atodososdesportistas

Alarmismos? Porquê? Por termos perdido na casa de um rival super-motivado e que só podia ganhar ou… Ganhar?! Eu mantenho-me totalmente tranquilo e a minha opinião sobre o Porto é a mesma que há 3 meses atrás: o treinador não está preparado. Um mega-Porto como aquele que Villas-Boas deixou permitiu (até) a Vitor Pereira ser campeão e eu sou dos que acha que ele não devia ter saído. Depois de herdar um Porto bi-campeão que perde James e Moutinho e para cujos lugares vêm Licá e Josué respectivamente (sem contar com Herrera), o que esperávamos? Milagres?

Meus amigos, a coisa é simples: o pior que podia acontecer no clássico era sairmos a 3 pontos do líder e a 1 do Sporting. Sem problemas. Se me falarem da falta de entrega no jogo, da passividade defensiva, da fraca ou nula prestação dos homens da frente, eu aceito. Mas aceitem também quem dias maus todos têm! E foi claramente um dia péssimo para o clube da Invicta. Foi um jogo disputado até certo momento, onde os contra-ataques fatais do Benfica ditaram o resultado final (e se não fosse o desacerto de Rodrigo seria mais dilatado) e onde pura e simplesmente não vimos um remate digno de registo do Porto. Não falo de arbitragens por principio e nem a fraca (ou horrorosa) prestação daquele senhor de amarelo me vai fazer “desculpar” o meu clube.

Ao contrário do passado mais recente, o FC Porto não foi feliz na Luz / Fonte: JNt
Ao contrário do passado mais recente, o FC Porto não foi feliz na Luz / Fonte: JN

Dá-me um certo gozo ver os “vermelhinhos” (carinhosamente falando, nada de se sentirem ofendidos!) a passar por mim e a perguntar-me pelo torcicolo que tenho de olhar para cima. Isto é “só” de rir, pois, se entrarmos por aí, esses mesmos adeptos já devem ter um torcicolo bem calejado de tanto e tanto e tanto que olham para cima. Eu habituei-me a ver um Porto penta-campeão; perder um campeonato; campeão; perder um campeonato; bi-campeão; perder um campeonato; tri-campeão; perder um campeonato e tri-campeão (em titulo). Torcicolos?! Não, a isso se chama “síndrome da pequenez”, muito comum naquele tipo de clubes que são parecidos com o golfinho: sempre lá em baixo e que volta e meia, quando aparecem cá em cima, acham piada e gozam. Isso é bom! É bom saber que em Portugal só existe uma coisa que regojiza mais os adeptos do clube da Luz do que as vitórias do próprio clube: o Porto não estar em primeiro lugar! E é bom porque… É coisa rara!

E se, hipoteticamente, o Porto este ano não for campeão? Sem problemas de maior. Quero ganhar o campeonato e estou plenamente convicto de que, mais uma vez, jogaremos com o Benfica a derradeira jornada e com eles faremos (mais uma…) festa! Não sou adepto de não acreditar. A nossa equipa teve um dia mau e já vai tendo muitos dias maus, é verdade, mas enquanto ganhar, vai sendo menos mal… Não me lembro de ver o Porto sofrer golos esta época em lances como os dois golos de Domingo: um passe a rasgar entre o central e o lateral, onde Danilo não faz o movimento correcto nem existe pressão sobre o portador da bola e outro golo de canto numa zona onde Mangala não costuma vacilar. Correu tudo mal, até as substituições. E nelas, mais um vez, Paulo Fonseca cedeu à pressão dos adeptos. O que foi Quaresma fazer para o campo? Esperava uns minutos de Quaresma num jogo onde ainda fosse possível ganhar ou, estando em vantagem, soltar o Harry Potter para fazer umas diabruras. Mas não, Paulo Fonseca lança o “ciganito” em campo com o jogo já a “ferver” e perdido. Resultado: amarelo, picardias e assobios da bancada. Para mim, não foi uma boa estratégia do timoneiro azul-e-branco.

Paulo Fonseca não usou o "joker" Quaresma da melhor maneira / Fonte: UOL
Paulo Fonseca não usou o “joker” Quaresma da melhor maneira / Fonte: UOL

Mas também se não o pusesse estavam todos a dizer que o devia ter posto. Por que raio não entra Ghilas quando o Benfica faz o 2-0? Josué? Mas afinal o que passou na cabeça da equipa técnica? Querer ter a bola no chão quando a pressão do Benfica nos sufocava? É difícil de entender.
Agora já passou, e com os erros se aprende (Vitor Pereira aprendeu e bem…), espero que Paulo Fonseca também o faça.

A única coisa que não posso admitir é a falta de entrega e de raça que os jogadores tiveram em campo! E aí o treinador não pode ser responsabilizado! Danilo, um fantástico lateral, fez de longe a pior exibição da época e ainda acabou ridiculamente expulso pelo tal senhor de amarelo, que estava desejoso de o fazer. Mangala e Otamendi pareciam nunca ter jogado juntos, tal não foi o desacerto. Varela e Jackson, geralmente decisivos em clássicos, não se viram. E Licá, enfim… sobre este está tudo dito. Exige-se mais e sou adepto de que depois de uma exibição destas o treinador deveria promover 4/5 alterações no próximo jogo do campeonato, como que num “abre-olhos” para quem pensa que existem lugares cativos.

Somos Porto, somos tri-campeões e queremos o tetra! Para lá caminhamos? Sim! Falta disputar uma volta inteira, num total de 45 pontos! Dependemos de nós mesmos e isso é um facto. Não estamos a 7 ou 5 pontos do Benfica como em épocas anteriores, e até aí acreditava! É hora de nos unirmos e sermos adeptos “à inglesa”, apoiar a equipa do primeiro ao último minuto, gostando ou não do treinador e das suas opções. Assobiar, deixar de ir aos jogos ou apupar é a pior coisa a fazer num momento destes. Vamos acreditar, “companheiros”. Unidos somos mais fortes e nada nos tirará aquilo que nós somos: os melhores de Portugal! Deixem outros serem os maiores ou com mais adeptos, nós temos é fome de títulos e estamos de barriguinha (bem) cheia!

Para finalizar, 2 notas:

I- Linda a homenagem a Eusébio sentida no estádio da Luz e respeitada pelos adeptos de ambas as equipas, Ele merece!

II- Depois da homenagem àquele que, para mim, foi o segundo melhor jogador Português de sempre, deixo também o meu apreço àquele que é o melhor de sempre: o vencedor da Bola de Ouro (finalmente fez-se justiça!). As lágrimas escorreram-me pelo rosto e ainda me apeteceu dizer aquela célebre frase: “oh Platini e Blatter, vão para…”, não, não digo. Mas posso pensar nisso, e penso sim!
Saudações e espero que a positividade com que escrevo vos faça também acreditar que nada está perdido, e continuamos no rumo do título, apenas com menor margem de erro!

Comentários