logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

CD Tondela

CD Tondela 2-2 FC Arouca: O bom jogo que o vento não trouxe

A CRÓNICA: PONTO A PONTO, RUMO À SALVAÇÃO

Dizem que há ventos de mudança que são benéficos em determinadas alturas da vida. Em Tondela, o vento fez-se sentir, a mudança tinha ocorrido durante a semana, no comando técnico do Clube Desportivo local (Nuno Campos substitui Pako Ayestarán), mas faltava confirmar se tinha sido benéfica.

Num duelo entre equipas “do mesmo campeonato”, CD Tondela e FC Arouca sabiam que perder frente a um rival direto, sobretudo nesta reta final de temporada, pode ditar uma queda para o escalão secundário dos Futebol português.

Foi perante este cenário que as duas equipas entraram no jogo a querer marcar, e não foi preciso esperar muito. Ainda dentro dos primeiros cinco minutos de jogo, Tiago Esgaio assistiu André Silva de forma irrepreensível, com o avançado dos arouquenses a elevar-se perante os três centrais da casa e a bater Pedro Trigueira.

Numa primeira parte que não foi bem jogada, o tal vento de mudança acabou por ter efeito, trazendo a “cambalhota no marcador” para os beirões. Primeiro, Eduardo Quaresma fez o empate, depois de Victor Braga ter impedido um autogolo de Tiago Esgaio; depois, a confirmar a reviravolta, já em cima do intervalo, Salvador Agra finalizou a melhor jogada da partida, assistido por Tiago Almeida e na sequência de um grande passe de Rafael Barbosa. Um regalo para os olhos de todos os amantes de Futebol!

A segunda parte trouxe um Tondela a jogar melhor, conseguindo superiorizar-se ao Arouca, mas sem que fosse muito evidente. Assim, foi mesmo a equipa de fora que chegou ao golo, colocando novo empate no marcador. Bukia teve espaço para cruzar e serviu André Silva, que finalizou de forma estupenda e, assim, bisou na partida.

A seguir ao 2-2, foi o Arouca quem começou a ter mais iniciativa na partida, remetendo o Tondela ao seu meio-campo. A equipa da casa ia tentando sair, através da velocidade dos homens da frente, mas faltava discernimento no momento de ligar o jogo entre setores.

O empate foi mesmo o resultado final, num jogo que, à exceção dos lances dos golos, teve muito poucos momentos de brilhantismo. Em termos concretos, as duas equipas somam mais um ponto na luta pela sobrevivência.

 

A FIGURA

CD Tondela
Fonte: Paulo Ladeira / Bola na Rede

Salvador Agra – Esteve no lance do primeiro logo e marcou o segundo. Para além disso, foi sempre a figura principal do ataque tondelense, que funcionou a espaços. A dinâmica ofensiva da equipa foi muito melhor enquanto esteve em campo. Menção honrosa para André Silva, avançado do Arouca que marcou os dois golos dos forasteiros.

 

O FORA DE JOGO

FC Arouca
Fonte: Paulo Ladeira / Bola na Rede

Tiago Araújo – O segundo golo do CD Tondela surge pela ala esquerda, à guarda (em teoria) de Araújo. Para além disso, esteve pouco (ou nada ) envolvido no processo ofensivo do Arouca. É capaz de mais do que aquilo que mostrou hoje.

 

ANÁLISE TÁTICA – CD TONDELA

Para o primeiro jogo oficial ao comando dos beirões, Nuno Campos apostou num 3-4-3, numa tentativa de mudar o rumo que a equipa levava. Com Eduardo Quaresma a voltar à posição de central e Marcelo Alves no lugar que habitualmente é de Manu Hernando, a equipa teve Tiago Almeida e Neto Borges nas alas (com o segundo a ser muito mais ofensivo, apesar do primeiro ter anotado uma assistência).

O meio-campo a dois, com Pedro Augusto e Undabarrena, equilibrou uma equipa que teve na frente Salvador Agra e Rafael Barbosa, a apoiar Dadashov (cedo substitui Daniel dos Anjos, que saiu lesionado).

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Pedro Trigueira (5)

Tiago Almeida (5)

Eduardo Quaresma (5)

Marcelo Alves (6)

Modibo Sagnan (5)

Neto Borges (6)

Pedro Augusto (6)

Iker Undabarrena (6)

Rafael Barbosa (6)

Salvador Agra (7)

Daniel dos Anjos (-)

SUBS UTILIZADOS

Renat Dadashov (5)

Ricardo Alves (5)

Juan Boselli (5)

Tiago Dantas (5)

João Pedro (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – FC AROUCA

O habitual 4-3-3 de Armando Evangelista sofreu um revés cedo na primeira parte, com Pedro Moreira a sair por lesão e a dar o lugar a Pité. A completar o trio do meio, David Simão e Leandro Silva foram as opções.

Com Tiago Esgaio na lateral direita, mais ofensivo, e Tiago Araújo na lateral esquerda, mais contido, os extremos Arsénio e Bukia foram trocando de lado durante o jogo, mas sem conseguirem ter grande impacto no processo ofensivo.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Victor Braga (5)

Tiago Esgaio (6)

João Basso (6)

Nino Galovic (5)

Tiago Araújo (5)

Pedro Moreira (5)

Leandro Silva (6)

David Simão (6)

André Bukia (6)

Arsénio Nunes (6)

André Silva (7)

SUBS UTILIZADOS

Pité (5)

Alan Ruiz (5)

Antony Alves (5)

Oday Dabbagh (5)

Thales Oleques (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

CD TONDELA

BnR: Sabendo que teve pouco tempo de trabalho com a equipa antes deste primeiro jogo, a sua estratégia passará por manter este 3-4-3? Se sim, é devido aos jogadores que tem no plantel, ou é um cunho mais pessoal do treinador?

Nuno Campos: Em função do que vimos que a equipa tinha dificuldades, procurámos melhorar certos aspetos. Enquanto a equipa esteve mais fresca, sobretudo mentalmente, estivemos bem. Claro que, na segunda parte, com os jogadores mais cansados e ansiosos, acabámos por cometer mais erros. Vamos ter que os analisar e corrigir durante a semana.

 

FC AROUCA

BnR: Vimos o Tiago Esgaio, na direita, a ser mais ofensivo do que o Tiago Araújo, na esquerda. Foi planeado de antemão, ou deveu-se a alguma situação concreta do jogo?

Armando Evangelista: O Tiago Araújo é um jogador que tem vindo a ser trabalhado nesta posição, é a primeira vez que foi titular como lateral. Posto isto, é natural que tenha sido mais comedido, apesar de a posição de origem ser mais adiantada no terreno. Quanto ao Esgaio, foi igual a si próprio, cumpriu com o que pedimos e esteve bem.

Artigo revisto por Joana Mendes

Apaixonado por futebol desde sempre, tem o hábito de escrever sobre o desporto rei desde os tempos da escola primária, onde o tema das composições de Português nunca fugia da bola.

Apaixonado por futebol desde sempre, tem o hábito de escrever sobre o desporto rei desde os tempos da escola primária, onde o tema das composições de Português nunca fugia da bola.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA