fc porto cabeçalho

Os próximos três jogos poderão ser decisivos para o futuro de NES no Dragão. No próximo sábado a equipa azul e branca recebe um adversário direto, o SC Braga, que neste momento se encontra à frente dos portistas na tabela, e um resultado que não seja a conquista dos três pontos será muito difícil de digerir pelos adeptos e o ambiente pode ficar insustentável.

Passados quatro dias outro jogo importantíssimo na época do FC Porto, a receção ao campeão Inglês, Leicester, em jogo a contar para a Liga dos Campeões. Ate pelo momento de dificuldade financeira que o clube atravessa a passagem aos oitavos-de-final é fundamental.

No dia 11 a deslocação ao Feirense, e em fim-de-semana de clássico é obrigatório ganhar para encurtar distancias para os principais rivais.

Por isso, estes três jogos podem ser, ou o agudizar do mau estar no Dragão ou em caso de três vitórias o click para descolar numa boa época. Resta esperar, e ver a resposta da equipa e de NES!

Anúncio Publicitário

Eu pessoalmente não acredito em “Chicotadas psicológicas” e as ultimas épocas do FC Porto tem sido a prova disso, acredito na estabilidade, em dar tempo de trabalho a um treinador novo com um plantel jovem e em construção.

A realidade do Futebol Português mudou, e muitos adeptos portistas ainda não acordaram para essa realidade. Essa mudança começou quando Luis Filipe Vieira, apesar de três anos em que Jorge Jesus pouco ganhou, renovou o contrato, e manteve um treinador durante seis anos. Isso deu estabilidade, os resultados acabaram por aparecer e com isso galvanizou os adeptos, criaram rotinas de vitórias e um clima desanuviado e fácil para qualquer treinador trabalhar.

NES precisa de tempo Fonte: Facebook Oficial de NES
NES precisa de tempo
Fonte: Facebook Oficial de NES

Outro aspeto que teve influencia para a mudança no Futebol Português, foi a eleição de Bruno de Carvalho para presidente do Sporting. Apesar de não concordar com alguns comportamentos, é verdade que elevou o Sporting para outro patamar, conseguiu melhorar a estrutura leonina e o mais importante tem os adeptos consigo e com o clube.

Com este cenário, a mudança contante de treinadores no FC Porto, é um tiro no pé. Não sei se a saída de NES esta em cima da mesa da SAD Portista, espero que não, mas os próximos jogos serão decisivos. É preciso um ciclo de vitórias para afastar a pressão e criar um ambiente tranquilo, em que os jovens talentosos jogadores do FC Porto não tenham medo de falhar, que possam arriscar sem medo de ouvir assobios.

Os anos em que qualquer treinador era campeão no FC Porto já la vão, o contexto de hoje é completamente diferente, a estrutura portista perdeu peso nos órgãos de decisão, os rivais estão mais competitivos e hoje o peso que a comunicação social tem em passar certas mensagens é tremendo, e é sabido que o FC Porto não tem poder na comunicação social, e muitos adeptos embarcam nessas viagens. Eu recordo o que muitos fazedores de opinião diziam na altura em que Paulo Fonseca estava no FC Porto, hoje para esses mesmo comentadores já é considerado um treinador de grande qualidade, mas entretanto o objetivo foi conseguido nessa altura, criar descrédito e instabilidade. NES tinha qualidade quando estava no Rio Ave e no Valencia, hoje já não é o homem certo para o FC Porto, com isto, quero na medida do possível, dizer aos adeptos para não embarcarem em análises feitas com objetivos bem definidos, e esses objetivos são criar instabilidade no FC Porto.

Comentários

Artigo anteriorGenoa, onde os grandes tombam
Próximo artigoJogo da mala do Sporting
É um eterno apaixonado por desporto, tem no futebol a sua maior paixão. Desde muito jovem que se dedica ao estudo e à análise de todas as vertentes futebolísticas. Foi treinador no futebol de formação, e atualmente colabora na área do “scouting". Apaixonado pelo jornalismo desportivo, é adepto do FC Porto e no futebol internacional tem simpatia pelo Barcelona.                                                                                                                                                 O Luís escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.