fc porto cabeçalho

Perdemos com a toda poderosa Vechia Signora; o Benfica venceu o agradável Chaves (mais projetos de bom futebol como este, por favor!), e a pressão está novamente do lado dos dragões. O que têm em comum o jogo de quarta feira com o de ontem do rival? Nada e, ao mesmo tempo, tudo. Mas já lá vamos.

A jornada europeia é passado, e todas as atenções viram-se agora para o campeonato: a nossa verdadeira luta. E, mais uma vez, surge a oportunidade para o FC Porto provar a si mesmo e, também, à concorrência, a capacidade que tem para recuperar o título que tanto almeja. Como diria o mestre Pedroto, este é o momento certo para a armada de Nuno Espírito Santos mostrar que tem, definitivamente, estofo de campeão.

Segue-se a curta mas sempre complicada visita ao Estádio do Bessa para defrontar um Boavista inquestionavelmente bem organizado por Miguel Leal. A força das panteras estará sempre no coletivo compacto que apresentam; porém, Nuno destaca, e bem, um trio sobre o qual devem recair atenções redobradas no momento da organização defensiva da equipa. Iuri Medeiros, Fábio Espinho e Renato Santos funcionam como complemento individual à força coletiva dos axadrezados. Para este jogo, NES terá de proceder à troca obrigatória de Felipe por Boly, e esperemos que isso não seja um problema, não pela qualidade do francês mas sim pelas rotinas já existentes entre o Xerife e Marcano que são, de facto, um muro praticamente intransponível.

A viagem ao Bessa tem que ser recompensada com uma vitória Fonte: FC Porto
A viagem ao Bessa tem que ser recompensada com uma vitória
Fonte: FC Porto

A expulsão de Alex Telles na passada quarta feira resultou num esforço redobrado para a equipa, tanto a nível físico como mental. A capacidade de resposta que se espera no próximo domingo é, também ela, um fator determinante na luta intensa pelo campeonato. O facto de entrar em campo com quatro pontos de atraso não pode pesar na mente de uma equipa que, ainda que jovem, quer e tem de ser campeã. O cansaço terá de ser posto de lado, para que se dê lugar ao pragmatismo necessário e que tão bem tem sido empregado nos últimos jogos.  A pressão acrescida provocada pela vitória do rival só tem de ser capitalizada em motivação extra para que seja dada uma resposta… à campeão!

Anúncio Publicitário

Ah, e que grande apoio terão os nossos guerreiros, na bancada. Se onze estarão a lutar no relvado, quase dez mil ajudarão do lado de fora. Que bonita é esta sintonia entre equipa e adeptos. Os jogadores encarnam na perfeição o espírito do ‘ser Porto’ que mais ninguém, além de nós, consegue entender. Porque, lá está, não se define. Sente-se, apenas.

Vamos, Porto!

Foto de Capa: FC Porto

 

Comentários