logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

FC Porto x FC Vizela

FC Porto 4-2 FC Vizela | A um ponto do título

A CRÓNICA: REAÇÃO PORTISTA À REAÇÃO VIZELENSE COLOCA PORTO COM UMA MÃO NO TÍTULO

Já na reta final da maratona que é este campeonato, o FC Porto, muito bem embalado para recuperar o título nacional, recebeu o FC Vizela, equipa que ainda não tem a manutenção garantida, mas encontra-se na décima quarta posição, seis pontos acima de um lugar de playoff.

Depois de 20 minutos em que a equipa da casa quase poderia ter alugado o seu meio-campo, lá apareceu a primeira grande oportunidade dos dragões, que resultou logo em golo. Pedro Silva pousou a bola para sair a jogar, esquecendo-se da presença de Evanilson. O avançado brasileiro roubou a bola ao guarda-redes e, com muita classe, inaugurou o marcador para os dragões.

Ao minuto 25′ chega o segundo. Na sequência de um livre, Grujic é carregado em falta na área vizelense. Após o recurso ao VAR, Manuel Mota apontou para o castigo máximo. Taremi foi chamado à cobrança e não desiludiu. 2-0 para os dragões.

À passagem do minuto 35′, reduz a turma vizelense, na primeira aproximação à baliza portista. Boa jogada de contra-ataque coletiva, que termina à entrada da área nos pés de Mendez. O americano tirou dois homens da frente com uma finta de corpo e lançou um míssil que só parou no fundo das redes da baliza defendida por Diogo Costa. Golo do outro mundo.

O Vizela entrou com tudo na segunda parte e logo aos três minutos, empata a partida. Nuno Moreira parte da esquerda para dentro e, aproveitando um desvio num adversário, bate o guardião portista com um remate de fora da área.

O jogo continuava animado e, ainda dentro do primeiro quarto de hora da segunda parte, o FC Porto volta a colocar-se em vantagem. Na ressaca de um canto Pepê cruza para a área e Mbemba aparece “à ponta de lança”, a finalizar com um belíssimo remate.

Já muito perto do minuto 90′, chega o golo da tranquilidade para a equipa da casa. Boa jogada de Francisco Conceição, partindo da direita para dentro, e com um cruzamento-remate, assiste Taremi para o golo. O iraniano foi travado por Pedro Silva à primeira, mas à segunda não conseguiu suster o remate do avançado portista. 4-2 para os da casa.

Final da partida, vitória da equipa portista, que fica assim a um ponto do título, que pode ser conseguido no sofá, já amanhã, se o Sporting CP não vencer o Gil Vicente. Caso isso não aconteça, o FC Porto só precisa de um empate no Estádio da Luz, podendo sagrar-se campeão na casa do rival.

A FIGURA

FC Porto x FC Vizela
Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Otávio – O sonho de qualquer treinador. Otávio pode ser o que Conceição quiser, que joga sempre bem. À direita, à esquerda ou ao centro, pode-se sempre esperar o melhor. No fim de tarde de hoje, mais uma belíssima exibição daquele que é uma das figuras do Porto de Sérgio Conceição.

O FORA DE JOGO

FC Porto x FC Vizela
Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Anderson – Foi muito exposto à pressão alta portista, tendo entregue muitas bolas na construção da equipa vizelense. Sempre muita dificuldade com os movimentos de arrastamento de Taremi e Evanilson. Jogo muito abaixo do que o que se pedia.

ANÁLISE TÁTICA – FC PORTO

Como já é seu apanágio, a equipa portista alinhou no 4-4-2, bastaste variável e com trocas constantes em vários setores do terreno. Sérgio Conceição repetiu o onze da derrota frente ao SC Braga, na última jornada.

Com uma pressão altíssima desde os primeiros momentos do jogo, a equipa portista foi começando a sentir-se confortável na partida desde o minuto 1, sendo que o primeiro golo surgiu mesmo de uma recuperação de bola numa zona avançada do terreno.

Vitinha, como sempre, foi o maestro. Otávio ajudou a carregar a batuta.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Diogo Costa (6)

Pepê (7)

Mbemba (8)

Pepe (7)

Zaidu (6)

Grujic (6)

Vitinha (7)

Otávio  (8)

Fábio Vieira (6)

Evanilson (7)

Taremi (8)

SUBS UTILIZADOS

Uribe (7)

Francisco (7)

Wendell (6)

Galeno (6)

Eustáquio (-)

ANÁLISE TÁTICA – FC VIZELA

O FC Vizela, fiel a si mesmo, quis praticar o seu futebol apoiado, mas desde início teve algumas dificuldades para o fazer, muito derivado da pressão intensa da equipa portista. Em relação ao último jogo, Álvaro Pacheco apenas mudou uma peça em relação ao xadrez do último jogo, saindo Cassiano para a entrada de Nuno Moreira.

Organizados no 4-3-3 (4-1-4-1 a defender), tiveram dificuldades em suster os ataques dos azuis e brancos, mas foram eficazes no capítulo ofensiva. Schetinne jogou como referência (mesmo não o sendo) e Nuno Moreira causou perigo da esquerda para dentro.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Pedro Silva (5)

Igor Julião (6)

Anderson (4)

Ivanildo (5)

Ofori (5)

Mendéz (6)

Claudemir (-)

Samu (6)

Kiko (6)

Nuno Moreira (7)

Schettine (5)

SUBS UTILIZADOS

Guzzo (6)

Zohi (5)

Guo (-)

Koffi (-)

Sarmiento (-)

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

FC Porto

Não foi permitido ao BnR colocar pergunta ao técnico Sérgio Conceição.

FC Vizela

Bola na Rede: O FC Porto o entrou muito forte na partida, tendo na sua pressão uma das armas mais fortes como já é habitual. Mesmo assim, a equipa do FC Vizela não deixou de querer jogar e chega ao golo através de uma jogada de contra-ataque apoiada. Pergunto-lhe qual foi a sua ideia, quando se apanha a perder por dois golos aos 25 minutos num estádio como este e o que tentou passar para os jogadores para acontecer a ótima reação que aqui vimos.

Álvaro Pacheco: Tínhamos preparado o jogo a contar com esta pressão, com este ambiente e treinamos para conseguir fazer mossa ao FC Porto. Sentimo-nos confortáveis com esta pressão e acho que estávamos a conseguir fazê-lo. Tivemos dois erros que nos complicaram a vida mas a principal mensagem que passamos foi antes do jogo, que preparamos bem e sabíamos que teríamos de vir aqui jogar com orgulho e a ser Vizela.

O Francisco é natural de Santo Tirso. Encontra-se a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Sempre teve uma paixão enorme pelo deporto, sobretudo pelo futebol. Tem também um gosto especial pelo basquetebol, mais concretamente NBA. Jogou futebol durante 13 anos, mas agora é na vertente do treino que vai continuando o bichinho pela modalidade.

O Francisco é natural de Santo Tirso. Encontra-se a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Sempre teve uma paixão enorme pelo deporto, sobretudo pelo futebol. Tem também um gosto especial pelo basquetebol, mais concretamente NBA. Jogou futebol durante 13 anos, mas agora é na vertente do treino que vai continuando o bichinho pela modalidade.

FC PORTO vs CD TONDELA