portosentido

Antes de começar há que ressalvar um ponto fulcral no «Porto Sentido» de hoje: o jogo de ontem em Braga demonstra que Abdoulaye não tem capacidade para jogar no Porto.

Apesar da vitória por 3-1, o Porto esteve um furo abaixo daquilo que deve e tem de fazer. O resultado apenas ficou decidido no fim e o Braga esteve, em certos pontos do jogo, mais perto da vantagem frente a um Porto remodelado. Com ou sem gestão, o Porto tem de manter a forma e ganhar os jogos que faltam para, no mínimo dos mínimos, garantir o play-off da Champions League. Afinal de contas, o Estoril, grande revelação agora consumada na Liga Portuguesa, está a 9 pontos de distância com um jogo de atraso. É muito complicado passar para segundo lugar; vamos então garantir que não descemos para quarto.

Posto isto, percebo e apoio a rotação feita por Luís Castro, tendo em conta o embate com o Benfica na próxima quarta-feira. No Estádio da Luz está a luz ao fundo do túnel da época do Porto. É lá que os homens de Luís Castro vão tentar salvaguardar uma época bastante infeliz. O Porto vai com vantagem após o jogo da primeira mão, mas é uma vantagem mínima, que não garante nada. Basta ver o desaire que foi no Sánchez Pizjuán frente ao Sevilha. Mesmo assim, colocando os pratos na balança, o Porto tem, teoricamente, a vida mais facilitada do que o Benfica. Os encarnados têm de ir atrás do resultado, o que permite ao Porto controlar um pouco a ordem dos trabalhos.

O golo de Jackson na primeira mão dá vantagem ao Porto na eliminatória  Fonte: Zero Zero
O golo de Jackson na primeira mão dá vantagem ao Porto na eliminatória
Fonte: Zero Zero

No entanto, clássicos nunca são fáceis…. Na quarta-feira vão entrar em campo duas equipas com estados de espírito completamente diferentes. De um lado, o Benfica de Jesus, a um jogo da conquista do título, com lugar marcado na meia-final da Liga Europa frente à Juventus e com o apoio incondicional dos adeptos que começam a sentir a febre do Marquês. Do outro lado, o Porto de Luís Castro, confinado ao terceiro lugar do campeonato, sem forma de reagir perante o avanço de Sporting e Benfica, eliminado da pior maneira possível da Liga Europa (onde até podia ter dado cartas) e com a pressão de um jogo decisivo no estádio do maior rival. Ou seja, no que toca a ímpeto, a vantagem está totalmente do lado do Benfica.

Anúncio Publicitário

Porém, há uma situação que nunca pode ser deixada de fora: a vontade portista. Nos últimos anos, o Porto tem vindo a conseguir resultados enormes no Estádio da Luz. Desde a conquista de campeonatos, onde foi necessário festejar às escuras, a reviravoltas na Taça de Portugal depois de uma desvantagem de dois golos para o Benfica. A Luz já foi, no passado, o “Carrossel da Luz” para o Porto.

Com a conquista de uma Taça de Portugal em cima da mesa, todos os adeptos azuis e brancos esperam que, mais uma vez, o Porto consiga ser feliz naquele relvado. Quarta-feira é, possivelmente, o jogo mais importante do Porto nos últimos tempos. Vai ser um jogo a ferro e fogo no inferno da Luz. Castro já venceu o Benfica, agora é esperar e ver se repete a graçola. Pinto da Costa agradece se o fizer.

Comentários

Artigo anteriorVitimização vs Oportunidade
Próximo artigoPorque um mal nunca vem só
O José rejeita a expressão “portista desde pequenino”, uma vez que até nem nasceu do Porto. Mas rapidamente entendeu que é no norte que se pratica bom futebol. E, como defensor dessa prática, afirma convictamente que o Porto é mesmo a melhor equipa em Portugal.                                                                                                                                                 O José não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.