As pausas internacionais, muitas vezes, são encaradas pelos clubes como um fator extremamente prejudicial, não só pelo “desmanche” recorrente de grande parte do plantel, como também pelas possíveis lesões que poderão ser contraídas ao “serviço da pátria”. O FC Porto, certamente, não é exceção. Não está distante o período em que os jogos pós-pausa internacional eram um autêntico pesadelo para os azuis e brancos. Contudo, cada vez mais este fator é continuamente desvalorizado pela massa adepta portista; será que Sérgio Conceição consegue escapar a esta “maldição”? Analisemos os dados e veremos se esta “despreocupação” é, de todo, justificada.

Voltemos à época de estreia de Sérgio Conceição ao serviço dos dragões: o FC Porto enfrentou 4 pausas internacionais: pausas essas que resultaram em 3 triunfos e 1 derrota. Após a primeira delas, numa fase prematura do campeonato, os azuis e brancos receberam e venceram o Chaves, no Dragão, por 3-0, de modo a “acompanhar” o Sporting na liderança da Liga NOS.

Ainda no ano de 2017, Sérgio Conceição veria o seu plantel “desmembrado” em mais duas ocasiões. Contudo, esses dois períodos “pós-desmembramento” resultariam em duas vitórias: 0-6 frente ao Lusitano de Évora e 3-2 frente ao Portimonense, ambos os jogos a contar para a Taça de Portugal.

Tudo parecia correr às “mil maravilhas”, até que a última pausa internacional chegou: numa altura fulcral da época, o FC Porto estava numa luta renhida com os encarnados pela liderança do campeonato, com vantagem para os da Invicta, até que, à 28ª jornada, os, até aquela altura, líderes do campeonato, deslocaram-se até o Restelo e saíram de lá derrotados por 2-0, num jogo em que Sérgio Conceição e os seus jogadores “ofereciam” o primeiro lugar ao Benfica.

Chegamos a 2018/19: uma temporada, até à data, “carregada” de pausas internacionais. Nestes primeiros meses, o FC Porto viu os seus trabalhos “sabotados” em três momentos; desta vez, não existem derrotas no histórico portista, todavia o empate frente ao Chaves (1-1), no Dragão, na Taça da Liga, acaba por “deteriorar” a campanha que engloba também as duas vitórias na prova rainha, frente ao Vila Real (0-6) e Belenenses (2-0).

No mais recente encontro pós-pausa internacional com golos de Soares e Otávio o FC Porto venceu por 2-0 o Belenenses
Fonte: FC Porto

Veredito: Contas feitas, é visível que o FC Porto de Sérgio Conceição ainda sente algumas dificuldades no pós-pausa internacional; quando analisados os números, é visível um saldo de golos positivo de 16 golos (no entanto esse mesmo saldo justifica-se com os confrontos com equipas de escalões inferiores), e um registo que, apesar de não poder ser caracterizado como negativo, não poderá ser visto também como positivo numa equipa com as pretensões do FC Porto. Portanto, concluo que a “maldição” do período pós-pausa internacional, apesar de manifestar-se mais levemente, continua a “assolar” o Dragão.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários