Trocas & Baldrocas: FC Porto e Sporting CP

    E se um clube pudesse buscar o jogador do rival mais interessante para a sua formação? Partindo do clássico que opõe FC Porto e Sporting CP, quisemos fazer um exercício: Se os leões pudessem vir buscar um jogador dos portistas, qual seria o mais interessante? E se os dragões pudessem ir a Alvalade um dos atletas do rival, quem poderia ser?

    Para que se faça uma escolha acertada para cada uma das equipas, é preciso relembrar como cada uma das duas equipas joga.

    Sporting CP

    Desde que Ruben Amorim assumiu o projeto no decorrer de 2019/2020, os Leões jogam em 3x4x3 com três centrais e dois alas bastante projetados. 

    No meio campo para além dos alas, há um medio defensivo e um médio mais próximo da tripla ofensiva e que faz a ligação pelo meio entre o setor intermediário e o atacante. Na frente ofensiva, há dois extremos e um homem no centro que pode ser uma referência ofensiva ou um jogador mais movel que troque muitas vezes de posição com os colegas dos corredores.

    FC Porto

    Com a saída de Vitinha e sem um box to box com a mesma capacidade de passe e de transporte da bola, Sérgio Conceição acabou por adaptar o esquema tática para um 4x4x2 melhor definido. 

    Apesar de a linha defensiva ser a quatro, os laterais também estão muito projetados para o ataque, combinando com os médios ala. No setor intermediário, varia a utilização de um ou dois elementos mais defensivos. Um médio com o perfil mais ofensivo também deriva para uma das alas. No ataque, há uma dupla no centro com uma referência mais fixa na grande área e o outro elemento com maior liberdade de movimentos.

    PepêSporting CP

    Este Sporting obriga a que os alas tenham uma grande profundidade especialmente a nível ofensiva. Pêpê que começou a carreira no Grémio de Porto Alegre como ala precisamente também é aposta muitas vezes por Sérgio Conceição para lateral direito.

    A capacidade técnica, a qualidade no passe especialmente curto e a velocidade ofereciam ao leão chama no movimento ofensivo pelo lado direito. Para além disso a sua mobilidade e a polivalência (joga melhor a extremo esquerdo, mas pode jogar em qualquer posição do ataque e ocupar ainda o meio campo) poderia dar a Ruben Amorim um lote importante de soluções em partidas difíceis de desbloquear.

    MoritaFC Porto

    A escolha óbvia até poderia ser Pote ou algum elemento para as laterais. Contudo, a forma de jogar do Porto 2022/23, em relação à da época anterior, teve de ser alterada pela saída de Vitinha e não se ter conseguido arranjar um substituto à sua medida.

    Sem um elemento com a capacidade de passe e de condução de bola como tinha Vitinha, a equipa parece ter maiores dificuldade em ligar o jogo, especialmente setor intermediário com o ofensivo. O modelo de jogo acabou por ficar algo limitado.

    Por isso, surge o médio internacional japonês do Sporting. Morita tem boa qualidade de passe, capacidade técnica no 1×1 e facilidade em chegar a zonas de finalização e de visar a baliza.

    Por outro lado, também sabe pressionar os adversários quando a equipa está sem bola, mas por vezes “vai com muita sede ao pote”, o que acaba por fazer com que seja ultrapassado pelo adversário. Falta um pouco mais de interpretação no jogo sem bola e de ser mais constante na procura do esférico e de estar em jogo. Nada que não pudesse ser melhorado.

    - Advertisement -

    Subscreve!

    PUB

    spot_img

    Artigos Populares

    Álvaro Pacheco é o novo treinador do Al Orobah

    Álvaro Pacheco foi confirmado como novo treinador do Al...

    O caso Enzo Fernández: racismo ou ignorância?

    O internacional argentino Enzo Fernández, antigo jogador do Benfica,...

    Giovanni Simeone pode rumar a clube onde o pai já foi figura

    Giovanni Simeone está a ser muito pretendido pela Lazio,...

    Sem Taremi, quem se chega à frente? | FC Porto

    O FC Porto perdeu Mehdi Taremi durante o defeso....
    Pedro Filipe Silva
    Pedro Filipe Silvahttp://www.bolanarede.pt
    Curioso em múltiplas áreas, o desporto não podia escapar do seu campo de interesses. O seu desporto favorito é o futebol, mas desde miúdo, passava as tardes de domingo a ver jogos de basquetebol, andebol, futsal e hóquei nacionais.