ÚLTIMA HORA:

Sporting CP 0-0 FC Porto (4-3 gp): O adeus à Taça da Liga

fc porto cabeçalho

Jogou-se no Estádio Municipal de Braga a meia-final da taça que todos querem ganhar mas ninguém se importa de perder. Uma meia-final que, por se tratar de um “clássico”, carregava um peso-extra e que acabou por não passar do empate no tempo regular, como já tem sido habitual nos “clássicos” portugueses.

O Sporting CP apresentou-se sem grandes surpresas. Já o FC Porto introduziu Iker Casillas, Sérgio Oliveira e Tiquinho Soares no onze titular.

O Sporting CP entrou mais dominante, com mais posse de bola e, logo aos 5’ de jogo, Bas Dost cai na área mas nem o árbitro nem o VAR assinalam grande penalidade. Com apenas 10’ jogados, Sérgio Conceição vê-se forçado a efetuar a primeira alteração face à lesão de Danilo e Óliver vem a jogo.

Primeira oportunidade para os azuis e brancos aos 15’, pelos pés de Sérgio Oliveira, que atirou alto. Aos 20’ o FC Porto parece ter finalmente acordado, começando a pressionar mais e a criar mais perigo. Aos 36’ Soares faz abanar as redes leoninas, mas o golo é quase imediatamente anulado pelo VAR por fora de jogo (segundo grande erro de arbitragem na partida, sendo o primeiro a grande penalidade por assinalar a favor do Sporting CP).

Já na segunda parte surgiu em jogo um FC Porto diferente, mais dominante e que dava a entender que queria ganhar. Aos 46’ Marega cruza para a área, Soares remata mas a bola bate no corpo de um adversário e é desviada.

Aos 60’ contavam-se apenas dois remates enquadrados (um para cada lado) e 42 faltas, números que bem representam o futebol (não) jogado. Jogo com muito contacto físico e pouca magia (de vez em quando espalhada por Brahimi, como já é habitual).

Grande oportunidade para o Sporting CP aos 65 minutos, com cabeceamento de Coates ao poste de Casillas. Sérgio Conceição aproveitou para estrear Waris (que veio a marcar uma grande penalidade) e Jorge Jesus lançou Fredy Montero.

Nas grandes penalidades brilharam os guarda-redes. No lado do Porto, Brahimi, Herrera e Aboubakar falharam, enquanto que no lado leonino falharam William Carvalho e Coates. Os “leões” passam à final que será disputada no próximo sábado frente ao Vitória FC.

Componente 5 – 1 (1)

Azul e branco é o coração. Portista é a alma. Mais colombiana do que portuguesa. O papel e a caneta são o seu maior refúgio. Gosta de concentrar todas as suas frustrações na correção de erros gramaticais e/ou ortográficos.                                                                                                                                                 A Beatriz escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

Azul e branco é o coração. Portista é a alma. Mais colombiana do que portuguesa. O papel e a caneta são o seu maior refúgio. Gosta de concentrar todas as suas frustrações na correção de erros gramaticais e/ou ortográficos.                                                                                                                                                 A Beatriz escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA