atodososdesportistas

Ainda com o Campeonato totalmente em aberto e com a grande possibilidade de vermos novamente um Porto campeão – primeiro lugar que os dragões merecem pelo que têm jogado, ainda que outros o ocupem neste momento (devido ao que todos sabemos), mesmo não jogando tão bem –, começa já a ser delineada a época 2015/2016, por Lopetegui e restantes responsáveis.

Olhando num panorama mais geral, é claro que elementos fundamentais como Jackson, Brahimi, Óliver, Casemiro ou Danilo têm escancarada a porta de saída, fruto das maravilhosas exibições que têm realizado ao longo da temporada. Sendo assim, avizinha-se uma nova época sem, pelo menos, cinco jogadores fundamentais. Devido a este mesmo facto, Pinto da Costa, como sempre, antecipou-se à concorrência e já tem em “mão” 3 coqueluches que, com o findar da época, iriam ser altamente cobiçadas. Falo, portanto, de Hernâni, Sérgio Oliveira (Paços de Ferreira) e André André (Vitória de Guimarães). Mas vamos por partes, analisando um a um:

  • Hernâni: a grande revelação da primeira metade da época “já cá canta”, e é claramente uma aposta de futuro, pois esta época não irá realizar mais do que meia dúzia de jogos. Será um jogador ao estilo de Anderson quando chegou ao Porto: seis meses para se ambientar à realidade de um clube grande para explodir logo na época seguinte, desde o início. Apesar de já ter jogado a titular frente ao Boavista, o jovem extremo mostrou que ainda está a adquirir processos e a “cair” na realidade. Acredito que para o ano poderá ser uma pedra muito importante no (espero) ataque ao bi-campeonato. Um jogador a ter imenso em conta!
  • Sérgio Oliveira: segundo a imprensa, um pedido expresso do técnico Lopetegui, que vê no versátil médio emprestado ao Paços de Ferreira uma boa alternativa aos titulares (não acredito que possa vir a ser um indiscutível no “miolo” portista). Um jogador que eu apelido de “eterna promessa”: lembro-me quando foi lançado por Jesualdo, ainda com 17 aninhos (ele e Tiero), num jogo da Taça de Portugal, contra o Sertanense, onde o Porto goleou por 4-0. Saltou logo à vista um menino com magia nos pés; pensava-se ver ali um novo fruto saído das escolas do Porto, depois de logradas as chances de isso acontecer com Paulo Machado, Vieirinha, Ivanildo ou Sérgio Organista, que eram as “estrelas da companhia” das equipas de formação nos anos anteriores. Tal não aconteceu e os sucessivos empréstimos (onde foi sendo um dos indiscutíveis das equipas por onde passou) tornaram Sérgio Oliveira num jogador maduro e mais completo, mas fizeram com que o mesmo fosse perdendo o espaço “reservado” aos jovens na equipa azul-e-branca (o que não aconteceu, a titulo de exemplo, com Hugo Almeida ou Hélder Postiga). Veremos com o passar do tempo – e confirmando-se o retorno a casa – o que poderá Lopetegui fazer com o médio português.
  • André André: este não engana ninguém, é craque! Uma notícia fantástica e certamente um dos grandes reforços do Porto para a nova época. O médio, filho de outro ex-craque portista (também ele André), tem tudo para singrar e formar um meio campo de enorme qualidade com Rúben Neves (que acredito que será outro grande “reforço”, assumindo o lugar de Casemiro) e o mexicano Herrera. O médio vimaranense, que já faz tempo que merecia uma chamada à Selecção das Quinas, é um médio que se assume completo naquilo que é o seu jogo: ataca e defende com grande qualidade, tem uns pés fabulosos, uma visão de joga acima da média e uma raça e entrega ao jogo típicas de um jogador do Vitória. Diz-se que a cláusula rondará 1,5 milhões de euros, e, se assim for, poderemos dizer que se tratou de uma autêntica “pechincha”!
1
André André pode vir a ser um dos reforços do FC Porto para 2015/2016
Fonte: Página de Facebook do Vitória SC

Surge ainda a possibilidade Carrillo, que foi noticiado por alguma Comunicação Social como um potencial alvo do Porto, visto estar em fim de contrato e ter a possibilidade de se mudar de Lisboa para o Porto a custo zero – até agora tudo não passa de especulação.

Temos ainda jogadores de qualidade que podem vir a ser surpresas do treinador espanhol na próxima época: Gonçalo Paciência (quem bem que joga!), Raul Gudiño e Lichnovsky (equipa B) e os emprestados Ivo Rodrigues e Otávio (Guimarães), Tiago Rodrigues (Nacional da Madeira), Kayembe (Arouca), Kelvin (Palmeiras) e Opare (Besiktas), todos eles com possibilidade de fazerem a pré-época e dar um ar de sua graça.

Afinal, recorrendo ao mercado interno é possível comprar barato, bom e com muita qualidade… Vejo com bons olhos este “atrevimento” que Lopetegui demonstra com os jovens jogadores, sem medo de os lançar e de lhes dar a assumir uma posição de importância dentro de um plantel com estrelas como Quaresma, Danilo, Alex Sandro, Jackson, Brahimi ou Tello. Sempre disse que acho Lopetegui um técnico de grande categoria e que, mais cedo ou mais tarde, iria implantar neste Porto o seu estilo de jogo, e os motores parece já terem começado a “carburar”. Veremos se até ao final da época a equipa nortenha consegue manter este grande nível que tem apresentado.

Para finalizar, é lógico que as saídas irão gerar milhões aos cofres portistas (Danilo pelo menos 30M, Jackson e Brahimi no mínimo 40M), o que, por outro lado, certamente irá levar à necessidade de algum investimento em jogadores que já tenham alguma “tarimba” internacional.

Note o leitor que tudo o que escrevi não passa de uma especulação (mais ou menos realista) daquilo que tem saído em vários órgãos de Comunicação Social (alguns deles muito credíveis) e, por isso, não existe uma certeza quanto à efectividade das transferência acima faladas (casos de Sérgio Oliveira e André André).

Vamos agora voltar a ter o foco apontado para o campeonato e continuar a lutar, dentro das quatro linhas, por uma justiça que fora das mesmas não se tem verificado.

Foto de capa: Página de Facebook do FC Porto

Comentários