No artigo de opinião que escrevi na passada semana, abordei a chegada de Bruma ao Estádio do Dragão. Chegada essa que nunca chegou a acontecer, tendo o jogador, umas horas mais tarde, assinado pelo PSV Eindhoven. Assim sendo, tentarei ser mais comedido no tema que trago a este espaço esta semana. No entanto, com a imprensa a dar por praticamente garantida a tão proclamada contratação de Zé Luís, sou forçado deixar alguns breves comentários sobre um jogador de se fala há já largas semanas.

É sabido que o cabo-verdiano é um pedido expresso de Sérgio Conceição (que trabalhou com o jogador na sua passagem pela cidade de Braga), ao qual a SAD anuiu, tendo multiplicado esforços para oferecer ao seu treinador o goleador desejado.

Não deixa de ser uma contratação de risco. Pelos montantes envolvidos, pela idade do jogador e pelos números que foi apresentando ao longo da carreira, é normal que algumas dúvidas vão assolando a cabeça dos portistas.

Antes de abordar a vertente desportiva, começo pela questão financeira. A imprensa vai falando em valores entre os 8M€ e os 10M€. Sobre isto digo o mesmo que disse sobre Bruma na passada semana. São valores altos para a realidade portuguesa e tem que ser sempre considerado um risco elevado quando um clube português admite despender quantias desta natureza. No caso de Zé Luís existe a agravante de o jogador estar a caminho dos 29 anos, sendo que muito dificilmente gerará mais valias financeiras no futuro, a menos que acabe transferido para um mercado periférico.

Depois de Renzo Saravia, Sérgio Conceição está perto de receber o segundo reforço para a época 2019/2020
Fonte: FC Porto
Anúncio Publicitário

Assim sendo, a aposta é total no lado desportivo. Acreditam os responsáveis do FC Porto que Zé Luís poderá ser dono e senhor da dianteira do ataque do clube nos próximos três ou quatro anos e que poderá garantir os golos, e acima de tudo uma maior eficácia remate/golo, que faltaram aos avançados do plantel em 2018/2019.

Para que isso seja uma realidade, o jogador terá que conseguir alcançar números que não foi capaz de atingir até hoje. Apesar de épocas interessantes no Gil Vicente FC, no Videoton, no SC Braga e no Spartak, a verdade é que nunca foi capaz de passar a fasquia dos 15 golos por temporada, o que para um jogador da sua posição, com a sua idade e experiência não é o melhor cartão de visita.

Zé Luís, no entanto, é muito mais do que golos. É um jogador com técnica apurada, ágil para a altura que tem (185cm), e forte de costas para a baliza e a jogar em apoios. É um ponta-de-lança interessante que jogando num clube grande do nosso campeonato poderá pulverizar os seus recordes de carreira (um pouco à imagem do que se passou com Seferovic na temporada passada), mas a quem, apesar de mais perfumado, não reconheço capacidade substancialmente superior a Soares, por exemplo.

Em suma, há finalmente fumo branco em relação ao dossier Zé Luís que ameaçava tornar-se na novela deste verão depois de Jorge Nuno Pinto da Costa e Sérgio Conceição terem anunciado no Porto Canal o interesse na sua contratação. É um jogador interessante e para render no imediato e não deixa de ser uma mensagem importante da SAD para o mercado, para o universo portista (que vai desesperando por reforços) e para o treinador de que está, de facto, a trabalhar para oferecer à equipa técnica o tal plantel competitivo de que tanto se fala. A confirmar-se, bem-vindo Zé Luís.

Foto de Capa: SC Braga

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários