Foi a 29 de abril de 2019, que os pequenos dragões conquistaram a Europa pela primeira vez, ou seja, os sub-19 do FC Porto conseguiram derrotar o Chelsea FC, por 3-1, na final da UEFA Youth League, competição que é equiparada à edição da Liga dos Campeões, mas na categoria de juniores.

Desta forma, a formação azul e branca conseguiu fazer história, já que foram a primeira equipa portuguesa a levar o troféu para Portugal, depois do SL Benfica já ter disputado a final por duas ocasiões. Certamente, este será um dia que ficará marcado nas cabeças destes jovens jogadores, uma vez que foi uma grande oportunidade para se mostrarem a um nível internacional, isto é, há muitos olheiros de olhos postos neste torneio e depois porque vencer é sempre uma enorme marca que fica na vida de qualquer pessoa. Todavia, já passou 1 ano (celebrado na última quarta-feira) e será que os portistas olham de forma diferente para a formação? Os dados dizem que sim, a verdade é que o elenco da equipa principal, atualmente, conta com vários elementos que fizeram parte desta jornada triunfante e muito deles são vistos como uma espécie de “Euromilhões financeiro”.

 

Foi a 29 de abril de 2019, que os pequenos dragões conquistaram a Europa pela primeira vez ao derrotar o Chelsea FC, por 3-1, na final da UEFA Youth League
Fábio Silva é a grande esperança do FC Porto e a sua cláusula de rescisão atesta isso, já que está fixada nos 100 milhões
Fonte: Bola na Rede

Todos tem conhecimento da frágil situação financeira que paira pelo emblema nortenho e como isso afeta a competitividade do plantel, tal como a preparação de uma nova época no que toca a reforços. Assim, o futuro do clube deve passar inevitavelmente pelas camadas jovens e com uma maior taxa de aproveitamento dos jovens que saem dos quadros da formação. Só assim o FC Porto vai conseguir voltar a ter a pujança económica de outrora e  elevar a qualidade do seu futebol. Vários são os exemplos de equipas desportivas que seguem este modelo e com sucesso e não é preciso ir ao estrangeiro para constatar isto, já que em Portugal temos o exemplo do SL Benfica, que apesar de tudo, tem conseguido tirar proveito desportivo e financeiro da sua academia, quer se goste mais ou menos.

Anúncio Publicitário

O paradigma aos poucos parece estar a mudar e muitos dos jovens talentos que incorporam o grupo de trabalho de Sérgio Conceição já conhecem os cantos ao Olival e são eles Diogo Costa, Diogo Leite, Romário Baró, Vitor Ferreira e Fábio Silva. Todavia, não podemos esquecer de outros atletas que podem vir a dar muito pelo FC Porto, que são eles Tomás Tavares, Fábio Viera e Diogo Queirós.

Com isto, há um sonho que tanto une os adeptos como os próprios futebolistas, que é sonho de os ver a levantar vários títulos pela camisola dos dragões e que todos, sem exceção, consigam deixar a sua marca pelo clube e que a sair… que seja por uns bons milhões. O mote para o sucesso não parece ser difícil, agora basta que a cúpula diretiva os deixe brilhar em campo e não apenas nas contas bancárias.