Esta semana joga-se a segunda mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões.

Amanhã, FC Porto e Liverpool FC vão defrontar-se no Estádio do Dragão em busca do bilhete dourado para as meias-finais. Os ingleses entrarão em campo com uma vantagem perigosamente confortável de dois golos e com uma enorme dose de favoritismo na bagagem. O FC Porto entrará em campo na esperança de que um golo inaugural e o retardar de um golo da equipa forasteira lhe abram uma pequena janela de oportunidade para tornar realidade um sonho que parece impossível.

As duas equipas chegam a esta fase da temporada em situações muito semelhantes. Ambas percorreram grande parte dos seus respetivos campeonatos no primeiro posto, mas acabaram por sucumbir à pressão dos adversários diretos e fazem agora o papel de perseguidores. O Liverpool FC leva uma vantagem de dois pontos no comando da Premier League mas sabe que o seu rival direto, o Manchester City, por via do jogo em atraso que tem por realizar, depende apenas de si próprio para se sagrar campeão. Quanto ao FC Porto, chegaram a ser sete os pontos de vantagem face aos perseguidores, mas uma série de empates e a derrota caseira frente ao SL Benfica fizeram a equipa cair para o segundo lugar. Apesar dos dois pontos recuperados desde então e da igualdade pontual, as águias vão-se mantendo na dianteira graças à vantagem no confronto direto.

Portanto são duas equipas que, apesar das desvantagens nas ligas internas, chegam a esta fase com uma inabalada esperança de conquistarem os respetivos campeonatos e com uma segurança emocional arrecadada por vários resultados positivos nas últimas semanas. A separa-las existem dois golos e muitos, muitos milhões de orçamento.

Anúncio Publicitário
Depois da ausência na primeira mão, Pepe e Herrera deverão regressar à titularidade
Fonte: FC Porto

À escala são, até, duas equipas com um estilo e forma de jogar com algumas parecenças. Tanto Klopp como Sérgio Conceição dão primazia à procura da profundidade e a uma rápida reação à perda e uma pressão forte sobre o portador da bola.

Passemos aos escalonamento inicial das equipas.

No FC Porto esperam-se os regressos de Herrera e Pepe depois de terem ficado de fora na primeira mão. Maxi e Óliver serão os sacrificados. Em relação ao onze de Liverpool, resta perceber quem, entre Otávio, Brahimi ou Corona (saiu lesionado em Portimão), vai ficar de fora, uma vez que só deverá haver lugar para dois fantasistas.

Quanto aos ingleses acredito que o onze apresentado será mais ou menos o mesmo que defrontou o FC Porto em Anfield. Ainda assim, eventuais alterações poderão existir por via da incorporação de Robertson, Joe Gomez ou Wijnaldum para os lugares de Milner, Lovren e Keita. O trio mortífero que mora no ataque do Liverpool FC, esse, não deverá ser alterado.

Será um jogo de dificuldade extrema para os comandados de Sérgio Conceição que, apesar da desvantagem, terão que atacar pela certa sob pena de destapar a manta atrás e sofrer um golo que coloque um ponto final na eliminatória.

Em suma, tão importante como marcar será não sofrer. Um golo apenas bastará para colocar os ingleses em sentido e não é imperativo que esse golo tenha que ocorrer sequer nos primeiros 45 minutos. Importa que o FC Porto mantenha a sua baliza inviolada e que consiga ir incomodando o Liverpool e deixando em sentido a defesa da equipa da cidade dos Beatles.

Foto de Capa: FC Porto

Artigo revisto por: Jorge Neves