atodososdesportistas

Neste dia natalício, onde o futebol é trocado pelos famosos e típicos pratos de peru e bacalhau, desejo, desde já, uma quadra festiva feliz para todos os leitores do Bola na Rede.

Sem grandes novidades para o lado das hostes portistas, hoje escrevo sobre as prendinhas que gostaria de ver no sapatinho do plantel azul-e-branco. Nunca fui apologista de rupturas no mercado de inverno, a não ser que quem saia, esteja a mais, e que quem entre se revele uma verdadeira mais-valia. Logo, não desejo a integração do central senegalês Abdoulaye no plantel (nem na equipa B) e gostava de ver sair do clube o jovem central Reyes e o centrocampista Evandro – o primeiro por empréstimo para ganhar minutos; o segundo a título definitivo, caso surja uma proposta aliciante. Depois temos os casos de jogadores de enorme qualidade, mas que se encontram “tapados”, e, por isso, o empréstimo seria uma agradável solução: Tiago Rodrigues (fala-se do interesse de Nacional da Madeira); Kelvin (o jovem que deixou Jesus de joelhos, mas que nunca se impôs, sendo a “eterna promessa”); Otávio (brasileiro que tem “samba nos pés” e que, a continuar sem oportunidades na equipa principal, deve ser emprestado a um clube com um treinador que saiba trabalhar jovens, aparecendo o Vitória de Guimarães como a opção ideal). Temos ainda os casos de Ivo Rodrigues, que é claramente jogador a mais para a segunda liga portuguesa, e o excessivo número de guardiões: Helton, Fabiano, Andrés e Ricardo, sendo que a saída do espanhol parece-me a mais acertada, visto que Fabiano tem sido a primeiro escolha, Ricardo é útil na medida em que ocupa uma das vagas a preencher por jogadores portugueses na Champions e Helton ainda deverá ir a tempo de jogar a Taça da Liga e assim se despedir dos adeptos, que tanto o acarinham. Aqui, porém, tudo depende do técnico Lopetegui.

Com tanta possível saída, surge agora a questão: e entradas? Sem Brahimi durante Janeiro e talvez parte de Fevereiro e, possivelmente, sem Reyes e Evandro, quem poderá entrar e colmatar tais saídas? Mais-valias, assim o espero…

1
Jackson Martínez: a sua continuidade é a mais desejadas das prendas para os portistas
Fonte: Página de Facebook do FC Porto

Parece-me imperioso um extremo que se destaque. Continuo a discordar daqueles que acham que Quaresma tem de ser titular indiscutível: o ‘ciganito’ é jogador para mexer com o jogo, entrar a 20/25 minutos do fim e assim explorar o cansaço dos adversários, à imagem do que fez nos jogos da selecção, onde Fernando Santos “encontrou” a melhor forma de aproveitar a magia de RQ7; Adrián continua a demonstrar não ser capaz de jogar em outro esquema que não o 1-4-4-2, como fazia e tão bem no Atlético. No meio campo, penso que, com a subida de rendimento de Quintero, não precisamos de jogadores que colmatem a saída do brasileiro Evandro (embora Carlos Eduardo esteja numa forma soberba em frança, à atenção de Pinto da Costa e Lopetegui). Por fim, caso Opare continue sem ser opção, um lateral que jogue nas duas faixas seria bem-vindo (sou um fã incondicional de Raphael Guerreiro). Ainda assim, a maior “prenda” que os portistas desejam é a continuidade de Jackson Martinez, um dos melhores e mais seguidos avançados da Europa. O “Cha Cha Cha” é cobiçado por meio mundo e tem Tottenham e Roma como clubes que mais o seguem, embora os valores estejam longe daquilo que o Porto pretende e que o jogador vale. Essa seria a verdadeira grande noticia para os adeptos azuis-e-brancos, e esperamos que a SAD do Futebol Clube do Porto faça o esforço necessário para manter o colombiano na frente de ataque da equipa.

Rematando – e penso que isto é um desejo geral –, gostaria de ver arbitragens menos tendenciosas para os lados da Luz. Este ano tem sido por demais evidente, e não querendo dizer que os árbitros fazem “de propósito”, a verdade é que, consequentemente, o Benfica tem sido beneficiado “em caso de dúvida” (onde dúvidas é raro haver), jogo após jogo. A única partida que me lembro do Benfica ter vencido no campeonato sem casos que objectivamente beneficiaram as águias (mesmo jogos onde golearam) foi o jogo do Dragão. Já são muitos pontos a mais, e que colocam o Benfica numa posição muito duvidosa face ao futebol praticado e aos excessivos “erros” de arbitragem. E a fraca campanha europeia veio confirmar aquilo que aqui escrevo. Mas não quero, nesta quadra natalícia, entrar por ai…

Faltam muitos jogos e quem se sagrar campeão, direi que assim o foi por mérito próprio (como sempre disse): o campeonato é uma maratona e quem joga melhor é justo vencedor.

Que todos tenham as prendas desejadas, em particular o nosso clube!

Foto de capa: Página de Facebook do FC Porto

Comentários