SITE TEMPORÁRIO

20 de Janeiro, 2022

Famalicão x Portimonense

FC Famalicão 0-3 Portimonense SC: “Jóia” Nakajima para passar as passas do Algarve

A CRÓNICA: MINHO GELADO ONDE PERMANECEU O CALOR ALGARVIO

Com duas equipas a quererem fazer pela vida, o FC Famalicão recebeu o Portimonense SC para duelo que se esperava quente num sábado gelado. Os famalicenses estavam na sua melhor forma da temporada, com alguns pontos conquistados nos últimos jogos e os algarvios iam ocupando o sexto lugar da tabela classificativa do campeonato.

O domínio famalicense sobrepôs-se nos minutos iniciais, com a formação algarvia a apostar no contra-ataque e nos erros do coletivo caseiro. A pressão do FC Famalicão sempre falou mais alto ao longo dos primeiros 20 minutos, com os comandados de Paulo Sérgio a aproximarem-se de forma diminuta da grande área de Luiz Júnior. Pedia-se um “aquecedor” de jogo.

E chegou mesmo. Alexandre Penetra tentou o alívio de cabeça após o cruzamento de Shoya Nakajima, mas as medidas não foram as corretas. O defesa central do FC Famalicão concluiu uma grande jogada individual do japonês do Portimonense SC e estava, assim, inaugurado o marcador aos 24 minutos do encontro.

Após o primeiro golo da partida, o Portimonense SC fechou-se um pouco no seu terreno de jogo e o FC Famalicão permanecia na tentativa de criar ocasiões de golo, mas faltava critério no último terço do relvado.

À passagem do minuto 39, um carrossel autêntico entre os jogadores do Portimonense SC culminou num golo de Carlinhos. Depois de mais uma grande jogada individual de Shoya Nakajima, Carlinhos rematou o esférico que embateu no poste esquerdo da baliza e entrou diretamente para o fundo das redes da baliza de Luiz Júnior.

Para fechar a primeira parte, Simon Banza teve uma flagrante oportunidade de golo para o FC Famalicão, mas, “sem saber ler nem escrever”, a bola caiu nas mãos de Samuel Portugal que acabou por impedir o golo que diminuiria a vantagem algarvia.

A equipa da casa entrou em campo para a segunda parte com uma rejuvenescida esperança de querer fazer mossa no resultado, apesar da desvantagem por dois golos. Mantiveram a pressão alta e constante sobre o Portimonense SC, mas parecia não desenrolar o fio até final.

Aylton Boa Morte, cara a cara contra Luiz Júnior, colocou-se num embate que se tornou fatal, aos 70 minutos. A corrente de jogo foi invertida, mais uma vez, com Fahd Moufi a fazer a assistência que permitiu ao avançado dos algarvios se isolar perante o guardião da equipa do Minho. Estava feito o terceiro golo do Portimonense SC e a vantagem voltou a aumentar.

O FC Famalicão começou a desvanecer depois do terceiro golo sofrido. O estado anímico dos jogadores pouco permitiu perante um Portimonense SC bastante eficaz no Estádio Municipal de Famalicão. Os três golos marcados pelos algarvios sentenciaram o jogo no Minho e a formação do sul de Portugal leva, assim, os três pontos na bagagem do autocarro.

 

A FIGURA

Fonte: Diogo Cardoso / Bola na Rede

Shoya Nakajima (Portimonense SC) – Se se ler o nome do jogador do Portimonense, sai um “jóia” que, na verdade, foi o que valeu aos algarvios. Esteve envolvido nas jogadas de golo e manobrou “como quis” o meio-campo. Foi a mais-valia da formação de Paulo Sérgio.

 

O FORA DE JOGO

Fonte: Isabel Silva / Bola na Rede

Diogo Figueiras (FC Famalicão) – Com muitos erros acumulados pelo coletivo, Diogo Figueiras deixou a desejar perante a ofensiva algarvia. A temporização defensiva perante os jogadores rápidos do Portimonense SC foi demasiada em jogadas de potencial perigo iminente.

 

ANÁLISE TÁTICA – FC FAMALICÃO

Ivo Vieira montou um 4-2-3-1, com Pêpê e Charles Pickel recuados na linha do meio-campo. Na baliza, manteve-se Luiz Júnior. A linha defensiva foi composta pelos “Alex” na zona central, com Diogo Figueiras e Adrian Marín a dar largura nas laterais.

No meio-campo, para além de Pêpê e Pickel, Iván Jaime e Ivo Rodrigues davam profundidade nas alas. No centro, Pedro Brazão fazia a ligação de jogo com Simon Banza (que descia bastantes vezes no terreno na ajuda defensiva e na construção ofensiva).

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Luiz Júnior (5)

Diogo Figueiras (4)

Alex Nascimento (6)

Alexandre Penetra (4)

Adrián Marín (6)

Charles Pickel (5)

Pêpê Rodrigues (6)

Pedro Brazão (5)

Ivo Rodrigues (7)

Iván Jaime (6)

Simon Banza (6)

SUBS UTILIZADOS

David Tavares (6)

Marcos Paulo (5)

Heriberto Tavares (6)

De La Fuente (5)

Bruno Rodrigues (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – PORTIMONENSE SC

Com Lucas Possignolo de fora do encontro por estar suspenso devido a acumulação de cartões amarelos, Paulo Sérgio arquitetou um 4-2-3-1 com Carlinhos e Pedro Sá a assegurar a primeira linha do meio-campo. Nas alas, Angulo jogava por dentro para atrair os laterais famalicenses na defesa, de forma a Fali Candé subir no terreno.

Carlinhos e Pedro Sá mantinham-se na primeira linha do meio-campo, com Shoya Nakajima a ser o verdadeiro criativo da formação algarvia. O homem-alvo do Portimonense SC foi Fabrício.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Samuel Portugal (6)

Fahd Moufi (6)

Willyan (6)

Pedrão (7)

Fali Candé (6)

Pedro Sá (5)

Carlinhos (6)

Shoya Nakajima (8)

Iván Angulo (6)

Aylton (7)

Fabrício (6) 

SUBS UTILIZADOS

Relvas (6)

Imbula (5)

Aponza (5)

Ewerton (5)

Anderson (5)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

FC Famalicão

BnR: Efetuou três alterações estratégicas na equipa ao intervalo, mas algo pareceu não desenrolar. O que faltou para conseguir concretizar e ser mais consistente?

Ivo Vieira: Não foram estratégicas. Jogámos com uma equipa muito organizada defensivamente e nós tentámos, chegámos ao último terço, mas não conseguimos. Não decidimos bem. Os jogadores trabalharam, mas o Portimonense SC foi muito eficaz e nós não fomos.

 

Portimonense SC

Não foi possível colocar questões ao técnico do Portimonense SC, Paulo Sérgio.