Cabeçalho Futebol Nacional

Na jornada 11 da Liga NOS, o Sporting visitou o Estádio do Bessa para defrontar um Boavista desfalcado fruto, fundamentalmente, dos castigos aplicados no encontro frente ao Vitória de Guimarães para a Taça de Portugal.

Perfazendo um total de seis baixas, se desconsiderarmos Daf, a equipa montada por Miguel Leal não contou com nomes usualmente titulares como Idris, Henrique, Lucas, André Bukia, Tiago Mesquita (lesão) e Iuri Medeiros (cedido pelo Sporting). «Quem não tem leão caça com pantera», anteviu o técnico axadrezado em vésperas do jogo, assumindo pela primeira vez uma configuração de 4-3-3 com linhas ligeiramente recuadas e não potenciando tanta criatividade.

Foi assim que, com dificuldades acrescidas no eixo da defesa, Philipe Sampaio dispôs de mais uma oportunidade para agarrar uma posição no 11 inicial e Carlos Santos, longe da forma física desejável, somou os seus primeiros minutos nesta época. No setor intermédio, um brando Tengarrinha realizou o seu segundo jogo como titular e, um pouco mais adiantado no terreno de jogo, Anderson Correia foi testado como extremo esquerdo.

A falta de rotinas penalizou, com naturalidade, o conjunto de xadrez que se viu em desvantagem ao minuto 25 com um erro de posicionamento do central Philipe Sampaio que permitiu que Bas Dost cabeceasse confortavelmente para a baliza à guarda de Agayev, após assistência de Gelson Martins. Contudo, esta foi apenas a primeira de outras contrariedades que foram surgindo numa partida maioritariamente equilibrada, ainda que com fases ascendentes de cada uma das formações. Também as lesões de Fábio Espinho e de Anderson Correia, aos 53 e aos 69 minutos respetivamente, forçaram as entradas do jovem Samu e de Anderson Carvalho, desta vez posicionado no corredor lateral.

Anúncio Publicitário

Apesar da postura destemida, das jogadas bem estruturadas e da ligação positiva entre setores ao longo dos 90 minutos, o Boavista produziu pouco no último terço do terreno, muito por culpa da boa organização defensiva do Sporting, com um Coates imperial no jogo aéreo, e das recuperações de posse de Adrien Silva e William Carvalho. Mesmo não conseguindo tirar proveito da expulsão de Ruben Semedo, Renato Santos, Talocha e Edu Machado foram os elementos mais esclarecidos, com o primeiro a causar desequilíbrios e os laterais a conterem o caudal ofensivo de Joel Campbell e Gelson Martins.

Na deslocação da próxima jornada ao terreno do Paços de Ferreira, Miguel Leal já terá à sua disposição Lucas e Iuri Medeiros, podendo Samu e o internacional azeri Emin Makhmudov, que se estreou ontem na Liga, espreitar novas oportunidades, tal como o brasileiro Philipe Sampaio, colmatando a ausência de Henrique.

Foto de capa: Boavista FC

Comentários