Depois de meio ano de empréstimo ao PAOK, da Grécia, Sérgio Oliveira está de volta ao FC Porto para cumprir a época 2019/2020 de dragão ao peito.

O médio português, depois de ter sido uma peça essencial no esquema de Sérgio Conceição em 2017/2018, perdeu fulgor na primeira metade de 2018/2019 e acabou excluído das opções do técnico azul e branco. Com incontestável qualidade dentro das quatro linhas, foi apontada ao médio falta de intensidade nos treinos e falta de resiliência para voltar à titularidade quando Sérgio Conceição o colocou no banco de suplentes.

A Grécia foi o destino e parece ter sido o mais acertado para Sérgio. O médio foi titular em oito dos 11 jogos que disputou pelo PAOK, marcou três golos e foi coroado campeão grego, num título que fugia ao conjunto de Salónica há 34 anos. O clube grego ficou agradado com as prestações do português e quis acionar a cláusula de compra, mas os 12 milhões de euros que estavam contemplados nessa cláusula não estavam ao alcance.

Sérgio Oliveira foi uma peça essencial à conquista do Campeonato Nacional 2017/2018
Fonte: FC Porto

O médio portista, que renovou contrato até 2021, tem agora a oportunidade de mostrar a qualidade técnica e tática que lhe é reconhecida e lutar pelo lugar no onze inicial deixado vago por Héctor Herrera, caso se confirme a saída do mexicano, que termina contrato com o FC Porto no final deste mês.

De recordar que Sérgio Oliveira tem valências enquanto médio defensivo, tendo interpretado a posição de duplo pivot defensivo aquando da lesão de Danilo em 2017/2018, de médio centro ou médio ofensivo, onde habitualmente é colocado. O médio português destaca-se ainda pela sua meia distância, a sua qualidade de passe longo e a eficácia nas bolas paradas.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários