Anterior1 de 2Próximo

fc porto cabeçalhoRio Ave e FC Porto cruzam caminhos neste domingo a contar para a 6.ª jornada da Liga NOS, num momento em que as duas equipas nortenhas estão a fazer uma excelente campanha e a praticar um futebol apelativo que agrada os seus apoiantes. No entanto ressalta um aspeto curioso que “mancha” este percurso positivo das duas equipas: ambas perderam o último jogo.

Na passada quarta-feira, no jogo com o Besiktas a contar para a Liga dos Campeões, o FC Porto perdeu o seu primeiro jogo da época. Não só perdeu, como tombou com estrondo na sua fortaleza e para além disso concedeu os primeiros golos da época (e logo três!). Tudo isto é novidade para a turma de Sérgio Conceição e é neste tipo de situações que se apresentam dois tipos de cenários que podem definir o rumo e decurso de uma época: ou o FC Porto reage da melhor forma, servindo a derrota para unir o grupo e motivar ainda mais ou o FC Porto ressente a derrota e entra numa série negativa. Porém, não sejamos pessimistas! Estamos a falar de competições diferentes e na nossa competição, a Liga NOS, os dragões permanecem invencíveis nos resultados e invioláveis na baliza. Como fator motivacional, os pupilos de Sérgio Conceição podem olhar para o jogo de domingo como uma hipótese de vencer seis jogos consecutivos, algo que não acontece desde 2010/11 aos comandos de André Villas-Boas que se recorde uma época de sucesso, podendo portanto ser o prenúncio de algo muito positivo.

Do outro lado surge o Rio Ave que, à exceção dos outros dois grandes, apresenta-se como o adversário mais complicado neste momento para o FC Porto, não só por jogar perante os seus adeptos mas também por apanhar um “dragão ferido”. Os vila-condenses encontram-se neste momento num respeitável 5.º lugar e ainda a algumas jornadas atrás estavam a disputar a liderança com dragões e leões. Todas as épocas as equipas do Rio Ave apresentam-se como uma incógnita do que irá realizar na Primeira Liga, apesar de em teoria lutar sempre por lugares europeus. Para desfazer qualquer dúvida, Miguel Cardoso assumiu o leme da equipa e até agora tem feito um trabalho admirável. O pupilo de Paulo Fonseca vai na sua época de estreia na Liga NOS e até agora tem dado boas indicações, podendo quem sabe, ultrapassar um dia o mestre. Às suas ordens, o “mister” Cardoso conta com craques como Cássio, Tarantini, Rubén Ribeiro, Nuno Santos, Yuri Ribeiro e Chico Geraldes (suspenso), tendo assim o equilíbrio perfeito entre experiência e irreverência.

Francisco Geraldes é a grande baixa na equipa vila-condense Fonte: Rio Ave FC
Francisco Geraldes é a grande baixa na equipa vila-condense
Fonte: Rio Ave FC

Os únicos pontos perdidos até agora pelos vila-condenses foram com o SL Benfica, num empate a uma bola, num jogo envolto em polémica e no qual o Rio Ave praticou um futebol de grande qualidade e na última jornada, a jogar no “Caldeirão” frente ao Marítimo numa derrota pela margem mínima e com um jogador a menos, num campo onde até os grandes costumam tremer.

Apresentadas assim as equipas e respetivos momentos de forma, o jogo entre as duas equipas do Norte encabeça a 6.ª jornada da Liga e, se por um lado o FC Porto quer desfazer todas as dúvidas dos adeptos e provar que a derrota europeia nada abalou as convicções e objetivos no campeonato, por outro o Rio Ave quer continuar o seu percurso positivo e assegurar desde cedo um lugar nas competições europeias.

Fonte: Bola na Rede
Fonte: Bola na Rede
Anterior1 de 2Próximo

Comentários

Artigo anteriorA surpresa Battaglia
Próximo artigoMaracanã, o Templo perdido
O Nélson é estudante de Ciências da Comunicação. Jogou futebol de formação e chegou até a ter uma breve passagem pelos quadros do grande Futebol Clube do Porto. Foi através das longas palestras do seu pai sobre como posicionar-se dentro de campo que se interessou pela parte técnica e tática do desporto rei. Numa fase da sua vida, sonhou ser treinador de futebol e, apesar de ainda ter esse bichinho presente, a verdade é que não arriscou e preferiu focar-se no seu curso. Partilhando o gosto pelo futebol com o da escrita, tem agora a oportunidade de conciliar ambas as paixões e tentar alcançar o seu sonho de trabalhar profissionalmente como Jornalista Desportivo.                                                                                                                                                 O Nélson escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.