O jovem brasileiro tem feito o seu melhor início de época desde que chegou ao FC Porto na época 2014/15. Otávio tem sido uma peça fundamental na estratégia de Sérgio Conceição, quer quando faz parte do onze inicial quer quando “salta” do banco e ajuda a encontrar o caminho para as vitorias.

Chegou ao FC Porto ainda muito jovem proveniente do SC Internacional, passou pela equipa B portista e por um empréstimo ao Vitoria SC onde foi treinado por Sérgio Conceição e onde o seu rendimento foi de alto nível e com isso garantiu o regresso ao FC Porto.

Na época 2016/17 sobre o comando de NES o seu desempenho já foi de muito bom nível, recuperar e começar a potenciar Otávio foi uma das boas marcas que NES deixou no FC Porto. Nessa época, Otávio foi utilizado em 33 jogos tendo apontado três golos e fez 10 assistências. Nesta época ficou comprovado todo o potencial do “irreverente” brasileiro.

Otávio tem brilhado a grande nível esta época
Fonte: FC Porto

Devido a alguns problemas físicos a época transata não foi tão positiva tendo realizado apenas 21 jogos. Esta época todo o talento de Otávio tem sido bem explorado e potenciado pelo treinador portista, diga-se de passagem que esta é uma das grandes virtudes de Sérgio Conceição conseguir “tirar” tudo dos seus jogadores.

Anúncio Publicitário

Otávio leva 15 jogos realizados onde apontou quatro golos e fez seis assistências. Alguns destes golos e assistências ajudaram a resolver jogos que até então se encontravam “bloqueados”. Otávio é tecnicamente muito evoluído, forte no último passe, criativo no um contra um e, tem aquela “ratice” típica do jogador brasileiro em “esconder” a bola e “cavar” faltas. Alem de tudo isto pode jogar como “10” puro ou partindo de uma das alas, e é esta versatilidade e criatividade que Sérgio admira bastante porque lhe permite uma alternância de sistema tático e dinâmicas constantes no decorrer das partidas.

A grande força deste FC Porto está, na minha opinião, nesta capacidade de causar sempre dúvidas no adversário. Alternância entre profundidade, jogo exterior, jogo interior, onde jogadores como Otávio encaixam bem nesta ideia de Sérgio Conceição. Tirar partido das características individuais dos jogadores para fazer estas alternâncias em função do adversário e do que o próprio jogo pede é a grande arma deste FC Porto.

Foto de Capa: FC Porto

Artigo revisto por: Jorge Neves