É frequente dizer-se que os campeões carregam consigo a estrelinha que lhes permite confiar na sorte e ser bem sucedidos em situações potencialmente complicadas. Desta vez não falamos do futebol jogado, mas o sorteio da Champions League tinha tudo para ser um tormento para as equipas portuguesas. No caso do FC Porto, a lotaria ditou que o equilíbrio será a nota dominante, num grupo que permite aos dragões experimentar novamente as sensações de Gelsenkirchen, rever velhos conhecidos e até medir forças com dois portugueses.

O lote 1 do sorteio continha sete colossos e um ousider. Logo aí, o FC Porto suspirou de alívio quando o papel anunciava os russos do FK Lokomotiv Moscva como primeiro adversário. Seguiram-se os alemães do FC Gelsenkirchen-Schalke 04 e, por último, os turcos do Galatasaray SK.

As primeiras conclusões apontam para um grupo pautado pelo equilíbrio entre os quatro emblemas, com a particularidade de termos três campeões (FC Porto, Galatasaray e Lokomotiv) e um vice-campeão (Schalke 04).

Os objetivos do FC Porto para a Champions League passam por, em primeiro ou em segundo lugar, assegurar desde logo a passagem aos oitavos de final e, dessa forma, amealhar mais uns milhões. Olhando para os oponentes, o campeão nacional parece ter todas as capacidades de conseguir esse objetivo, sendo que as viagens a que se verá obrigado, nomeadamente à Turquia e à Rússia, podem ter um peso significativo. Resta esperar que esses périplos não coincidam com o inverno rigoroso que se fará sentir nessas localidades.

O Schalke 04 é, na minha opinião, o adversário mais complicado
Fonte: FC Porto
Anúncio Publicitário

Analisando um a um, pessoalmente considero os germânicos do Schalke 04 o oponente teoricamente mais complicado, desde logo tendo em conta a excelente campanha do ano passado, na qual terminou em segundo lugar na Bundesliga, apenas atrás do todo poderoso Bayern. Para os portistas, a presença em Gelsenkirchen (local onde o FC Porto venceu a segunda Liga dos Campeões da sua história) pode ser uma inspiração.

Em relação aos restantes, destaque para os embates com velhos conhecidos. Se nos turcos alinham os ex dragões Maicon (curiosidade para ver como vai ser recebido depois da saída atribulada do Dragão) e Fernando Reges, nos russos jogam os portugueses Éder e Manuel Fernandes. Todos foram campeões na época passada e, por via dessas conquistas, garantiram entrada direta na Champions League. Nunca é demais recordar que este não foi o sorteio mais complicado que poderia ter calhado ao FC Porto, mas está certamente muito longe de ser o mais fácil e, por isso, exige-se a determinação, o profissionalismo e o respeito de sempre, de forma a que os portistas possam (uma vez mais) sonhar alto.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários