Os próximos dois meses podem definir o futuro do FC Porto na próxima década. Ser ou não campeão vai ser fulcral na estabilidade financeira e desportiva quer no curto, mas também, no médio e longo prazo. O FC Porto atravessa uma grave crise financeira e garantir já os milhões da Champions é vital. A segunda posição não é garantia de nada, como foi visível esta época, e a próxima época tem ainda a agravante de ser preparada com muito menos tempo devido à pandemia que nos afeta.

Os azuis e brancos precisam de vender e arrecadar mais-valias, mas isso nunca acontecerá antes do final de julho, e para “atacar” o mercado é preciso vender primeiro. É crucial que o apuramento já esteja assegurado porque se isso não acontecer os possíveis reforços podem chegar em cima ou já depois das eliminatórias e play-off da Champions.

Juntando a tudo isto, o FC Porto atravessa um período eleitoral com as eleições marcadas para os dias seis e sete de junho. Pela primeira vez em muitos anos, Pinto da Costa terá oposição através das candidaturas de José Fernando Rio e Nuno Lobo. Acredito na vitória de Pinto da Costa, mas José Fernando Rio poderá ter um resultado interessante e se as vitórias desportivas não aparecerem a contestação vai aumentar, até porque a situação financeira vai-se certamente agravar. Por isso, só existe uma solução: o FC Porto tem de conquistar o título nacional!

No plano desportivo, o FC Porto tem todas as condições para conquistar o título. Tem mais profundidade no plantel, melhor onze, um treinador mais experiente e parte com uma pequena vantagem para esta reta final. A lesão de Marcano foi o fator negativo deste regresso aos treinos. O espanhol tem sido uma peça basilar no onze de Sérgio Conceição e vai obrigar o treinador portista a fazer ajustamentos no seu setor defensivo. Acredito que Mbemba e Pepe vão iniciar como a dupla de centrais, mas a idade de Pepe e o tempo longo de paragem pode obrigar Diogo Leite a ser chamado com regularidade.

Anúncio Publicitário

Acredito que alguns jovens da formação podem ter um papel importante nesta fase final. Vítor Ferreira e Romário Baró vão ser, na minha opinião, bastante utilizados e conquistar em definitivo um lugar de destaque na equipa azul e branca. Fábio Vieira e Rodrigo Valente estão também a treinar com a equipa principal do FC Porto e serão apostas na próxima época. Diogo Queirós voltou e também se juntou ao grupo preparando já a próxima época.

Foto da Capa: Diogo Cardoso/Bola na Rede

Artigo revisto por Diogo Teixeira

Comentários