Parece que já não há verão sem que Ricardo Quaresma seja apontado ao FC Porto. Sempre que saem notícias que o jogador possa sair do seu atual clube, um dos emblemas logo conectados ao seu futuro é o azul e branco, ou seja, não haver um mercado em que Quaresma não esteja ligado ao dragões é como fazer um aniversário sem bolo.

Dito isto, alguma imprensa desportiva portuguesa tem noticiado a possibilidade do eventual regresso do “Harry Potter” ao “seu” clube, uma vez que o extremo já afirmou diversas vezes ser adepto do atual campeão nacional.

O campeão da Europa por Portugal em 2016 terminou, no último mês de Junho, o vínculo com o Kasimpasa SK, e, até agora, ainda não se encontra com o seu futuro profissional definido. Ainda há poucos dias, Quaresma foi noticiado como estando na rota do outro grande clube da cidade – o Boavista FC-, o que seria uma autêntica “bomba de mercado”. No entanto, isto foi prontamente negada pelo próprio, numa publicação de bom humor nas suas redes sociais.

Por outro lado, o atleta também já viu o seu nome ser alvo de interesse por partes de clubes brasileiros, mas sem que nenhum tentasse um contacto mais formal. Por isso, tudo aponta para uma terceira passagem pelo Dragão por parte do futebolista. De recordar que a sua primeira fase no FC Porto aconteceu entre 2004 e 2008, tendo depois voltado a vestir a camisola azul e branca no período de 2014 até 2015.

Anúncio Publicitário

A sua ligação especial com o FC Porto é deveras conhecida e assumida pela estrutura, pelo jogador e pela massa associativa, o que significa que não deve ser muito difícil alcançar “fumo branco” entre as partes envolvidas nas negociações. Aqui, a especial atenção recai sobre Sérgio Conceição, uma vez que cabe ao técnico portista dar o aval para o sucesso das mesmas e oficializar a consumação de um acordo.

A concretizar-se, será mais um negócio que fugirá à política de contratações do FC Porto, pelo menos da fase em que o clube tinha o domínio claro do futebol português na senda de tentar contratar jovens promessas, para que depois consiga retirar rendimento desportivo e financeiro. Neste caso concreto, já se sabe que Ricardo Quaresma já vai a caminho dos seus 37 anos. Faz anos em Setembro, pelo que o retorno financeiro será sempre uma utopia.

Pela vertente desportiva, não há dúvidas da sua capacidade técnica e da sua habilidade, que é um fator que tem faltado ao jogo do FC Porto. Mas a maior dúvida recairá na sua capacidade física, algo tão apreciado por Sérgio Conceição. Por mais que um atleta se cuide, a idade não perdoa ninguém, e é natural que Quaresma já não apresente as mesmas valências de alguns anos atrás.

Desta forma, a sua aquisição será sempre um risco e parecerá ter muito mais um elo emotivo do que racional, pois será um reforço na senda de “Pepe”, que trará liderança, carisma e peso no balneário. Contudo, a sua preponderância já não será a mesma de a de algumas épocas atrás.

Artigo revisto por Mariana Plácido