Anterior1 de 4Próximo

O Rio Ave e o Moreirense defrontaram-se a contar para a nona jornada do campeonato português. Os vila-condenses encontravam-se em oitavo lugar e a equipa de Moreira de Cónegos em 13º. O Rio Ave vinha de uma derrota contra o FC Porto e de um empate em casa do Paços de Ferreira, enquanto que o Moreirense já levava quatro jogos sem vencer, sendo que este se tornou o quinto e com uma curiosidade: nos últimos cinco jogos, o Moreirense marcou primeiro na partida e apenas venceu uma delas, para a Taça de Portugal, contra o Fabril Barreiro, o que pode comprovar uma quebra de rendimento quando o conjunto de Vítor Campelos marca primeiro no encontro.

O jogo começou, ainda nem com um minuto no relógio e o Rio Ave já causava perigo na baliza de Mateus Pasinato, com um remate perigoso de Diego Lopes a bater na malha lateral, seguido de um bom passe de Nuno Santos. Nos primeiros minutos era visível a intenção do Rio Ave em controlar o jogo. Diego Lopes jogava atrás do avançado Bruno Moreira. Carlos Mané e Nuno Santos jogavam nos corredores, onde criaram as melhores situações de perigo dos vila-condenses.

O Moreirense, que atuava num 4-4-2 no momento defensivo, com Filipe Soares ou Pedro Nuno a fazer a pressão nos centrais adversários juntamente com o avançado Fábio Abreu. O Moreirense teve poucos ataques organizados, apesar de conseguir sair com algum critério no contra-ataque. Aos 12’ e aos 14’ tiveram duas grandes oportunidades que obrigaram Kieszek a intervir.

O Rio Ave rapidamente respondeu aos 19’ com cabeceamento de Tarantini num canto e com enorme defesa de Pasinato. O jogo estava taco-a-taco, apesar de ser o Rio Ave com mais posse de bola, as oportunidades estavam divididas. Quem brilhava eram os guarda-redes, como aconteceu novamente aos 29’ quando Iago Santos sobe nas alturas e cabeceia forte e colocado para uma intervenção colossal do guardião Kieszek.

O Moreirense já tinha ameaçado várias vezes, até que aos 32’ Luther Singh, que era o jogador mais perigoso da partida até ao momento, teve um lance de génio e sozinho parte para cima da defensiva vila-condense, afastou dois adversários do caminho com uma qualidade técnica acima da média e com um tiro insere a bola dentro da baliza do Rio Ave, colocando a sua equipa a vencer por 1-0 no Estádio dos Arcos. É digno de ser visto.

Até o árbitro apitar para o intervalo, apenas houve uma situação de perigo, causada pela imprevisibilidade de Carlos Mané a assistir Nuno Santos que em frente à baliza atirou por cima. A equipa de Carlos Carvalhal criava perigo e continuava com as suas ideias, no entanto, quem criava as melhores oportunidades era o Moreirense.

Carvalhal mexeu ao intervalo e mudou o esquema tático, principalmente no momento ofensivo. Trocou Filipe Augusto por Nikola Jambor e tirou Diogo Figueiras, colocando o avançado Mehdi Taremi, mudando assim para um 3-4-1-2, com Mané a ocupar todo o corredor direito e ficando assim com uma função acrescida. No que toca a domínio de jogo, a tática de Carvalhal resultou visto que conseguiu criar o maior número de oportunidades do jogo nesta segunda parte e a maior parte delas a partir do corredor direito, inclusive o golo de Mehdi, a passe do todo-terreno Carlos Mané, aos 57’.

Fonte: Rio Ave FC

Os vila-condenses estavam bem melhor na partida e não possibilitavam oportunidades de golo ao adversário, que juntou as linhas e estava bem fechado lá atrás e com poucos homens subidos no terreno quando recuperava a bola. Alex Soares e Bilel vieram dar pulmão à equipa quando saíram do banco e ajudaram a aguentar o empate, tal como Texeira, que entrou já perto do final do encontro.

O Rio Ave entre os 70’ e os 80’ teve o período com mais lances de perigo na partida, com resistência do Moreirense, principalmente de Pasinato, que registou uma bela parada ao livre de Diego Lopes aos 79’. Ronan ainda entrou por Bruno Moreira para refrescar o setor ofensivo, mas não teve presença no jogo. Terminou assim a partida e o Rio Ave continua um mau momento de forma, mais pelos resultados do que pelas exibições. O Moreirense vai fazendo o seu campeonato e consegue nos Arcos um importante ponto, tendo em conta a exibição realizada.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES:

Rio Ave FC: Kieszek, Diogo Figueiras (Mehdi Taremi, 46’), Borevkovic, Aderlan Santos, Matheus Reis, Tarantini, Filipe Augusto (Nikola Jambor, 46’), Nuno Santos, Carlos Mané, Diego Lopes e Bruno Moreira (Ronan, 81’).

Moreirense FC: Mateus Pasinato, D’Alberto, Iago Santos, Steven Vitória, Abdu Conté, Sori Mané, Ibrahima Camará (Alex Soares, 64’), Filipe Soares, Pedro Nuno (Bilel Aouacheria, 66’), Luther Singh e Fábio Abreu (David Texeira, 84’).

Anterior1 de 4Próximo

Comentários