Cada vez mais no futebol atual, a celeridade e a pressão em torno da carreira de um atleta é por demais evidente. A linha que separa o sucesso do insucesso é ténue e depressa passas de bestial a besta. Esta pressa instaurada no futebol manifesta-se também na longevidade da carreira de um futebolista. Aos 23 anos já não és um jovem com potencial, és sim um jogador já feito e tens de estar muito próximo do teu pico de capacidade enquanto profissional. No caso de Gonçalo Paciência, a dúvida permanece e é legítima: estará o jogador condenado ao banco de suplentes e a uma saída inevitável dos dragões ou ainda haverá tempo para que Gonçalo seja a referência ofensiva principal do FC Porto ou até mesmo da seleção?

Para tentar responder à questão feita em cima, vamos olhar para os números do atacante português. Em 106 jogos oficiais, Gonçalo leva um total de 26 golos marcados! Para um avançado são números pobres, muito pobres! Para seres o avançado titular de uma equipa como o FC Porto, tens de ter faro para o golo! Os golos são quase o único requisito que determinam o sucesso de um bom ponta de lança. Podes não ser o mais alto, o mais rápido nem o mais tecnicista, mas se marcares então cumpres o teu papel.

Relativamente ao ADN e sangue azul a correr nas veias, Gonçalo Paciência tem isso de sobra. Filho de Domingos Paciência, Gonçalo vive e respira o clube e o seu regresso a meio da época do empréstimo do Vitória SC permitiu ao atacante fazer parte do plantel vencedor do título de campeão nacional.

Apesar de ter disputado poucos jogos, Gonçalo cumpriu o seu papel e foi campeão ao serviço do FC Porto
Fonte: FC Porto

A ironia da alcunha de Gonçalo estará sempre presente na sua carreira. Tem de ser paciente para ter a sua oportunidade no onze titular, mas essa paciência nunca deverá ser confundida com displicência, caso contrário o jogador vai sofrer as consequências e terá de correr atrás do prejuízo. Também no seu empréstimo ao Vitória SC, Gonçalo Paciência deveria ter sido mais paciente. É certo que, com a conquista do campeonato nacional, o jogador viveu um momento único e especial na sua carreira, mas o melhor para o seu desenvolvimento profissional era ter permanecido em Setúbal onde estava a ter a melhor época da carreira

Anúncio Publicitário

Não há dúvidas que Gonçalo Paciência é um jogador esforçado. É pena que isso não chegue! Faltam os golos! Caso o jogador continue no plantel na próxima temporada, não existem dúvidas de que Sérgio Conceição é o homem ideal para potenciar as capacidades adormecidas do ainda jovem atacante. Talvez precise de tempo, talvez precise de ainda mais paciência.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários

Artigo anteriorRevista do Mundial 2018 – Islândia
Próximo artigoO Dicionário de Fernando Santos: Pepe
O Nélson é estudante de Ciências da Comunicação. Jogou futebol de formação e chegou até a ter uma breve passagem pelos quadros do grande Futebol Clube do Porto. Foi através das longas palestras do seu pai sobre como posicionar-se dentro de campo que se interessou pela parte técnica e tática do desporto rei. Numa fase da sua vida, sonhou ser treinador de futebol e, apesar de ainda ter esse bichinho presente, a verdade é que não arriscou e preferiu focar-se no seu curso. Partilhando o gosto pelo futebol com o da escrita, tem agora a oportunidade de conciliar ambas as paixões e tentar alcançar o seu sonho de trabalhar profissionalmente como Jornalista Desportivo.                                                                                                                                                 O Nélson escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.