futebol nacional cabeçalho

Costuma dizer-se, entre os adeptos de futebol, que só a partir da 5.ª jornada da Primeira Liga é que o campeonato começa a entrar nos eixos. É assim que se refresca o calor da euforia de uma liderança isolada à segunda jornada, acalmando as expectativas dos adeptos menos informados sobre esse assunto tão culturalmente importante que é o “da bola”.

Esta edição da liga não poderia ser mais “informativa” nesse sentido, pois muito se decidiu na 5.ª jornada e, estima-se, terá efeitos no longo prazo. Desde logo, em Setúbal, o Vitória local empatou com o de Guimarães a 2 bolas, mesmo jogando com um elemento a menos durante mais de 90 minutos (incluindo descontos – Fabio Pacheco foi expulso ao minuto 1), o que acabou por ditar a saída do técnico Armando Evangelista, há muito contestado, e a entrada de Sérgio Conceição para o seu lugar, o que vem apimentar, e de que maneira, o dérbi minhoto da jornada 6, pois para além do efeito chicotada psicológica que os jogadores vitorianos deverão sentir, Sérgio Conceição treinou o rival Braga na temporada passada, e os arsenalistas encontram-se num excelente momento de forma, depois de baterem, por 5-1, o Marítimo.

As demissões de treinadores não ficaram por aqui. José Viterbo, treinador da Académica, também saiu do comando técnico dos estudantes, depois da derrota com o Boavista, em casa, por 2-0. Resta saber como reagirão os estudantes sob o comando de Filipe Gouveia, novo treinador, em Vila do Conde, frente a um Rio Ave moralizado, depois de bater, de forma clara, o Paços por 3-0, acercando-se dos lugares europeus… à semelhança do Estoril, que também venceu fora – 1-0 em Tondela. Os canarinhos terão no jogo com o União (empatou a zero em casa, com o Arouca) uma hipótese de prolongar o bom momento, os pacenses e os tondelenses quererão dar a volta ao mau resultado obtido na ronda anterior, apesar das difíceis deslocações que terão pela frente (Benfica e Marítimo, respectivamente), tarefa de um nível de dificuldade semelhante ao do Boavista, que para manter os bons resultados terá de pontuar, em casa, frente ao Sporting, que venceu o Nacional por 1-0, num golo no último suspiro do encontro, com Montero a servir de herói para os leões e de carrasco para os madeirenses, que quererão manter a boa performance protagonizada em Alvalade na recepção ao Vitória de Setúbal.

André André festeja um golo que se pode vir a revelar importante Fonte: Facebook do FC Porto
André André festeja um golo que se pode vir a revelar-se importante
Fonte: Facebook do FC Porto

Também o Belenenses quererá manter os bons desempenhos em Arouca, depois da primeira vitória na Liga, imposta ao Moreirense de forma clara, por 2-0, equipa que irá ver-se a braços com uma tarefa complicadíssima. É que os cónegos irão receber um Porto que deixou um dos rivais directos na luta pelo título a quatro pontos, num jogo decidido perto do final, numa jogada de génio, finalizada, de forma sublime, por André André. O médio-centro demonstrou que a boa exibição em Arouca não fora um acaso e sentenciou o clássico frente ao Benfica com o único golo do encontro, coroando, assim, uma enorme exibição.

Anúncio Publicitário

Restam 29 jornadas, mas já se começam a delinear distâncias… e horizontes.

Treinador da jornada:

Fabiano Soares – A pouco e pouco, o Estoril vai subindo na classificação e já se encontra em lugares europeus, perdendo apenas para os grandes, somando vitórias nos restantes encontros. Frente ao Tondela, Fabiano Soares soube dispor bem a sua equipa em campo e reagiu, quando foi preciso, devidamente, depois da expulsão de um jogador seu.

Antes e durante do jogo, soube ler a realidade que este ia ditando e reagiu às imprevisibilidades de forma a que não comprometesse três pontos tão preciosos quanto difíceis de arrancar.

Jogador da jornada:

André André – No momento em que Varela ganha a bola para o colocar frente a Júlio César já tinha a certeza de que a bola iria entrar e que um dos seus sonhos de criança se iria cumprir. Estava escrito no destino e visualizado no seu imaginário de miúdo que iria, um dia, decidir um clássico. E assim foi. Um golo sublime a culminar uma jogada colectiva fantástica, que também teve o condão de coroar uma exibição aguerrida do centro-campista do FC Porto.

Foto de capa: Facebook do FC Porto

Comentários