A luta pela conquista do título continua ao rubro mas a preparação da próxima época também já está em marcha. O FC Porto tem vários dossiers pendentes no que diz respeito às renovações de contratos.

Não deixa de ser curioso que a esmagadora maioria desses casos sejam no setor defensivo da equipa. Casillas, Marcano, Reyes e Maxi terminam contrato esta época e, na minha opinião, dificilmente continuarão no FC Porto. Casillas tem realizado uma excelente época, e o peso que tem no balneário e a empatia com os adeptos devia levar o clube a fazer um esforço para manter o internacional espanhol. Porém, o elevado salario é um grande obstáculo, sendo que convencer Casillas a reduzir esse valor em cerca de 50% é a missão da SAD.

Marcano tem sido um dos pilares da equipa, mas as tentativas da administração em renovar contrato com o central não têm sido bem sucedidas e o cenário da saída (a custo zero) é o mais provável. A conquista do título e, consequentemente, a entrada direta na Liga dos Campeões fará com que o clube tenha um pouco mais de desafogo financeiro e isso pode fazer com que uma última proposta seja aceite por Marcano.

Reyes tem sido um jogador útil na rotação da equipa ao longo da época, mas não sendo um titular dificilmente o clube vai entrar em “loucuras” para manter o jogador. O mesmo acontece com Maxi, tendo este ainda em seu desfavor a idade avançada e o altíssimo salário.

Maxi Pereira dificilmente se vai manter de dragão ao peito
Fonte: FC Porto

Existem outros quatro casos que urge resolver: Diogo Costa, Diogo Dalot, Ricardo Pereira e Herrera vão entrar no último ano de contrato e, ou renovam agora, ou então a melhor solução é vender no próximo mercado e, com isso, conseguir colocar as contas da SAD positivas.

Herrera talvez seja o caso mais simples de resolver. Com a influência que tem na equipa, quer no aspeto desportivo quer na gestão do balneário, e o amor que sempre demonstrou pelo clube, acredito que a renovação seja uma questão de dias. Seria importante renovar antes do Mundial da Rússia para evitar contratempos.

Ricardo Pereira está a ser seguido por vários clubes de topo do futebol europeu e dificilmente ficara no Dragão. Com uma cláusula de 25 milhões de euros o mais provável é continuar a sua carreira noutro campeonato e os cofres do Dragão ficarem mais recheados.

Diogo Costa e Diogo Dalot são, na minha opinião, os dois maiores talentos do futebol português. Estão a ser seguidos por todos os “gigantes” do futebol europeu e as suas renovações continuam sem desenvolvimentos. Estes são dois casos nos quais a administração da SAD tem que colocar todas as fichas e fazer o maior esforço possível para segurar estes dois jovens talentos. Não será uma tarefa fácil, mas a conquista do título pode ser decisiva para “segurar” os dois jogadores.

Existem muitos dossiers para serem resolvidos rapidamente pela Administração, mas o caminho seguido no último defeso tem de ser mantido para que rapidamente o FC Porto volte a ter a saúde financeira desejada. Importa ainda não esquecer que a formação do FC Porto é, na minha opinião, a que possui mais talento em Portugal.

Foto de Capa: FC Porto

Artigo revisto por: Jorge Neves

Comentários