O objetivo do FC Porto foi conseguido com o apuramento em primeiro lugar do grupo para a próxima fase da Liga Europa, mas a nota artística não foi elevada. Num grupo equilibrado e com alguma qualidade era de esperar jogos complicados e já se sabia que esta fase não ia ser “um passeio no parque”, mas não era esperada tanta dificuldade.

O nível exibicional foi medíocre e em seis jogos não se consegue encontrar uma boa exibição do FC Porto.

As mudanças profundas que o onze base sofreu tem contribuído para esta inconstância exibicional, embora as contratações tenham sido de qualidade, as rotinas demoram o seu tempo a criar e, acredito que, na próxima fase da Liga Europa o FC Porto vai aparecer bem mais forte. A competitividade desta competição está fortíssima e, com equipas como o FC Internazionale e o FC Ajax, a possibilidade de vencer o troféu fica bem mais complicada mas o prestígio Europeu do FC Porto coloca o clube como um dos candidatos.

É certo que até ao momento a época não tem sido brilhante, mas também é verdade que continua com a possibilidade de vencer todas as competições em que está envolvido.  Algumas opções do treinador portista podem ser questionáveis mas, também é verdade, que o FC Porto de Sérgio Conceição é sempre competitivo e ao longo destas três épocas os azuis e brancos mostraram ser a equipa portuguesa mais consistente nos seus resultados.

Corona tem sido o maior destaque deste FC Porto
Fonte: Diogo Cardoso/Bola na Rede

O plantel tem imensa qualidade e, na minha opinião, pode render muito mais. Em termos comparativos acho o plantel do FC Porto mais equilibrado e, com mais qualidade, do que o do seu principal rival SL Benfica. E, ao contrário das épocas anteriores, o mercado de inverno vai ser pouco movimentado no dragão.

Os regressos de Sérgio Oliveira e Romário Baró são importantes e dotam a equipa de várias soluções para o meio-campo. Uma das “pedras no sapato” do treinador portista tem sido a posição de defesa direito e é uma questão que deve ser resolvida rapidamente. Acredito que Corona vai ser novamente a solução encontrada.

O plantel e a estrutura do FC Porto precisa de tranquilidade e alguns casos que aconteceram recentemente devem ser rapidamente “enterrados”, e o foco tem de ser total no que realmente interessa, que é o Futebol. Os meses de Janeiro e Fevereiro vão ser decisivos no desenlace da época e acredito que o FC Porto vai voltar a dar uma resposta positiva.

Foto de Capa: Diogo Cardoso/Bola na Rede

Artigo revisto por Joana Mendes

 

Comentários

Artigo anteriorVAR: Um sonho decadente
Próximo artigoÉ caso para dizer “o Cruzeiro afundou”
É um eterno apaixonado por desporto, tem no futebol a sua maior paixão. Desde muito jovem que se dedica ao estudo e à análise de todas as vertentes futebolísticas. Foi treinador no futebol de formação, e atualmente colabora na área do “scouting". Apaixonado pelo jornalismo desportivo, é adepto do FC Porto e no futebol internacional tem simpatia pelo Barcelona.                                                                                                                                                 O Luís escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.