Não foi propriamente animadora a primeira aparição de Renzo Saravia já como primeiro reforço oficial do FC Porto para 2019/2020. No jogo de estreia na Copa América pela seleção argentina, o lateral direito mostrou tudo aquilo que pode fazer qualquer adepto desconfiar da assertividade da sua contratação, estando negativamente ligado aos dois golos com que a Colômbia ‘despachou’ a seleção de Messi e companhia.

“Ele é visto por muitos no seu país como a melhor opção para a posição na seleção albiceleste. (…) Resta saber se isso se deve à falta de opções de qualidade ou se Saravia tem nível para estes patamares”. A transcrição pertence ao GoalPoint e representa muito daquilo que é neste momento Saravia: uma incógnita.

3,9 foi o rating que o lateral de 26 anos registou na derrota contra a Colômbia, que o tornou no pior elemento em campo. A seu favor, Saravia tem o facto de chegar com regularidade a zonas de cruzamento, comparando-se, neste aspeto, a um jogador que deixou saudades no Dragão: Ricardo Pereira. Ainda assim, nas últimas quatro temporadas no Racing registou apenas duas assistências para golo.

Saravia custou 5,5 milhões de euros aos cofres da SAD azul e branca
Fonte: Racing Club

Quando pressionado, os números de Saravia são ainda piores que os de Manafá no que ao controlo de bola diz respeito (2,3 contra 2,0), mas é na capacidade técnica e na grande velocidade que pode estar a chave para o sucesso de Saravia com a camisola azul e branca. Este segundo item pode até ser uma boa solução ofensiva, se tivermos em conta a quantidade de vezes que o argentino costuma ser travado em falta em zonas adiantadas do terreno. É precisamente a partir de lances de bola parada que os azuis e brancos marcam grande parte dos seus golos.

Anúncio Publicitário

É mesmo no momento defensivo que o argentino regista as maiores debilidades, principalmente no 1×1, já que é ultrapassado em drible com alguma frequência. Manafá e Maxi, por exemplo, são melhores neste aspeto. Soma mais alívios que os “antecessores”, apesar de fisicamente não ser tão robusto, mas deixa um pouco a desejar nos duelos aéreos, algo que Sérgio Conceição quererá trabalhar de modo a tornar Saravia uma solução válida para a próxima época.

Ainda são algumas as arestas por limar em Saravia, algo que revela alguma preocupação tendo em conta o custo e a idade do argentino. Se no aspeto ofensivo mostra bons números, é essencialmente na defesa que as melhorias se tornam mais urgentes. Contra adversários mais fortes, Saravia ainda não dá as garantias desejadas.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira