Três anos de Dragão ao peito, três vezes campeão nacional. Estamos a falar do ex-internacional pela Eslováquia, Marek Čech. No mesmo ano em que Co Adriaanse chega a Portugal para assumir o comando do FC Porto, o lateral esquerdo eslovaco entra também no esquadrão azul e branco para reconquistar a taça de campeão português que na época transata tinha fugido para o rival SL Benfica. Estreou-se frente ao Inter de Milão a contar para a Liga dos Campeões e anulou completamente Luís Figo. Assim começa a história de um eslovaco em Portugal.

No entanto, Marek Čech esteve longe de ser uma estrela na equipa da cidade Invicta. Na primeira temporada, em 2005/2006, fez apenas 21 jogos em todas as competições. Na Liga Portuguesa, apenas 14, sendo que 12 desses jogos foram a titular. Acabou a temporada com um golo marcado e sem qualquer assistência. Em comparação a Alex Telles, Alex Sandro e Álvaro Pereira, três dos melhores laterais-esquerdos dos últimos anos do FC Porto, foram números bastante inferiores, muito por culpa das poucas oportunidades que teve também. Ainda assim, conseguiu ajudar a reconquistar o campeonato.

Na seguinte época, 2006/2007, o FC Porto rumava à conquista do bicampeonato, sendo que desta vez era Jesualdo Ferreira no cargo de treinador dos azuis e brancos. Mais uma vez, Marek Čech não conseguiu assumir a totalmente a titularidade vista que Jorge Fucile ingressou para lutar com o eslovaco pelo lado esquerdo da defesa portista. Ainda assim, o lateral esquerdo eslovaco realizou 23 jogos a titular em todas as competições e fez um golo e uma assistência, conseguindo mais uma vez conquistar o a Liga Portuguesa.

Marek Cech nunca foi titular indiscutível no Dragão
Fonte: Venus Creations

Na última temporada ao serviço do FC Porto, 2007/2008, Čech começou a “desenvolver” as suas estatísticas. Čech faz 17 jogos a titular a nível global e consegue quatro assistências para golo. Tricampeonato conquistado e assim se despede Čech de Portugal.

Anúncio Publicitário

É transferido para o West Bromwich Albion FC de Inglaterra por um valor a rasar os dois milhões de euros e na temporada em que chega ao país de Sua Majestade, por azar, o West Brom desce de divisão. Contudo, foi por pouco tempo, pois na última época de Marek em Inglaterra o West Brom voltou à Premier League.

Em 2011, de Inglaterra saiu para a Turquia a custo zero, rumo ao Trabzonspor Kulübü onde se manteve durante dois anos. Seguiu-se a Itália, mais precisamente no Bologna FC, mas foi só de passagem. Em 2014, um Boavista FC recém-promovido anuncia o regresso do eslovaco a Portugal, mas no final da época a direção não quis renovar contrato. Seguiu novamente para Itália, para o Calcio Como, mas esta experiência apenas durou meio ano, pois tinha toda a sua família em Portugal e preferiu terminar a carreira para estar junto da família.

Atualmente, vive em Portugal e, inclusive, é sócio de um restaurante em Vila do Conde. Tendo em conta que adorou o nosso país, Marek Čech decidiu manter a sua família cá e afirma que ainda hoje é acarinhado tanto por adeptos portistas como boavisteiros.

Foto de Capa: Conversas Redondas

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários

Artigo anteriorHamilton domina na despedida de Alonso
Próximo artigoSC Covilhã 0-3 Moreirense FC: Moreirense passa no frio da serra
Desde criança a colecionar cromos e recortes de jornais de vários jogadores até às longas carreiras nos videojogos no seu clube do coração, foram muitas as alegrias que o desporto rei lhe proporcionou. Assume ficar fulo quando não consegue acompanhar um jogo da equipa da cidade Invicta, mas no que toca a tudo o que acontece à volta do seu clube sente a obrigação de estar sempre atualizado. Estuda Ciências da Comunicação e é através da escrita que se prefere expressar.                                                                                                                                                 O Tiago escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.