fc porto cabeçalhoRecebeu, adiantou um pouco a bola e rematou com toda a sua raça de Dragão para o fundo das redes defendidas por Cláudio Ramos. Que golaço de Rúben Neves! A coroar uma grande exibição e a encher os olhos aos adeptos que se deslocaram ao Estádio de Dragão.

Antes de mais, é importante perceber e realçar que estamos a falar de um miúdo. Tem apenas 19 anos e está a realizar a sua terceira temporada na equipa principal do seu clube de coração. Além disso, é um jogador muito diferente de Danilo Pereira. Será que são incompatíveis no mesmo onze? Não, não são.

Como se verificou no jogo contra o CD Tondela, o FC Porto viu algumas dificuldades em controlar o atrevimento inicial da equipa orientada por Pepa. Uma das razões que vejo para explicar essas dificuldades foi a ausência de Danilo Pereira, uma vez que a equipa que ocupa o último lugar do nosso campeonato conseguiu provocar desequilíbrios no setor mais recuado dos portistas. Muitos desses desequilíbrios, não querendo ser injusto, são explicados pelo fraco posicionamento defensivo de Rúben Neves.

Fonte: FC Porto
Fonte: FC Porto

É aqui que vai começar a minha explicação para a minha opinião sobre o Rúben. Ao contrário de Danilo, ou até mesmo de Fernando, o nosso jovem de 19 anos não vai singrar na posição seis. Tenho esperança que Nuno Espírito Santo perceba que o Rúben tem características que o podem tornar num oito de classe mundial. Já deu para perceber que se sente muito confortável com a bola nos pés, tem uma visão de jogo de alto nível, tem uma capacidade de passe fora do normal, sabe decidir bem no último terço do terreno de jogo e tem um excelente remate fora de área.

É por ter esta ideia que o vejo como uma alternativa e o substituto natural de Óliver Torres. Será que o jovem jogador espanhol é assim tão diferente de Rúben? Ou têm características idênticas? Adaptem o miúdo a oito e logo me dão razão.

Foto de Capa: FC Porto

Artigo revisto por: Francisca Carvalho

Comentários