opinioesnaomarcamgolos

Eu acho que é cedo para falar de resultados num campeonato que todos sabemos funcionar a longo prazo. Estamos no início, ainda! Mas mesmo no início já há certas coisas que se podem dizer, pois só porque é cedo não significa que estejamos a dormir…

Simpatizo com o Sporting mas acho que está com passadas cada vez maiores, onde algumas parecem exceder a própria perna, tanto pela equipa como pelo seu presidente. Têm jogado bem, sim, mas há erros que simplesmente não dá para entender. Se o Montero marcar 3 golos por cada erro do género “Markovic passa pela defesa toda sem qualquer problema” acho que mesmo assim o Sporting fica a perder. Quem é sportinguista percebe isso bem. Eu não sou e percebo! Leonardo Jardim pode ser o treinador certo para esta equipa desde que não falhe nas pequenas coisas. Apesar de tudo acho que dos três grandes é a equipa que deixa mais pontos de interrogação no ar. Veremos o que acontece…

O Benfica é um caso de má liderança, ponto final. Foram erros atrás de erros e vão continuar a ser enquanto a gerência se mantiver. Enquanto portista espero que se mantenham. Enquanto adepto de futebol espero que não. O maior clube português, aquele que tanto gosta de enaltecer a sua história e massa associativa, não pode cair em erros que todos percebem ser estúpidos. Todos menos a tal gerência. Foi o caso do “empurrão” do Luisão ao árbitro, o caso Cardozo, a entrevista ridícula ao mesmo na Benfica TV, as agressões de Jesus em Guimarães, e mais que não me lembro agora. Em nenhum caso houve um reconhecimento da asneira e um consequente pedido de desculpas. Mas desculpas pedem-se quando é sentido, e quem não sente está-se nas tintas para a gente, mas ao menos que resolvam as coisas como deve ser. Também não foi o caso… Antes do campeonato começar já se ouvia dizer que o Benfica ia fazer uma das piores épocas de sempre. Eu concordo. Para o Benfica começar a remediar a situação é preciso mandar o treinador embora. O que até tem piada pois o manager tem mais talento do que a própria gerência, apesar de ser o primeiro a ter que sair.

Hector Herrera / Fonte: O Jogo
Hector Herrera / Fonte: O Jogo

E o meu Porto também não convence. Fez uma boa pré-época onde o único problema que aparentava ter era a gestão dos muitos e bons jogadores ao seu dispor. Aqueles jogos que ia fazendo, onde o jogo jogado era pouco atraente e discreto, continuam nos campos portugueses. Mantém-se o 4x3x3 e muito se gosta de falar do triângulo invertido. Jornalistas e treinadores, todos a falarem da porcaria da inversão insinuando e questionando a alteração da equipa no sentido ofensivo para o defensivo, mas ninguém se lembrou de perguntar como é que esse triângulo ia funcionar sem um médio de nível para “substituir” o Moutinho e, tão importante como esse enorme jogador do Mónaco, sem extremos que consigam rasgar as linhas e meter bolas no Jackson! Será que ninguém vê o que se passa? O único jogador que pode fazer alguma coisa no meio campo é o Herrera! Sempre foi! Desde o primeiro jogo que se percebeu como aquele miúdo joga. De cabeça levantada, sem medo da pressão, consciente do jogo e, sempre que fica encurralado com dois ou três defesas à sua volta, não inventa. E adivinhem lá? A posse de bola é mantida. Se calhar é hora de começar a apostar nele… O Quintero é craque? É, mas ainda tem de correr uns bons quilómetros para sentar o Lucho. E quanto aos extremos…aquele abraço! Temos o Varela, que não consegue fazer dois bons jogos seguidos, o Josué, que não é bem um extremo, o Licá, que é o único que parece ser bom no pouco que a equipa vai fazendo, e o Ricardo, que ainda mal se mostrou. E importa referir que não ter bons extremos a jogar é o mesmo que tirar rendimento ao melhor defesa esquerdo a jogar em Portugal. Alex Sandro é um verdadeiro craque, e com um bom extremo à sua frente pode fazer uma “equipa” de sucesso!

Comentários

Artigo anteriorSébastien = Vencedor
Próximo artigoO sumo vermelho
Para o João, discutir futebol é uma piada. É como estar à mesa de uma família benfiquista. Como diz o ditado, “numa casa com mau pão todos discutem e o Porto é campeão!”. Discute-se os árbitros e os treinadores, mas ninguém se lembra de discutir o padeiro. E ele adora piadas…                                                                                                                                                 O João não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.