Anterior1 de 3Próximo

O FC Porto recebeu e venceu a turma sadina, à segunda jornada, no Estádio do Dragão. Esta foi a primeira vitória dos dragões na Primeira Liga e Zé Luís foi o grande destaque da partida. Aquele que no início era um dos reforços, pouco pretendido pelos adeptos, mostrou neste jogo todas as suas valências ao fazer um hat-trick. Luis Díaz também marcou na goleada do FC Porto frente ao emblema setubalense.

O primeiro aviso, aos dois minutos, foi mesmo do homem do jogo. Após canto batido por Alex Telles, Zé Luís aparece fora de marcação da defesa adversária no centro da pequena área e cabeceia para uma grande defesa de Makaridze. Estava já feito o desafio ao guardião georgiano.

Os dragões estavam em ameaça constante e desta feita foi Alex Telles que, de pontapé de livre direto e rasteiro, fez a bola esbarrar no ferro da baliza. O esférico ainda ressaltou para Marcano, mas a defesa do Vitória FC disse “presente” e evitou o primeiro golo da noite.

Após duas grandes situações de perigo, acabaria por chegar o golo do cabo-verdiano. Boa recuperação de Matheus Uribe que faz com que a bola ressalte para Díaz e o colombiano serve para Zé Luís, que bem longe da baliza, remata com força e faz levantar o Estádio do Dragão pela primeira vez. Estava feito o 1-0 para a equipa da casa e o jogo estava prometedor para o FC Porto.

Marega quase fez o segundo golo da partida poucos minutos depois. Danilo Pereira iniciou a jogada com uma bola pelo ar pelo flanco esquerdo, Alex Telles recebe e cruza para o desvio de cabeça de Moussa Marega, que por pouco não se estreou a marcar no campeonato. O jogo estava animado e os adeptos já só queriam outro golo.

Apesar da boa exibição do FC Porto até ao momento, Danilo quase comprometia e deixava o Vitória FC fazer o empate, não fosse Marchesín fazer uma defesa enorme, mostrando bem o porquê de ser o escolhido. O lance iniciou-se pelo lado esquerdo e Danilo não conseguiu efetuar bem o corte. Hachadi estava no sítio certo, mas a finalização também não foi das melhores.

Alex Telles sofreu falta, bateu o livre em forma “chuveirinho” para a grande área e Pepe sobe nas alturas alterando a trajetória da bola para Zé Luís, que cabeceia com força e faz o segundo tento na partida. A exibição de Zé Luís já estava a deixar em êxtase os adeptos portistas, mas ainda se podia esperar muito mais do ponta de lança.

Romário Baró também queria mostrar serviço e fazer “ver” os mais velhos com um remate bem distante da baliza de Makaridze, mas foi à figura do guarda-redes do Vitória FC. Danilo Pereira também quis tentar de longe e desafiar Baró, mas desta vez a bola levava mais força, uma vez que o guardião não conseguiu segurar o esférico.

A equipa portista já vencia ao intervalo com bis de Zé Luís
Fonte: Bola na Rede

Uma primeira parte com boas indicações do FC Porto e com uma vantagem, teoricamente, segura, muito graças a Zé Luís que fazia, até ao momento, uma exibição muito inspirada. Os adeptos esperavam mais golos e ainda mais ação na segunda parte do jogo e o FC Porto correspondeu às expetativas.

No entanto, o primeiro aviso do segundo tempo foi mesmo do Vitória FC por Carlinhos. Inspirou-se em Danilo e em Baró e de fora de área, a descair para o lado direito do ataque sadino, mandou uma bomba para Marchesín, mas o argentino estava atento.

Só aos 63 minutos é que o FC Porto respondia ao sinal da equipa de Setúbal e foi logo com o terceiro golo e quem mais poderia ser? Zé Luís, o herói da noite, fez o terceiro golo e carimbou o hat-trick no encontro. Alex Telles, mais uma vez, presente no lance do golo, ao bater o pontapé de canto para a saída de Makaridze. O avançado dos azuis e brancos foi mais rápido e de cabeça, subiu ao segundo andar para enviar a bola para o fundo das redes.

Bastou um, apenas um minuto, para acontecer o quarto golo. Tudo começa em Uribe e na recuperação de posse de bola no lado direito do ataque dos dragões. O colombiano serve para Zé Luís que por sua vez faz um passe em abertura para Marega e bastou um sprint para dentro da grande área para servir Luis Díaz que de primeira torna o resultado em “goleada”. Boas movimentações por parte da equipa do FC Porto neste lance que culmina no primeiro golo de Díaz no campeonato.

Muito pouco tempo depois, Nakajima, que entrara para o lugar de Baró, mostrou ter um cérebro (e um músculo também) nos pés, ao deixar um adversário para trás e bombear a bola em direção à baliza. Saiu um pouco ao lado, mas Makaridze não tinha qualquer hipótese.

O Vitória FC queria sair do Estádio do Dragão com indicadores positivos e a 15 minutos do fim Marchesín foi chamada a intervir e que intervenção! Dupla defesa do novo guarda-redes do FC Porto após remates de Hachadi e Éber Bessa, respetivamente. Na segunda defesa a bola ainda bate na barra, mas Marchesín ainda foi buscá-la antes que alguém pudesse desviar. Grande exibição também do guardião portista.

Por fim, a última oportunidade partida foi de Soares, que entrou para a saída de Marega. Danilo abre para o lado esquerdo, o brasileiro aparece e remata cruzado, mas naquela baliza já não haveriam mais golos.

Terminava assim a partida, primeira vitória no campeonato da equipa da cidade Invicta e com uma grande expressão. Indicadores bastantes positivos por parte da equipa de Sérgio Conceição antes da deslocação ao SL Benfica. Os adeptos puderam ver uma resposta às duas derrotas nos jogos anteriores e com toda a certeza que os apoiantes da equipa portista esperam ver esta forma nos próximos jogos. O FC Porto está neste momento no terceiro lugar da Primeira Liga, à condição, e o desafio da terceira jornada é importante para o futuro da turma portista.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

FC Porto: Marchesín; Corona, Pepe, Marcano, Alex Telles; Baró (Nakajima 67’), Danilo, Uribe, Díaz; Marega (Soares 71’) e Zé Luís (Fábio Silva 78’).

Vitória FC: Makaridze, Mano, Artur Jorge, Bruno Pires e Sílvio; Éber Bessa, Nuno Valente, Leandro Vilela (Carlinhos 46’); Zequinha, Hildeberto (Mansilla 67’) e Hachadi.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários