Há quem diga que está quase, quase a chegar. Toni Martínez já não foge ao FC Porto e tornar-se-á dragão, depois de uma boa temporada ao serviço do FC Famalicão. O avançado conseguiu alcançar a marca dos 14 golos pelo clube minhoto na sua primeira temporada no futebol português, tornando-se numa das revelações da época. Três anos após a falha ao tentar impor-se na equipa principal do West Ham FC, o espanhol consegue uma nova oportunidade para jogar num grande europeu.

Para António Martínez, tudo começou no clube da sua terra, o Real Murcia CF. A qualidade do miúdo de 16 anos deu nas vistas e o Valencia CF chegou-se à frente para conseguir aquele que era ainda uma jovem promessa na altura. O primeiro desafio como “Che” foi na equipa secundária de juniores onde cumpriu inteiramente com as expetativas – 24 golos em 15 jogos. No mesmo ano ascendeu à equipa B do Valencia CF, com apenas 17 anos. Durante três anos, de 2013 a 2016, rodou entre a equipa B e os juniores, tendo sido nos sub-19 que chamara a atenção de outros clubes.

O West Ham FC, clube da Primeira Liga Inglesa, viu nele potencial para brilhar em solo britânico. Toni não desilude assim que chega e faz 14 golos em 14 jogos pelos sub-23 dos Hammers. Inclusive, é chamado à equipa sénior, mas sem conseguir estrear-se acaba por ser emprestado ao Oxford United FC para ganhar experiência, onde teve uma passagem despercebida.

Toni Martínez fez apenas três golos em 17 jogos pelo Oxford United FC

Anúncio Publicitário

Regressara ao clube londrino após o empréstimo, voltando novamente à casa de partida – as camadas jovens. Mais uma vez voltou a dizer “presente” e registou 12 golos em 18 jogos pelos sub-21 e sub-23. A sua estreia no plantel principal finalmente acontecia num jogo a contar para a Taça de Inglaterra frente ao Shrewsbury Town FC. Slaven Bilic acreditava no espanhol e deu-lhe a oportunidade em mais jogos da FA Cup, mas o jovem avançado não conseguiu mostrar o seu valor.

Assim se deu o regresso a Espanha, nomeadamente ao Real Valladolid CD da Segunda Divisão Espanhola. Lá marcara o seu primeiro golo profissional, tendo sido também o único durante o seu empréstimo de meia época. No ano seguinte sucedeu-se a mesma situação e Toni voltava para o seu país natal – empréstimo de agosto a janeiro ao Rayo Majadahonda e de fevereiro até ao fim da temporada ao CD Lugo. Este período instável para Toni certamente que abalou a sua confiança e isso refletiu-se dentro de campo, uma vez que os golos foram escassos (dois no Rayo e um no Lugo).

O verão de 2019 traria mudanças para a carreira de Toni Martínez. Um clube português recém-promovido à Primeira Liga estaria interessado em contratá-lo e o projeto interessava o suficiente ao avançado. O FC Famalicão teve um arranque excecional no campeonato e Toni também – um golo no primeiro jogo do campeonato. Apesar de ter tido um período de seca de sete jogos em marcar, Toni voltaria a encontrar a sua forma e termina a temporada com 14 golos e três assistências em todas as competições.

Este foi o primeiro capítulo da história de Toni Martínez em Portugal e o espanhol já mostrou que gosta de chegar, ver e marcar. Agora que a sua oficialização no FC Porto está prestes a acontecer, será que o ponta de lança vai continuar a balançar as redes como acontecera em Famalicão? A fasquia subiu para jovem de 23 anos, resta saber se está pronto para querer ultrapassá-la constantemente. Esperemos que seja tão bom como o último Martínez que o FC Porto viu brilhar.