No final de uma temporada, há sempre jogadores que merecem ser mencionados, engrandecidos. No FC Porto podia falar de vários, mas há um que, para mim, se destaca onde quer que esteja. Tem um amor à camisola inquestionável e uma forma de lutar que merece ser valorizada. Alex Telles tem apenas 26 anos, mas ficará certamente na história do clube, independentemente do futuro e dos clubes que virá a representar.

A velocidade que o acompanha é equiparada à visão apurada de jogo. Defende, assiste e marca e ainda tem resiliência para puxar pelos colegas, mesmo naqueles jogos em que as pernas começam a fraquejar.

Foi chamado esta temporada, pela primeira vez, para representar a seleção canarinha. O momento foi de emoção para o brasileiro que se mostrou agradecido ao FC Porto pela visibilidade que ganhou. Em troca – mesmo que não tivesse de o fazer – decidiu oferecer ao Museu do FC Porto a camisola que usou no primeiro jogo que fez pelo Brasil. A humildade que lhe é característica ficou mais uma vez salientada.

O dia em que Alex Telles ofereceu ao museu do FC Porto a camisola que usou na primeira internacionalização pelo Brasil. Fonte: FC Porto

Esta temporada, pelo FC Porto, foi dos jogadores mais utilizados, com 53 jogos e seis golos marcados. Primeiramente por não haver ninguém que seja tão competente quanto ele e depois porque era visível a vontade de querer participar em todos os jogos. Em muitas ocasiões o corpo começava a ressentir-se e nem assim Alex Telles queria ser substituído. Na cabeça tinha apenas a mentalidade de querer ajudar, de querer ser útil e de querer fazer mais pelo seu clube. Era um dos nomes imprescindíveis de Sérgio Conceição e um dos mais ovacionados pelos adeptos. Neste momento e face a todas as saídas já conhecidas, a presença de Alex Telles é das mais aclamadas. Porque um jogador não é só importante pela forma como joga, mas também pela forma como consegue influenciar dentro e fora de campo.

Anúncio Publicitário

Para mim, é um dos, se não o, jogador que mais se destacou esta temporada e acabou coroado frente ao Roma, para a Liga dos Campeões, a marcar o golo da vitória. Um jogador não é só feito de números, mas há jogadores, como Telles, que merece pequenas recompensas pelo que é e faz. E é possivelmente uma das referências do clube, pelo jogador que é e pelo amor que sente.

Houvesse o milagre da multiplicação e pedia que Alex Telles fizesse uma equipa.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira