São já poucos os dias que nos separam do início dos trabalhos na Invicta. Apesar da ausência de alguns jogadores, maioritariamente devido às competições internacionais de seleções que decorrem simultaneamente, o primeiro dia do mês de julho ficará marcado pelo reencontro de toda a estrutura azul e branca, com vista à preparação de uma nova época que, ao que tudo indica, trará inúmeros desafios ao FC Porto.

O primeiro desses desafios, inegavelmente um dos mais importantes, será assegurar a passagem à fase de grupos da Liga dos Campeões, desafio esse que cada vez mais se aproxima e, consequentemente, exige uma equipa competitiva muito em breve. Com esse objetivo em mente, existe a necessidade de rentabilizar ao máximo os trabalhos de preparação para a época 2019/20, não só por meio de treinos, como também de “jogos amigáveis”.

Para garantir, novamente, a sua presença na fase de grupos da Liga dos Campeões, o FC Porto precisa de ultrapassar duas eliminatórias
Fonte: FC Porto

Nessa vertente é, a meu ver, fundamental o equilíbrio entre os chamados “jogos a feijões” e os encontros frente a formações de maior qualidade. De pouco valerá enfrentar colossos europeus nesta fase caso as rotinas dentro das quatro linhas não estejam consolidadas. E acaba por ser nesse sentido que os tais “jogos a feijões” acabam por ser importantes: neste tipo de partidas, a equipa consegue colocar mais facilmente em prática as ideias do treinador e instaurar a confiança no seio do grupo. A partir daí, há que almejar novos horizontes, há que se colocar à prova. E, portanto, os encontros frente a equipas espanholas, nomeadamente as formações do Real Bétis, de Sevilha, e do “europeu” Getafe CF, poderão ser bons testes aos comandados de Sérgio Conceição, juntamente com o encontro que ilustrará a apresentação a sócios e adeptos contra o AS Monaco, de Leonardo Jardim.

Apesar da ideia generalizada de que os resultados em jogos de pré-época não são importantes, a verdade é que é imprescindível ter uma equipa já próxima da alta rotação já no carregado mês de agosto: resultados positivos nestes jogos não só poderão catapultar o plantel para níveis de confiança e entrosamento altos, como também poderão deixar os adeptos com um aquele “gostinho” na boca e com o desejo de que os jogos a valer comecem o mais rápido possível.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira

 

Comentários