Terminada a série de oito vitórias consecutivas do FC Porto, que começara frente ao Vitória FC (4-0) e acabara no apito para o final do jogo em Roterdão, contra o Feyenoord Rotterdam, o FC Porto prepara agora os próximos jogos. O adversário que se segue é o SC Coimbrões, num jogo que será a contar para a terceira eliminatória da Taça de Portugal.

Até ao fim do mês de outubro, os azuis e brancos jogarão quatro vezes. Mais precisamente, serão quatro partidas em 11 dias. Um calendário muito preenchido nunca é bom para a gestão do físico, mas se os dragões querem lutar por todas as frentes Sérgio Conceição vai ter de ser cirúrgico no alinhamento e na “logística” da equipa.

Alguns jogos terão um grau de dificuldade e importância maior que ouros, mas todos requerem especial atenção. Pelo meio, haverá uma deslocação à ilha da Madeira para defrontar o CS Marítimo no traiçoeiro Estádio dos Barreiros.

Nos últimos anos, o emblema madeirense consegue sempre bons resultados frente aos três grandes e apesar de este ano ainda não terem encontrado a forma mais regular, poderão ser verdadeiros criadores de perigo. Os dois jogos em casa frente ao Rangers FC e o FC Famalicão serão também jogos de “alto” calibre e a máquina portista precisa de estar afinada ao máximo para duas partidas cruciais. Analisemos mais profundamente então os jogos em questão.