Há uns tempos, escrevi um artigo que falava sobre aquilo que era “o jogo das oportunidades”. Basicamente, tinha feito uma análise às vantagens que as cinco substituições na Liga Portuguesa poderiam trazer para o FC Porto. Muitos jovens e jogadores que não viam uma luz ao fundo do túnel, finalmente encontraram um raio a seguir.

Desde a retoma do campeonato, tem-se assistido ao aparecimento de inúmeros jovens da formação portista que prometem rapidamente afirmar-se no panorama azul e branco e no Futebol Nacional.

Por outro lado, vários jogadores que estavam lesionados e jogavam pouco tiveram a oportunidade de sonhar e concretizar aquilo que pretendiam tanto: jogar com um pouco de maior regularidade e aparecer nas convocatórias de Sérgio Conceição. Desenganem-se aqueles que pensam que isto tudo só está a acontecer devido ao maior número de substituições e de jogadores no banco. Trata-se de qualidade e de índices motivacionais que dão a estes suplentes de luxo qualidade suficiente para entrar em qualquer jogo do FC Porto e deixar a sua marca.

Passando então a uma análise do impacto dos suplentes no jogo do FC Porto, a maior ilustração que se pode fazer desta preponderância daqueles que entram é que em grande parte dos jogos depois da retoma (com exceção do jogo com o CD Aves, CS Marítimo e FC Paços de Ferreira), o FC Porto marcou depois de efetuada a primeira substituição. Desde o início do campeonato foi 40% a percentagem de golos marcados após a primeira substituição.

Anúncio Publicitário

Olhando de uma forma mais particular e específica, vou apresentar alguns jogadores com uma ordem de preponderância ao entrar nos jogos do FC Porto.

Começamos com Fábio Silva que, a espaços, consegue ir ganhando espaço nas convocatórias do FC Porto, mas ainda não está a render o necessário para se afirmar a 100% de dragão ao peito. No entanto, o futuro promete ser risonho para o novo menino 125 milhões de Portugal. Um dos jogos em que entrou foi contra o Belenenses SAD.

Vitinha também é uma presença assídua nas substituições de Sérgio Conceição com maior regularidade que Fábio Silva. Ainda não se estreou a marcar, mas sempre que entra faz uma diferença incrível. Trata a bola por tu e dá um toque técnico ao jogo do FC Porto que raramente se vê. Um novo João Moutinho com um chapéu de mágico faz de Vitinha um verdadeiro suplente de luxo.

Vou agora abordar um caso de um titular que consegue também ser um suplente de luxo. E que suplente! Luis Díaz é um verdadeiro agitador de jogos. As suas constantes diagonais e explosões na linha pelo corredor direito fazem do extremo colombiano uma verdadeira dor de cabeça para as defesas adversárias. Consegue conquistar grandes penalidades com facilidade, arrancar faltas e cartões aos adversários que são ultrapassados, e fazer um lance individual que leva ao desespero de todos inicialmente… No final, todos gritam golaço! O Belenenses SAD que o diga. A pergunta que faço é: Será Luis Díaz um jogador para a titularidade ou para entrar e resolver?

Por falar em titulares que também são bons suplentes, o último caso preponderante foi o capitão Danilo Pereira. Entrou frente ao CD Tondela após a lesão de Sérgio Oliveira e marcou no início do segundo tempo. Mais um golo para a equipa do banco de suplentes.
Agora vem aí aquele que, a par de Luis Díaz, é uma arma secreta. Fábio Vieira. Há quem diga que é um misto de Bernardo Silva e Bruno Fernandes. Nos últimos jogos diria que consegue ser isso e muito mais.

Com uma irreverência típica de um miúdo, mas com uma maturidade invulgar, Fábio Vieira está a conquistar o seu lugar entre os adeptos e na equipa principal do FC Porto! Parece que agora sempre que entra marca e deixa brilho no jogo! É um jovem de 20 anos que marcou de livre frente ao Belenenses SAD (no lugar de Alex Telles) e assumiu com sucesso uma grande penalidade frente ao CD Tondela. Se isto continuasse assim, estávamos perante um médio de topo a nível mundial. É bem possível que um dia Fábio Vieira seja reconhecido assim. No FC Porto é para continuar e o clássico frente ao Sporting CP pode ser uma porta para a titularidade. Cuidado com o seu pé esquerdo!

Estes são os principais nomes preponderantes, mas já vimos outros jogadores entrarem como Zé Luís, Aboubakar, Uribe e Loum. Nem todos brilham da mesma forma, mas as oportunidades estão aí e são para aproveitar.

Isto leva-me a concluir com a expressão que está no título deste artigo e que muitas vezes foi negada por muitos. Atenção, FC Porto! Também há luxo no banco!

Comentários