25 de maio de 2019. FC Porto volta a vencer a prova rainha, seis anos depois.

Numa tarde solarenga, o estádio do Jamor encheu-se de tons azuis e verdes para o derradeiro jogo da temporada, que opôs o FC Porto ao Sporting CP. As duas equipas, que voltaram a encontrar-se depois da final da Taça da Liga vencida pelo Sporting em janeiro, voltaram a ser protagonistas de mais um espetáculo de futebol, mas desta vez com um vencedor diferente.

De um lado a equipa de Sérgio Conceição que perdeu a corrida para o campeonato quando levava sete pontos de avanço. Do outro lado a fragilizada equipa de Marcel Keizer que apenas foi feliz na conquista da Taça da Liga. A viver momentos distintos, mas com a mesma vontade, as duas equipas proporcionaram belos momentos de futebol, mas no fim foram os dragões a serem mais felizes, contrariando o enguiço, vencendo nas grandes penalidades.

O jogo começou com muita intensidade, com as duas equipas a procurarem o golo, mas a serem contidas nas saídas, no entanto foram os leões a entrarem melhor e a serem mais afirmativos, com bons apontamentos de Luiz Phellipe. Na resposta à boa entrada do adversário, os portistas tiveram em Otávio o protagonista do primeiro lance de grande perigo, com um remate forte a obrigar uma grande defesa de Renan Ribeiro.

Ao remate potente do extremo, respondeu o principal artilheiro leonino: Bruno Fernandes. O capitão rematou com potência, mas acabou por ver o golo negado por Vaná, com uma boa defesa do guardião.

Fonte: FC Porto
Anúncio Publicitário

O jogo estava repartido, mas foi o FC Porto a festejar primeiro, aos 41 minutos, através de Tiquinho Soares. O avançado portista cabeceou em cheio para o fundo da baliza leonina, depois de um cruzamento de Herrera. No entanto, ainda antes do intervalo, o Sporting CP repôs a igualdade por intermédio do capitão Bruno Fernandes, que aproveitou um bom lance individual de Acuña para restabelecer a igualdade.

No tempo complementar, o FC Porto dominou por completo, criando várias situações de perigo, mas a não ser feliz na finalização e a obrigar ao prolongamento. E foi já nesse período que os sportinguistas deram a cambalhota no marcador, com um golo de Bas Dost. E quando os adeptos leoninos já festejavam, foi Felipe a repor a igualdade e a levar o jogo para as grandes penalidades, ao marcar o golo no último minuto da partida.

Há várias épocas consecutivas que os portistas não eram felizes nos penáltis, principalmente com os sportinguistas, mas nesta tarde a história foi outra. Bruno Fernandes falhou o quinto penálti e foi Moussa Marega a marcar a penalidade decisiva que garantiu ao FC Porto a conquista da Taça de Portugal, seis anos depois.

Foto de Capa: FC Porto

Comentários