Anúncio Publicitário

Jesús Manuel Corona Ruíz, mais conhecido por Tecatito Corona é, como sabemos, uma das peças fulcrais na manobra ofensiva do FC Porto de há uns anos para cá.

Foi contratado pelos dragões em 2015 e desde cedo mostrou ao que vinha, com um bis frente ao FC Arouca. Daí para a frente, construiu-se uma história bonita de dragão ao peito, somando, na totalidade, 24 golos com uma camisola que, como sabemos, pesa no corpo de qualquer profissional de futebol.

Anúncio Publicitário

Em termos de assistências para golo, Tecatito tem aperfeiçoado essa matéria, isto porque evoluiu de um simples jogador que deambulava para o centro do terreno à procura do remate de pé esquerdo, para alguém que agora procura ganhar a linha no um para um e cruzar, ou fintar o adversário e puxar pelo seu pé esquerdo para cruzar… e que belo pé esquerdo que o internacional mexicano tem!

Apesar da sua inconsistência demais visível nas últimas cinco épocas – o que prova que Tecatito é capaz do melhor e do pior –  este jogador tem vencido as críticas e lá consegue levantar a plateia do dragão com as belas jogadas que faz.

Nos tempos mais recentes, Corona tem sido adaptado a lateral direito… E porque não a lateral esquerdo se é o seu melhor pé? Deixo a resposta para o leitor, mas posso dar uma pista que se chama Alex Telles e a procura de um lateral que procure mais espaços interiores e o um para um.

Mais recentemente, Corona voltou à sua posição de origem (extremo direito/avançado) e é sobre esse mesmo impacto na equipa azul e branca que se debruça este artigo.

Tecatito jogou como extremo frente ao FC Famalicão e foi um dos melhores em campo
Fonte: FC Porto

Apesar de o internacional mexicano não estar a desiludir na posição de lateral direito, é mais que evidente que também é necessário que este jogador ocupe a posição de extremo direito/avançado, sendo que os dragões podem tirar muito proveito disso.

E porquê?

Aponto duas principais respostas que respondem a esta questão.

Primeiramente, o facto de não ser uma posição desconhecida para o jogador portista que, como já referi, gosta muito de encarar os adversários no um para um, procurar espaços interiores e o seu pé esquerdo, ou até fintar os oponentes e ganhar a linha para cruzar com o pé direito que, refira-se, não é nada mau. Isto tudo, claro, quando joga como extremo direito, pois este jogador também sabe brilhar a extremo esquerdo – a Seleção Mexicana que o diga!

Em segundo lugar, o facto de Tecatito já ter experienciado a posição de lateral direito, o que lhe incute uma maior capacidade para defender e recuperar a bola na transição defesa-ataque. Já o velho ditado dizia: os avançados são os primeiros defesas, e é isso que o internacional mexicano pode oferecer ao FC Porto. O facto de ter experimentado essa posição confere-lhe uma maior raça que, diga-se, é muito comum nos jogadores da América Central/do Sul.

Só no jogo com o FC Famalicão, em que Corona foi um dos melhores em campo na posição de extremo/avançado,  somou uma assistência, uma interceção e um desarme, o que vem provar aquilo que já estava explicado acima.

Já na partida frente ao CS Marítimo, não teve a mesma preponderância no jogo portista.

É esta a história de Tecatito, uma história de altos e baixos, e de um jogador que, ocupando uma posição mais avançada no terreno, pode oferecer muito à equipa azul e branca.

Uma coisa é certa: Sérgio Conceição pode estar-se a marimbar para muita gente, mas para Tecatito não está de certeza!

Foto de capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira

Anúncio Publicitário