dragaoaopeito

Depois de uma época absurda (sim, já acabou) começa a ser importante planear aquela que será a época 2014/2015. Certamente com um treinador novo e com um elevado número de entradas e saídas no clube, acredito que o profissionalismo e a inteligência daqueles que sempre levaram o Porto aos patamares mais altos do futebol estão a garantir que em Setembro tudo começa pelo melhor, avaliando o impacto que o Mundial poderá ter no Verão.

Timing do Treinador

Luís Castro está de passagem. Não duvido disso, assim como ninguém acredita que esta possa ser a escolha de Pinto da Costa e Antero Henrique para levar o Futebol Clube do Porto novamente às conquistas. Não questiono a sua qualidade e muito menos a sua paixão por este clube (sua casa já há alguns anos) e a vontade de ser campeão, mas, como já referi noutro artigo, Luís Castro (para o bem ou para o mal) nunca vai deixar de ser o treinador da B que veio para a A.

Opções para treinador principal são muitas. Eu gostaria de ver um português que acima de tudo tivesse um passado no clube. O seu palmarés não tinha que ser grande, poderia até ter zero titulos, mas o mais importante é mesmo que conheça a casa e que possa incutir motivação e raça num plantel que este ano só em dois ou três jogos as conseguiu apresentar. Sergio Conceição, Pedro Emanuel, Nuno Espírito Santo e Domingos Paciência: todos nomes que poderiam facilmente assumir o comando técnico azul e branco. Arriscar em icónicos treinadores estrangeiros ou tentar surpreender com contratações polémicas são duas cartas que devem ser postas fora do baralho. O Porto precisa de crescer de dentro para fora; tem sido assim nos últimos anos e espero que continue a sê-lo.

Luís Castro não fará parte dos planos para a próxima época  Fonte: Porto Canal
Luís Castro não fará parte dos planos para a próxima época
Fonte: Porto Canal
Anúncio Publicitário

A contratação de um novo treinador deveria ser realizada uma semana após a última jornada deste campeonato, com rapidez e eficiência, de forma a que não ecoem boatos e notícias nos media. A mais-valia de ser pré-Mundial permitiria a um novo treinador ter a capacidade de preparar a sua equipa (com todas as limitações de não ter alguns jogadores presentes nesta competição), assim como ter oportunidade de avaliar jogadores presentes no Brasil.

Timing para Jogadores

Na teoria parece fácil descrever como seria o timing perfeito para a compra e venda de jogadores: comprar antes do Mundial e vender depois do Mundial. Contudo, e como a teoria raramente é posta em prática, é preciso ter em atenção alguns aspectos como a valorização e desvalorização de jogadores (presentes no Mundial), e, claro, a questão dos jogadores não-convocados.

Sendo realista, os actuais jogadores do Porto passíveis de serem convocados para o Mundial são os seguintes: Diego Reyes, Herrera, Mangala, Defour, Quintero, Jackson Martinez, Ghilas, Fernando, Varela, Quaresma e Josué. Destes, Mangala, Fernando e Jackson Martinez são os mais cobiçados internacionalmente e as mais prováveis saídas do plantel e certamente serão aqueles que poderão sofrer uma valorização enorme no Campeonato do Mundo. Defour poderá valorizar-se bastante se a Bélgica for a surpresa de que tanto se fala, e mesmo Reyes e Herrera poderão ter boas prestações numa fraca selecção mexicana. Desta forma, a sua possível venda deveria apenas ser feita só após o Mundial, mesmo correndo o risco de todos eles terem uma prestação menos feliz no Brasil.

O FC Porto pode aproveitar a presença de alguns dos seus activos no Mundial para fazer um bom encaixe  Fonte: ZeroZero
O FC Porto pode aproveitar a presença de alguns dos seus activos no Mundial para fazer um bom encaixe
Fonte: ZeroZero

Dentro de todo o vasto número de jogadores que não têm qualquer hipótese de ir ao Mundial, os dispensáveis deverão ser vendidos antes do Mundial, facilitando assim o trabalho do novo treinador que chegue ao clube para saber com quem conta.

Quanto às entradas, certamente o meio-campo será reforçado, assim como as alas (Quaresma é o único indispensável actualmente), e as contratações deverão ser efectuadas antes do Mundial de modo a evitar valorizações de jogadores que lá estejam presentes, parece lógico. Neste ponto, quero referir ainda que me parece provável a entrada de jogadores portugueses com alguma experiência (como, por exemplo, Bruno Alves ou Manuel Fernandes), que podem vir a fazer diferença num plantel que se prevê renovado. A nível pessoal, considero que a contratação de Rafa poderia ser um grande investimento (não tanto monetário, mas a nível desportivo) para este novo Porto: mais português e mais económico.

Rafa poderá dar o salto para um novo Porto  Fonte: A Bola
Rafa poderá dar o salto para um novo Porto
Fonte: A Bola

O Porto vai mudar. Não acredito numa volta de 180º mas parece-me que algo radical tem de ser feito para que a época 2014/15 faça esquecer a mediocridade que foi o Porto em grande parte dos jogos este ano. Novo treinador e novos jogadores é o que se espera, mas também o melhor aproveitamento daqueles que cá estão. Ir perdendo um campeonato a cada três ganhos não parece assim tão mau, mas há que evitar que a tendência mude…

Comentários

Artigo anteriorE as finais aqui tão perto
Próximo artigoTiro no Escuro
“Lisboa tem mais encanto pintada de azul branco”, o lema de qualquer portista de Lisboa que se preze. Em 22 anos, não me cansei de festejar. Com o Dragão longe mas sempre no coração, é demasiado fácil ser campeão.                                                                                                                                                 O Telmo não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.