Anterior1 de 4Próximo

Rio Ave e Tondela empataram a um golo no fecho da jornada 30. No Estádio dos Arcos, a equipa da casa começou a vencer, mas viu Guedes, no seu jogo 100, desperdiçar o 2-0 de penálti e acabou por sofrer o empate.

Depois de Miguel Cardoso, na conferência de antevisão, ter anunciado uma candidatura oficial ao quinto lugar, o Rio Ave entrou em campo com o objetivo de ultrapassar o Marítimo na classificação.

Já o Tondela, num sólido 12º lugar, procurava vencer para ampliar para 8 pontos a distância da linha de água.

Com ambos os conjuntos a repetirem os onzes da 29ª jornada, o jogo começou, como esperado, com a equipa da casa a assumir o domínio da posse de bola. Instalado no meio-campo adversário, o Rio Ave circulava à procura de desmontar a organização defensiva da formação orientada por Pepa.

Após um período inicial sem oportunidades, o primeiro lance de perigo surgiu aos 14 minutos do encontro. Na sequência de um bom passe de rotura, Guedes apareceu bem na cara de Cláudio Ramos, mas o guarda-redes forasteiro fez bem a mancha e negou o golo ao avançado.

O jogo voltou a arrefecer e foi preciso esperar mais dez minutos para novo lance de destaque, sendo eu desta feita houve mesmo golo. Na sequência de uma bola longa, Guedes recebeu já na área e, de costas para a baliza, serviu de apoio frontal a Diego Lopes, que disparou forte para o primeiro da noite.

A equipa da casa não ficou satisfeita com o golo apontado e, quatro minutos depois, podia ter ampliado a vantagem. Numa boa jogada no meio campo rioavista, Diego Lopes descobriu Tarantini que, ainda fora da área, rematou forte e, sem pedir licença, com a bola a passar muito perto da baliza de Cláudio Ramos.

Adivinhava-se novo golo e, aos 34 minutos, deu-se o momento do jogo. Guedes, após um grande trabalho sobre David Bruno, sofreu falta do defesa do Tondela na grande área e conquistou um castigo máximo para a equipa da casa.

Foi um jogo agridoce para o número 7 vilacondense
Fonte: Rio Ave FC

O avançado, a cumprir o jogo 100 pelos vilacondenses, avançou para a cobrança, em detrimento do habitual marcador, Pelé, e arriscou um panenka, mas Cláudio Ramos não caiu na armadilha e negou o 2-0.

Descontente com a atitude, Miguel Cardoso optou por retirar o número 7 de campo, fazendo entrar Gelson Dala. Guedes, descontente, seguiu direto para o balneário, perante aplausos dos adeptos, a quem ofereceu a camisola.

Até ao intervalo, destaque apenas para um tiro de meia distância de Tyler Boyd, travado por uma bela defesa de Cássio, com as equipas a recolherem aos balneários com 1-0 no marcador. À entrada para o túnel, Miguel Cardoso ouviu assobios dos adeptos da própria equipa, visivelmente descontentes com a saída de Guedes.

A segunda parte começou praticamente com o golo da igualdade. Numa bola longa pelo corredor direito, Tomané conseguiu fugir à defesa vilacondense e aparecer nas costas de Marcelo, que acabou por fazer penálti. Na cobrança, o mesmo Tomané enganou Cássio e fez o 1-1.

Após a igualdade, o Tondela voltou a baixar as linhas e o Rio Ave foi obrigado a tentar correr atrás do resultado. Já com Nuno Santos em campo, por troca com Diego Lopes, Marcelo ficou perto do 2-1 na sequência de um canto de João Novais, mas o desvio do defesa saiu ligeiramente ao lado.

O Tondela defendia bem e a equipa da casa só voltou a criar perigo em cima do minuto 80: Francisco Geraldes combinou bem com Nuno Santos, que devolveu ao médio emprestado pelo Sporting, para um remate que Cláudio Ramos só agarrou à segunda.

Do outro lado do terreno, numa transição rápida, foi a vez do Tondela ficar perto do golo. Após um cruzamento bem tirado pela esquerda, o recém-entrado Pedro Nuno ganhou nas alturas e cabeceou para uma enorme defesa de Cássio. Na recarga, foi Tomané a rematar para mais uma boa intervenção do guarda-redes brasileiro.

Até ao final, o Rio Ave ainda procurou o golo da vitória, apostando até num jogo direto pouco habitual, mas o resultado manteve-se e as equipas dividiram os pontos.

Anterior1 de 4Próximo

Comentários