibilidades para o melhor em campo eram muitas nesta boa exibição do FC Porto. Taremi deu continuidade ao seu bom momento de forma, Luis Díaz mostrou mais uma vez que termina bem a época, mas Grujic acabou por merecer mais que os colegas. Fez um jogo irrepreensível, praticamente sem falhas. Distribuiu sempre muito bem o jogo, pausando e acelerando quando era preciso, e ainda foi coroar o seu jogo com um belo golo depois de assistência de João Mário.

O FORA DE JOGO
Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Belenenses SAD – Um jogo, em geral, muito abaixo da média por parte dos homens de Petit. A equipa não foi capaz, como é usual, de ser competente defensivamente, abrindo muito espaço para os jogadores portistas. Já no ataque é difícil culpar tanto a formação, mas esperava-se um bocadinho mais dos jogadores mais adiantados.

ANÁLISE TÁTICA – FC PORTO

Equipa que ganha, e principalmente que joga bem, não muda, e foi isso mesmo que Sérgio Conceição fez. Fez apenas uma alteração forçada, devido ao castigo de Uribe, voltando Sérgio Oliveira ao onze. Em termos táticos, tudo se manteve – o 4-4-2 habitual, com as mesmas nuances das últimas partidas.

Um esquema algo assimétrico, com a equipa mais descaída para o lado esquerdo com bola, abrindo depois em João Mário que fazia todo o lado direito. Isto porque Otávio, que partia da direita, movimentava-se muito pelo campo, quase nunca estando no seu flanco de origem. Grujic era o médio mais centrado, a distribuir jogo desde perto dos centrais até mais perto da área. Sérgio Oliveira tinha a função mais de box-to-box, e fletia também bastante na esquerda.

Dentro dos jogadores mais atacantes, Luis Díaz mantinha-se perto da linha na esquerda, de forma a garantir a largura já que Manafá não avançava tanto no terreno como João Mário. Taremi era o avançado que recuava para ligar jogo, enquanto que Toni Martínez fixava mais os centrais e atacava a profundidade.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Marchesín (7)

João Mário (7)

Pepe (7)

Diogo Leite (7)

Manafá (6)

Sérgio Oliveira (6)

Marko Grujic (8)

Otávio (7)

Luis Díaz (7)

Mehdi Taremi (8)

Toni Martínez (7)

SUBS UTILIZADOS

Fábio Vieira (6)

Evanilson (6)

Francisco Conceição (6)

Romário Baró (6)

Carraça (5)

ANÁLISE TÁTICA – BELENENSES SAD

O Belenenses SAD, nesta última partida, também não descurou do que tem sido a forma de jogar da equipa. Petit fez alinhar um 3-4-3 a jogar de forma bastante defensiva, de forma a tentar conter um FC Porto que tem estado em grande no ataque.

Na fase inicial da partida, os onze de azul escuro posicionavam-se num bloco baixo, com a equipa bastante compacta, a defender num espaço muito reduzido. Contudo, com o golo inicial dos dragões, a equipa foi obrigada a ter que ir atrás do jogo, e os espaços começaram-se a abrir, principalmente entre defesa e meio-campo.

Os dois médios do duplo pivot, Afonso Taira e Afonso Sousa, deixavam muito espaço nas suas costas, e os centrais de fora também não foram capazes de reduzir a distância. Desta forma, os avançados do FC Porto tinham espaço para atuar, e o Belenenses SAD sofreu bastante.

No ataque, Cassierra baixava bastante para ajudar a ligar o jogo, com Varela e Miguel Cardoso, os dois extremos, com muita liberdade para circular no campo, sempre à procura de uma brecha na organização defensiva dos azuis e brancos. Dos do meio-campo, Afonso Sousa era o que mais se aproximava aos da frente para tentar criar perigo.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Kritciuk (6)

Diogo Calila (5)

Gonçalo Silva (5)

Cafú Phete (5)

Tomás Ribeiro (5)

Rúben Lima (5)

Afonso Taira (6)

Afonso Sousa (6)

Miguel Cardoso (6)

Cassierra (6)

Silvestre Varela (5)

SUBS UTILIZADOS

Chima Akas (5)

Yaya Sithole (5)

Nilton Varela (6)

Bruno Ramires (5)

Francisco Teixeira (5)

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

FC Porto

Sérgio Conceição não compareceu à conferência de imprensa no final do jogo

Belenenses SAD

Petit não compareceu à conferência de imprensa no final do jogo

Anúncio Publicitário

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome