A CRÓNICA: VARZIM SC VENCE E RESPIRA FUNDO NO INÍCIO DA SEGUNDA VOLTA

A jornada 18 ditou o princípio da segunda volta da Segunda Liga e o confronto direto entre os dois últimos classificados. Foi no campo do Olival que o FC Porto B recebeu os «poveiros», ao passo que as condições do Dr. Jorge Sampaio não auferiam garantias.

Do lado do FC Porto B, após um empate «à justa» diante o SL Benfica B, era fulcral somar pontos para sair da zona de despromoção, ao passo que a chamada de Cláudio Ramos à equipa secundária sublinhava esta urgência de pontos . Do lado do Varzim SC, sob o comando de José Esteves para esta partida, o objetivo passava por ultrapassar o FC Porto B na classificação e somar a segunda vitória em 2021.

O jogo alvorecia com a equipa da casa a assumir o controlo do jogo, com linhas bem subidas e com muitos homens em zona ofensiva, contudo a toada da temporada manteve-se. FC Porto B ataca muito, o FC Porto B sofre na primeira investida do adversário. Assim aconteceu e o Varzim SC inagurou o marcador. Ao minuto 19, um canto ao segundo poste surtiu numa sequência de remates da equipa forasteira, obrigando a duas defesas de nível elevado a Cláudio Ramos, que não obstante não segurou o 3º tento do central Luís Pedro.

Anúncio Publicitário

A partir do golo, a equipa de José Esteves respirou com bola e os desiquilíbrios no ataque apareciam comodamente e em grande número, sendo que a organização defensiva portista denotava-se muito delicada e quebrável. Do lado azul e branco, a resposta ao golo visitante demonstrava-se insegura e inconsequente, na medida em que o rompimento das linhas “poveiras” acontecia principalmente sob a responsabilidade de Gonçalo Borges e Francisco Conceição. A dupla de médios Rodrigo Valente e Tiago Matos apresentou-se uma nulidade, quer na criação ofensiva, quer na transição defensiva.

As principais oportunidades pertenciam à «turma» forasteira, que no entanto não conseguiu incrementar a vantagem para os dois dígitos. Ao intervalo o Varzim SC vencia por 1-0.

A saída dos balneários trouxe um FC Porto B mais expedito, com muita chegada ao último terço, contudo nada mais que isso- com chegada- porque o momento da finalização era facilmente controlável pela defensiva forasteira que não teve problemas em oferecer a iniaciativa à equipa da casa.

Em suma, o jogo manteve o mesmo formato durante os restantes 45 minutos de jogo. A equipa da Póvoa de Varzim, dito isto, controlou com firmeza todas as operações sem bola e aproveitou-se da ineficácia de um FC Porto B que se manteve muito perdulário no momento da definição. Ora, por fim, com esta derrota, o FC Porto B cai para o último posto da tabela e o Varzim SC consegue “escalar” três pontos na luta pela manutenção nesta Segunda Liga.

 

A FIGURA

Luís Pedro – Marcou o único golo do jogo, foi decisivo nas bolas paradas defensivas e foi chave na organização defensiva dos poveiros. Fundamental nos dois lados do campo, Luís Pedro merece o realce depois de um duelo direto entre duas equipas que pretendem fugir da despromoção.

 

 

O FORA DE JOGO

Organização defensiva do FC Porto B – Apesar das falhas na definição perto da baliza adversária, os erros eram peremptórios em organização defensiva. Os jogadores, do meio campo para trás, tiveram desconexos e as falhas de comunicação foram a premissa para vários erros que se iam sucedendo. Cláudio Ramos foi o principal elemento na manutenção da margem mínima até final.

 

ANÁLISE TÁTICA- FC PORTO B

A equipa comandada por Rui Barros alinhou-se num 4-1-4-1, com uma linha de quatro bem definida à frente de Mor N’diaye, deslocando Francisco Conceição e Borges para as linhas, não obstante ambos deslocando-se intermitentemente para o meio, oferecendo a largura aos laterais. A organização e transição defensiva voltou a ser um problema gritante na equipa portista, ao passo que a primeira fase de construção do adversário apenas sentiu dificuldades nos primeiros minutos, sendo que no desenrolar do jogo, os centrais faziam a ligação com o setor intermediário com grande facilidade.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Cláudio Ramos (7)

João Marcelo (5)

Pedro Justiniano (4)

Rodrigo Conceição (6)

Diogo Bessa (6)

Mor N’diaye (6)

Tiago Matos (3)

Rodrigo Valente (6)

Francisco Conceição (6)

Gonçalo Borges (6)

Namaso (5)

SUBS UTILIZADOS

Johan Gómez (6)

Carlos Gabriel (-)

Igor Cássio (5)

Boateng (5)

 

ANÁLISE TÁTICA- VARZIM SC

A equipa orientada por José Esteves perfilou-se em 4-4-2, modificando-se várias vezes para um 4-5-1 em organização defensiva e 4-3-3 em organização ofensiva. Os movimentos dos laterais nos dois lados do terreno, a profundidade auferida pelos homens da frente e a segurança defensiva garantida pelos médios centro e defesas centrais seguraram a vitória e a ascensão ao penúltimo lugar na classificação.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ricardo (8)

Cerveira (7)

Luís Pedro (8)

André Micael (6)

Tiago Almeida (6)

André Leão (6)

Rui Moreira (4)

Lessinho (6)

Ahmed (6)

Patrick (6)

Agdon (5)

SUBS UTILIZADOS

Tembeng (6)

Irobiso (6)

Ofosu (6)

Diarra (-)

Fatai (5)