O FC Porto teve, nos últimos anos, excelentes defesas centrais que hoje se encontram em equipas de topo do futebol mundial. Falo de Otamendi, Mangala, Marcano, entre muitos outros.

Mas, de todos estes, há uma dupla de centrais que, na minha opinião, se destacou e notabilizou, não só no FC Porto mas também na Seleção Nacional. São eles Pepe e Bruno Alves.

Dois verdadeiros portadores do que os adeptos portistas chamam a “mística” do clube, quando pisavam o relvado do Estádio do Dragão juntos, eram temidos pelos avançados adversários, tamanha era a agressividade, firmeza e excelência.

Toda a defesa precisa de um “patrão” e Bruno Alves tinha todo o perfil para assumir esse papel. Um central com uma dimensão física notável, com uma capacidade de elevação ao alcance de muito poucos, e com algo que encantava os adeptos portistas: o seu jogo destemido e agressivo que garantia segurança no eixo defensivo portista. Um dos mais notáveis capitães do clube da cidade invicta, digno sucessor de João Pinto e de Jorge Costa.

Já Pepe, talvez um dos melhores defesas centrais que já passaram pelas principais ligas europeias, era um defesa implacável. Além de ser excelente em todos os aspetos já referidos em relação a Bruno Alves, tinha também uma calma com a bola nos pés e uma assertividade no jogo pelo chão, que faziam os adeptos aplaudi-lo e idolatrá-lo. Imperial nas alturas, muito forte no jogo físico e rápido, era detentor de todas as qualidades que um adepto pode querer ver num defesa central da sua equipa. Por algum motivo se assumiu como titular no Real Madrid durante vários anos, após sair do FC Porto.

Felipe tem assumido a chefia da defensiva portista esta época
Fonte: FC Porto

Nesta época, os dragões têm uma dupla que é, também, muito aclamada pelos adeptos. Felipe transitou do ano anterior e assumiu-se como o novo “patrão” da defesa portista. Com a sua determinação no ataque à bola e a sua coragem na hora do corte, é um “central moderno à moda antiga”, que parece ter vontade de prolongar a mística portista por mais uma geração.

Ao seu lado, joga Militão. Considerado por muitos o melhor reforço das últimas épocas do FC Porto, é um jovem brasileiro que chegou do São Paulo com a fama de ser polivalente. Assumiu-se, no entanto, como titular no eixo defensivo ao lado do compatriota Felipe, e tem feito exibições de alto nível. Um defesa central rápido, com um grande timing de corte, uma impressionante elevação e que sabe sair com bola, um aspeto muito importante no futebol moderno. Uma jóia para o futuro, e com muitos “tubarões” do futebol europeu no seu encalce.

Veredicto: Apesar do bom desempenho que têm tido Felipe e Militão, a minha escolha recai em Pepe e Bruno Alves, por todo o seu historial de grandes exibições lado a lado, quer no FC Porto, quer na Seleção Nacional.

Foto de Capa: Bola na Rede

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários