Após a vitória do FC Porto por 5-0 frente ao GD Chaves, na primeira jornada do campeonato português, Marius Mouandilmadji foi um dos homens mais falados, muito por culpa do golo que marcou nesse mesmo jogo. No entanto, o destino inicial de Marius não era a equipa principal dos dragões.

Foi uma jogada muito bem estudada por parte da equipa de scouting do FC Porto. Chega do modesto Coton Sport FC, clube do principal escalão do futebol camaronês e nasceu no Chade, seleção que com certeza irá representar muito em breve. Destacou-se por ser o melhor marcador da 1ª Liga dos Camarões, em 2018, apenas com 20 anos e foi assim que chamou à atenção dos clubes europeus. Na hora de escolher o próximo passo a ser dado na sua carreira, Marius admitiu ter tido algumas dificuldades. O chadiano queria um clube que lhe oferecesse as melhores condições para continuar a evoluir como jogador e, assim, viu na equipa da cidade Invicta um conjunto de fatores perfeito para atingir patamares ainda maiores.

Só que aquilo que todos os adeptos portistas pensavam quanto ao seu futuro estava completamente errado! Marius era visto como um reforço para a equipa “B” do FC Porto, visto que o seu nome, bem como a sua reputação no futebol mundial, estavam longe de serem “sonantes”.

A aposta e a confiança que Sérgio Conceição tem nos jovens foi uma das grandes razões para Marius optar pelo FC Porto e o treinador português chamou o jovem jogador para fazer a pré-época na equipa principal. E neste caso, Sérgio não falhou!

Marius e Felipe após o golo do jovem ponta-de-lança do Chade
Fonte: FC Porto

No primeiro jogo do campeonato português, Marius entrou aos 81 minutos para o lugar de Vincent Aboubakar, outro “interveniente” na transferência de Marius para os azuis e brancos. O camaronês estreou-se a nível profissional no Coton Sport FC antes de vir para a Europa e Marius viu nele um exemplo a seguir. Assim, depois de Aboubakar fazer dois golos frente ao GD Chaves, Marius só precisou de sete minutos para seguir os passos do camaronês e de cabeça, conseguiu desviar a bola para dentro da baliza adversária.

O jovem do Chade deu uma “chapada de luva branca” naqueles que não acreditavam que o mesmo pudesse dar o seu contributo à equipa e agora com as ausências de Moussa Marega e Tiquinho Soares, Marius com certeza terá mais oportunidades para mostrar aquilo que vale e, quem sabe, agarrar um lugar na equipa do FC Porto.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários