Joga-se, no Estádio do Dragão, o FC Porto x SL Benfica. Será o terceiro assalto da época. No primeiro o SL Benfica venceu por 1-0 e no segundo a equipa de Sérgio Conceição bateu as águias por 3-1. Entram em campo as duas melhores equipas portuguesas e as únicas que, na minha opinião, ainda têm reais e realistas aspirações de conquistar o título nacional. Entram em campo com um mero ponto a separá-las (favorável aos portistas), e com a certeza de que quem ganhar passará a ser a única equipa a depender de si própria para ser campeã. Depois do apito final do jogo de logo à noite, restarão 10 partidas para o final do campeonato.

Muito se costuma debater acerca de jogos deste caráter. Nunca ninguém nega que são importantes e todos tentam colocar alguma água na fervura na hora de os apelidar de “decisivos”. Não será hoje que se ficará a conhecer o novo campeão nacional, mas vai ser possível levantar um pouco do véu. São duas equipas num extraordinário momento de forma e quem sair desta batalha na frente vai colocar uma mão no título.

Ainda assim, por jogar em casa e pela vantagem que leva na classificação, é o FC Porto que tem a oportunidade de colocar uma pedra mais pesada sobre a questão do primeiro lugar. Uma vitória portista fará alargar a vantagem para 4 pontos e permitirá à equipa de Sérgio Conceição recuperar o conforto pontual que perdeu com os empates no Minho frente a Vitória SC e Moreirense FC. Se, adicionalmente, a vitória se proporcionar por um resultado que lhe garanta vantagem no confronto direto (os Dragões perderam o jogo da primeira volta por 1-0), acredito que o campeonato se decidirá já hoje, pese embora as 10 jornadas que ficarão a faltar e os difíceis jogos que ficarão, ainda, por disputar.

Se a vitória sorrir aos encarnados, o cenário é ligeiramente diferente. A vantagem na frente da tabela passa para 2 pontos e muda de dono. E este é um fator de extrema relevância visto que o FC Porto vem sendo o líder há já várias jornadas. Mais do que o peso pontual, acredito que seria o peso emocional a marcar diferenças. Por um lado, o elã que daria ao Benfica recuperar a liderança na casa do rival e por outro a frustração portista por perder a liderança numa derrota caseira e a ferida que se abrirá por não ter sido capaz de conquistar qualquer ponto frente ao rival direto. Muito mais do que a distância pontual, julgo que seria também um resultado decisivo pelo lado emocional.

Anúncio Publicitário
Será o terceiro jogo entre FCP e SLB esta época. Para já, uma vitória para cada lado
Fonte: FC Porto

Em caso de empate tudo permanecerá igual. O FC Porto ficará com meio ponto de vantagem. E meio porque em caso de igualdade pontual no final do campeonato a vantagem será das águias. Assim, apesar de confirmar o FC Porto como única equipa a depender de si própria para ser campeã, a distância não chegará sequer a ser relevante.

No que concerne ao jogo jogado, as equipas chegam na mó de cima e após uma série de resultados contundentes. O FC Porto acaba de colocar um pé e maio na final da Taça de Portugal após uma vitória por 3-0 sobre o SC Braga e o Benfica vem somando goleadas e boas exibições sob o comando de Bruno Lage. São duas equipas muito verticais e sempre com os olhos postos na baliza, ainda que o SL Benfica privilegie um pouco mais a posse ao invés do FC Porto, que busca incessantemente a rotura na profundidade.

Vamos aos onzes prováveis. No lado do FC Porto existem algumas dúvidas. Na defesa há o ponto de interrogação Militão. Importa perceber se voltará ao onze após castigo interno e se sim quem será o sacrificado. Poderá ser um dos centrais ou Manafá, encostando o jovem brasileiro à lateral direita. No meio campo Danilo será a maior dúvida. Regressa de lesão e Óliver e Herrera têm estado em plano de destaque. No caso da entrada do internacional português entrar na equipa titular, a possibilidade de jogar com os três é a mais provável. No ataque parece claro que Brahimi e Corona serão apostas restando perceber se a aposta para o centro será em Soares ou Marega. Até pode dar-se o caso de jogarem ambos e de se sacrificar um médio. Nesta equação importa, ainda, lembrar os nomes de Ádrian, Otávio ou Fernando Andrade que poderão, igualmente, ter uma palavra a dizer. Portanto, muitas dúvidas no Reino do Dragão.

No lado do SL Benfica são menos as dúvidas. Vlachodimos será o guarda-redes e na defesa deverão alinhar André Almeida, Rúben Dias, Ferro e Grimaldo. No meio campo Pizzi, Gabriel e Rafa têm lugar assegurado e o quarto elemento deverá ser Samaris. Por fim, João Félix, a nova coqueluche encarnada, surgirá no apoio ao renovado goleador, Seferovic.

Em suma, independentemente dos alinhamentos inicias, vão entrar no relvado do Dragão duas equipas com armas poderosas e muito bem orientadas que, em caso de vitória, darão um passo quase definitivo para a conquista do título de campeão nacional. Luzes, câmara, ação. Role a bola.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira