Fechado que está o mercado de inverno é tempo de fazer um balanço. É de destacar que ainda existem mercados abertos, por isso, ainda podem acontecer algumas saídas do plantel. Entradas foram quatro, com maior destaque para Pepe, que voltou ao FC Porto, para terminar a carreira no seu clube do coração, sendo ainda uma grande mais-valia no plantel azul e branco.

Pepe, além da qualidade e experiência que acrescenta no imediato, prepara a saída inevitável de Militão no próximo verão. Neste momento, Sérgio Conceição tem soluções no setor defensivo para poder utilizar diversas variantes táticas em função dos momentos de forma, das características do adversário e da intensidade dos jogos. A qualidade individual do FC Porto neste setor é de top Europeu.

Para o setor defensivo, além de Pepe chegou também Wilson Manafá, proveniente do Portimonense SC. Um defesa lateral (extremo de origem) de 24 anos, que passou pela formação do Sporting CP e, que nas últimas épocas, esteve em grande plano no clube algarvio.

Pode jogar quer na direita quer na esquerda, uma polivalência, que agrada bastante a Sérgio Conceição. Rápido, poderoso fisicamente, forte nos duelos individuais, consegue dar profundidade no seu corredor, algo que o treinador portista valoriza bastante na sua ideia de jogo. Precisa de melhorar no último passe. Não será um titular indiscutível mas pode ser muito útil e não tenho duvidas que estará constantemente entes os convocados. Ter um jogador com esta polivalência no banco é uma segurança para qualquer treinador.

Wilson Manafá já começou a mostrar serviço
Fonte: FC Porto

Mamadou Loum foi o reforço de última hora e o mais dispendioso. O médio defensivo chega ao FC Porto a troco de 7.5 milhões de euros, um valor muito acima do mercado para o “curriculum” do jogador. Mais um grande negócio de António Salvador. Loum surge como alternativa direta a Danilo. É um jovem de 22 anos com margem de progressão, muito forte fisicamente, forte no jogo aéreo, com capacidade de “queimar” linhas com bola. Precisa de melhorar a receção orientada e o passe longo.

Para o setor ofensivo chegou Fernando Andrade. Um avançado móvel que encaixa na perfeição na ideia de jogo do FC Porto. Rápido, forte fisicamente, forte no ataque à profundidade, que pode jogar partindo das alas ou como segundo avançado. Com as devidas diferenças tem características semelhantes ao imprescindível Marega.

Em sentido inverso tivemos a saída de Sérgio Oliveira. É com pena que vejo um jogador Português, da formação do clube, que foi importantíssimo na época passada sair desta forma do clube. Mas as incompatibilidades com Sérgio Conceição eram evidentes e a saída era inevitável.

Uma outra nota que gostava de destacar é o número de jogadores que ao dia de hoje constam no plantel azul e branco. 30 jogadores, quando ainda existe uma equipa B é uma “barbaridade”. Talvez nos próximos dias o clube consiga colocar alguns desses jogadores.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários