ÚLTIMA HORA:

FC Vizela x Moreirense FC

FC Vizela 0-1 Moreirense FC: Rafael decisivo dá a vitória no derby

A CRÓNICA: GOLO SOLITÁRIO DE RAFAEL MARTINS GARANTE VITÓRIA NA ESTREIA DE SÁ PINTO

Num jogo inédito na Primeira Liga Portuguesa, o FC Vizela recebeu o Moreirense FC, partida a contar para a décima sétima jornada, a última da primeira volta. Num dérbi minhoto, onde as duas equipas estão separadas no mapa apenas por seis quilómetros, o ambiente de jogo grande também se fez sentir desde as bancadas. Os adeptos aderiram em massa e as bancadas do estádio vizelense estiveram muito bem compostas.

O jogo também começou com grande ritmo e foi o Moreirense, agora de Ricardo Sá Pinto, que teve a primeira oportunidade de se colocar em vantagem. Jogada pela esquerda do ataque, onde Abdu Conté se projetou muito, cruzou atrasado para Walterson e este rematou em jeito para o poste mais distante, sendo travado apenas por uma boa defesa de Pedro Silva.

O jogo estava aberto, com ambas as equipas a jogarem um Futebol de ataque e a criarem perigo iminente às balizas adversárias, apesar desse mesmo perigo não se materializar em oportunidades de golo claras, nem em golos. Quando apareceram, vieram em força.

Aos 38 minutos, canto para a equipa do Vizela para a cabeça de Bruno Wilson, que desvia em direção à baliza. Zohi dá um toque de calcanhar que deixa Cassiano em boa posição para fazer golo e concretiza mesmo, bola dentro da baliza do Moreirense. A equipa vizelense preparava-se para festejar quando o árbitro auxiliar levantou a bandeira, anulando o golo por fora de jogo do avançado brasileiro. Logo no minuto seguinte, arrancada de Kiko pelo lado direito, deixa o marcador para trás e serve Cassiano que atira à baliza, mas a bola desvia no adversário e dá canto para os azuis e brancos. Na sequência do canto, Anderson apareceu sozinho ao segundo poste e atirou, para defesa de Kewin.

O Moreirense reagiu e, em cima do intervalo, quase se adianta no marcador em duas ocasiões. Primeiro, aproveitando uma má reposição de bola de Pedro Silva, Filipe Soares atirou muito perto da baliza quase deserta da equipa da casa. Depois foi Walterson, que depois de uma grande jogada ofensiva da equipa de Moreira de Cónegos, atira à barra da baliza do Vizela.

Ao intervalo, Álvaro Pacheco mexeu na equipa e trocou os dois laterais, fazendo entrar Kiki e Koffi, para os lugares de Igor e Ofori.

Na primeira grande oportunidade da segunda parte, o Moreirense coloca-se em vantagem no marcador. Recuperação de bola a meio campo de Yan, que leva a bola até à área contrária. Rafael Martins tira partido de um ressalto de bola e, depois de rodar para o seu pé esquerdo, dispara rasteiro para dentro da baliza adversária. Um a zero para os cónegos.

O Vizela tentava ir atrás de prejuízo, mas os cruzamentos e as bolas paradas dos vizelenses iam sendo ineficazes para assustar a baliza do Moreirense. Os visitantes, além de muitas faltas cometidas, baixaram as linhas e foram controlando os ataques adversários.

Até ao final, destaque para a expulsão de Koffi, depois de uma entrada dura. Hugo Miguel mostrou o amarelo numa primeira instância, mas, depois do recurso ao VAR, decidiu pela amostragem do cartão vermelho.

Final do jogo, vitória no dérbi para o Moreirense, que sai da zona de despromoção, embora à condição. O Vizela é décimo segundo, com 16 pontos, mais um do que os cónegos.

 

A FIGURA

Filipe Soares – Não tem sido o Filipe Soares de outras épocas, mas hoje demonstrou o nível que o fez ser considerado um dos melhores médios da liga. Com mais chegada à área e sempre criterioso no passe, demonstrou toda a sua qualidade técnica e noção dos timings do jogo. Jogo enorme no dérbi.

 

O FORA DE JOGO

Igor Julião – Vai ter pesadelos com Abdu Conté. O lateral vizelense foi sempre incapaz de travar a locomotiva do Moreirense, ficando sempre para trás nos duelos. Saiu ao intervalo, depois de uma primeira parte muito difícil.

 

ANÁLISE TÁTICA – FC VIZELA

O Vizela alinhou no habitual 4-3-3, com duas alterações em relação à vitoria frente ao Belenenses SAD. O reforço Anderson entrou diretamente para o onze, para o lugar de Aidara. Ofori jogou à esquerda da defesa no lugar de Kiki.

Sempre fiel às suas ideias, a turma de Álvaro Pacheco privilegiou um Futebol apoiado e alta rotação, apesar de quando estava em desvantagem começar a jogar um jogo um pouco mais direto e a investir mais em cruzamentos.

Numa primeira fase de construção, o Vizela primou por sair apoiado pelos centrais, com os laterais não muito projetados a serem solução. Nenhum dos médios fazia uma linha de três para sair a jogar, mas ambos os médios mais recuados apareciam numa fase posterior a dar linha de passe, quer aos centrais, quer aos laterais.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Pedro Silva (6)

Bruno Wilson (5)

Anderson (6)

Igor (4)

Ofori (5)

Marcos Paulo (6)

Samu (5)

Mendez (6)

Zohi (5)

Kiko (6)

Cassiano (5)

SUBS UTILIZADOS

Koffi (4)

Kiki (5)

Schetinne (4)

Alvarado (5)

Guzzo (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – MOREIRENSE FC

No primeiro jogo de Sá Pinto ao leme dos cónegos, o Moreirense apresentou-se em 3-4-3, sendo que defensivamente foi um 5-2-3. A equipa repetiu o onze da derrota em Tondela, embora tenha tido várias nuances diferentes, como a insistência de Abdu Conté na profundidade no corredor esquerdo.

Os médios, numa primeira fase, baixavam um pouco para lançar os alas e os avançados na profundidade. Já no meio-campo adversário, Filipe Soares envolvia mais no ataque, enquanto Fábio Pacheco foi o médio mais de equilíbrio.

Yan mais em condução, Walterson na profundidade. Rafael Martins foi referência ofensiva.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Kewin (7)

Artur Jorge (6)

Steven Vitória (7)

Pablo (6)

Abdu (6)

Paulinho (5)

Fábio Pacheco (6)

Filipe Soares (7)

Yan (6)

Rafael Martins (8)

Walterson (6)

SUBS UTILIZADOS

André Luis (5)

Amador (5)

Pires (6)

Conceição (5)

Jambor (4)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

FC Vizela

BnR: Uma primeira parte dividida, com um jogo aberto, mas a entrada na segunda parte não foi a melhor e acaba por sofrer o golo. A reação da equipa do Vizela passou muito por bolas paradas e cruzamentos, algo que não é muito comum na sua equipa. Acha que a equipa abusou um pouco nessa nuance do jogo, principalmente nesta fase final do jogo?

Álvaro Pacheco: Os médios não estavam a posicionar-se bem por dentro e não estávamos a conseguir ligar por lá. Quando melhoramos o posicionamento, os médios não se sentiram confortáveis para ter bola e aí começamos a jogar mais por fora. Estávamos a conseguir chegar lá por fora e a criar perigo assim e sabíamos que se fizéssemos um golo íamos ter confiança para ligar por dentro outra vez, infelizmente não aconteceu e fomos mais com a cabeça do que com o coração.

 

Moreirense FC

BnR: Primeiro jogo, primeira vitória. Com pouco tempo para trabalhar, repete o último onze, mas a abordagem ao jogo, com um Futebol mais ofensivo, e a atitude da equipa foram muito diferentes da derrota em Tondela. Jogou também num 3-4-3, que vão variando para o 5-2-3, com os laterais a dar muita profundidade. Será este o Moreirense que iremos ver daqui para a frente, neste sistema tático?

Sá Pinto: Não te posso garantir isso, hoje. Esta equipa já teve tantas ideias de jogo e tantos sistemas táticos diferentes nesta época e já estão cansados de tantas mudanças. Neste momento, o meu papel é a acalmá-los e passar-lhes coragem e alegria. Gostei do que vi hoje e fiquei satisfeito com a equipa neste sistema. Com certeza iremos treinar outros sistemas de jogo. Podemos mudar, principalmente em casa, mas para já vamos com calma.

Artigo revisto por Joana Mendes

Componente 5 – 1 (1)

O Francisco é natural de Santo Tirso. Encontra-se a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Sempre teve uma paixão enorme pelo deporto, sobretudo pelo futebol. Tem também um gosto especial pelo basquetebol, mais concretamente NBA. Jogou futebol durante 13 anos, mas agora é na vertente do treino que vai continuando o bichinho pela modalidade.                                                                                                                                                 O Francisco escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

O Francisco é natural de Santo Tirso. Encontra-se a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Sempre teve uma paixão enorme pelo deporto, sobretudo pelo futebol. Tem também um gosto especial pelo basquetebol, mais concretamente NBA. Jogou futebol durante 13 anos, mas agora é na vertente do treino que vai continuando o bichinho pela modalidade.                                                                                                                                                 O Francisco escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA